PORTO VELHO

Agronegócio

​Senar-AR/AM realiza aula inaugural dos cursos técnicos em agronegócio e fruticultura no Amazonas

Agronegócio


O Senar-AR/AM, por meio da Coordenação do Rede e-Tec no Amazonas, promoveu, nesta segunda-feira (5), aula inaugural dos cursos técnicos em agronegócio e fruticultura no Amazonas. Além da turma do curso técnico em agronegócio já em execução no município de Itacoatiara, foi dado início, por meio da cerimônia, ao período letivo das novas turmas de curso técnico em agronegócio (polo Manaus) e fruticultura (polo Itacoatiara).

Na ocasião, o presidente do Sistema Faea Senar Fundepec/AM, Muni Lourenço, enfatizou a importância dos cursos técnicos dentro das atividades desenvolvidas pelo Senar-AR/AM pois, de acordo com ele, os segmentos abordados dentro dos cursos (agronegócio e fruticultura) têm um grande potencial no Amazonas.

“Nosso setor rural precisar crescer muito. Temos um mercado consumidor extremamente demandante de alimentos e essa oportunidade de educação que o Senar está disponibilizando com esses cursos técnicos certamente darão oportunidades no mercado de trabalho para esses alunos, seja como profissionais da área técnica seja como empreendedores”, destacou.

Segundo Lourenço, a aposta é grande para que os cursos proporcionem uma contribuição para o desenvolvimento do setor primário. “Estamos formando recursos humanos, mão de obra qualificada pra essas atividades. Da nossa parte, daremos o melhor suporte possível para que os alunos tenham a melhor qualidade de ensino”, completou.

Leia Também:  AÇÚCAR/CEPEA: Oferta ainda é baixa neste começo de safra

Além de Muni Lourenço, participaram da cerimônia, a superintendente do Senar-AR/AM, Jeyn’s Alves, a Gerente Técnica do Senar-AR/AM, Susianne Mar, a pedagoga e coordenadora da Rede e-Tec no Amazonas, Ana Pimenta, a secretária escolar do Senar-AR/AM, Danielle Garcia, o presidente do Sindicato Patronal Rural e polo de apoio em Itacoatiara, Alcemir Lima e a auxiliar de secretaria do polo de apoio em Itacoatiara, Soraia Cordovil. Também estiveram presentes colaboradores do Senar-AR/AM e alunos das turmas dos cursos técnicos.


Cursos Técnicos

O curso técnico em Agronegócio é focado nos procedimentos de gestão e de comercialização. Foram oferecidas 1.765 vagas, em 71 polos de apoio presencial do Senar em todo o País. A carga horária total é de 1.230 horas distribuídas em dois anos. Desse total, 20% da são aulas teóricas, atividades práticas e avaliações. Já o curso técnico em Fruticultura ofereceu 950 vagas no Brasil distribuídas em 34 polos de ensino. A carga horária é de 1.350 horas, divididas em dois anos e meio.

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Cadeia produtiva do coco em Trairi, no Ceará, recebe pela primeira vez Assistência Técnica do AgroNordeste – ATeG

Publicados

em


Segundo a Associação Brasileira de Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas) o Ceará é o segundo estado brasileiro na produção de  coco, perdendo apenas para a Bahia, mas precisa avançar ainda mais  na parte da comercialização. Dai a importância da Assistência Técnica e Gerencial do SENAR atuando juntamente com o Sindicato Rural de Trairi, por intermédio do programa Agronordeste, criado pelo Ministério da Agricultura, que orienta e encaminha os produtores também na obtenção de crédito.  

PRODUTOR DESTACA IMPORTÂNCIA DA ATeG 
O produtor João Alves Freire, do Sitio Camurupim, um dos assistidos pelo Agronordeste – ATEG do SENAR em Trairi, destacou a importância da assistência técnica e da parceria com o Sindicato Rural, e  segundo ele,  a cultura do coco nunca tinha recebido assistência.  “Tinhamos baixa  produtividade, muita praga, desnutrição, fata de irrigação das plantas e dificuldade de comercialização, disse João Alves. Com o apoio da técnica de campo do SENAR, Silviane, depois  de um ano de trabalho e muita persistência a   gente recebeu  novas informações,  novas tecnologias e a produção que antes era de 100 frutos/ ano planta em 2020, passou para  150 plantas ano / planta em 2021. Criamos até um grupo de whatsapp entre produtores pra trocar informações inclusive sobre o preço do coco. 

Leia Também:  Cuiabá possui 48 comunidades e realizou mais de 110 capacitações em 2020

PRINCIPAIS RESULTADOS 

1. Assistência a 30 produtores da  cadeia produtiva do coco (Coco seco, coco verde e água de coco);

2. Orientação e realização de análise de solo e foliar de 20 produtores;

3. Compra coletiva de insumos: adubos químicos, e orgânico;

4. Comercialização coletiva;

5. Orientação para Acesso a crédito rural (investimento) total de 4 produtores;

6. Orientação ao Acesso de políticas públicas (governo estadual: Fundo Desenvolvimento Agricultura familiar), para projeto de energia solar (usinas via solo e telhado): 9 produtores;

7. Produção anual: 2020: 100 frutos/ ano / planta e 2021: 150 frutos/ ano/ planta;

8. Orientação para Inscrição de produtores ao programa irrigação minha propriedade – PIMP (política pública do governo estadual): 5 produtores;

9. Orientação e apoio na Inscrição das Associações dos Moradores da Grande Região Camurupim e Carapeba no projeto São Jose IV, edital 1.1 Comercialização; 

10. Apoio para Comercialização junto às indústrias beneficiadoras:  ADELCOCO e DICOCO;

11. Orientação na Elaboração da proposta Fundo Brasil no valor de R$ 45.000,00 (objetivo: fomentar a construção de galpão para comercialização);

Leia Também:  ETANOL/CEPEA: Preços médios da safra 2020/21 caem 13%

12. Apoio na elaboração de projeto para a agroindústria (consulado japonês).

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA