PORTO VELHO

Agronegócio

Famato participa da I Jornada Nacional de Policiamento Rural

Agronegócio


A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) participou da I Jornada Nacional de Policiamento Rural: Práticas e Tendências nesta semana (23/11), em Sinop. O evento é uma iniciativa do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e encerra nesta quinta-feira (25).

A iniciativa contou com a presença do Secretário Nacional de Segurança, Carlos Pain, prefeito municipal de Sinop, Roberto Dorner, diretor e segundo vice-presidente da Famato, Marcos da Rosa, representantes das polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal de vários estados brasileiros e presidentes de sindicatos rurais da região norte do estado.

Marcos da Rosa falou sobre o projeto “Patrulha Rural Georreferenciada” implantado em Mato Grosso pela Polícia Militar (PM) junto com os produtores rurais. O projeto começou no Sindicato Rural de Rondonópolis, apoiado pela Famato, com o objetivo de coibir os crimes nas propriedades rurais.

Segundo Marcos da Rosa, a Patrulha Rural Georreferenciada tem o objetivo de estreitar o vínculo de confiança entre os produtores rurais e a Polícia Militar, facilitando a localização das propriedades e garantindo mais segurança no atendimento às comunidades que vivem e trabalham no campo.

Leia Também:  Senar fornece conteúdos sobre prevenção à Covid-19 no meio rural

“A patrulha rural era uma necessidade e está se tornando uma realidade. A patrulha é uma importante aliada no combate aos crimes praticados no campo, a exemplo de roubos e furtos, conferindo mais agilidade nos atendimentos às ocorrências e intensificando a eficiência na segurança rural”, afirmou Marcos da Rosa.

A parceria, entre o Sistema Famato e a PM prosperou e já são mais de 10 Sindicatos Rurais de Mato Grosso envolvidos no programa. Em 2021 já foram cadastradas 1.600 propriedades rurais e cerca de 700 placas fixadas nas fazendas.

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) também é parceiro do Projeto de Patrulhamento Rural. O papel da instituição é capacitar e qualificar os militares para que eles possam utilizar equipamentos modernos como drones e outros para atingir áreas maiores na hora de fazer o patrulhamento. O Senar-MT já fez mais de 10 treinamentos para policiais militares que fazem parte deste projeto.

Em Sinop, os produtores rurais contam com o apoio do 3º Comando Regional de Polícia Militar, comandado pelo Coronel Wesley de Castro Sodré, que atua à frente do policiamento no campo.

Leia Também:  SENAR capacita produtores rurais no curso Recuperação de Nascentes em Barrolândia

Entre os temas apresentados na jornada estavam as ações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no combate a ilícitos com mercadorias, bens e materiais agropecuários; ações especializadas de investigação de crimes rurais; a atuação da Polícia Rodoviária Federal no combate ao roubo de cargas; investigação criminal qualificada no enfrentamento aos crimes rurais, além de experiências exitosas de estados que atuam no combate à criminalidade no campo.

As palestras foram conduzidas por especialistas e integrantes do Sistema Único de Segurança Pública (SUSP).

Também participaram as secretárias municipais, Faira Strapazzon (Governo e Projetos Estratégicos), Ivete Mallmann (Meio Ambiente), o Procurador Geral de Sinop, Ivan Schneider, o presidente da União das Entidades de Sinop (Unesin), Carlos Henrique Fonseca e autoridades locais e nacionais.

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Sétima edição da Feira Natural do Campo traz artesanato

Publicados

em


Roupas em crochê e peças de decoração feitas em palha de babaçu. Essas foram as novidades para quem compareceu na edição da Feira Natural do Campo, desta quarta-feira (01.12).

Juscimeire Maria de Arruda, artesã de Cuiabá, trouxe conjuntos, croppeds, coletes, mochilas e bolsas em crochê. Ela que tinha o crochê como hobby, o tornou profissão após ficar desempregada na pandemia. A Feira foi uma oportunidade de mostrar o seu trabalho.

“Minha filha me inscreveu e eu aceitei vir e mostrar os meus produtos”, afirma.

Vindo de Nossa Senhora do Livramento, Juliano Pinto Moura, trouxe artesanatos feitos em palha de babaçu. “Comecei a produzir em 2010, depois de aprender sozinho”. Juliano, que já é experiente em feiras na sua cidade, afirma que essa é a primeira vez que expõe seus produtos em um shopping. “É a primeira vez que eu venho e estou achando bom”.

Rita de Cássia, do Distrito de Aguaçu, expôs na Feira pela quarta vez, mas nessa semana também trouxe uma novidade: o feijão de corda. “Hoje uma cliente levou cinco pacotes porque lembra a infância dela e fazia muito tempo que não encontrava para comprar. É gratificante ajudar a relembrar essa memória”.

Leia Também:  MILHO/CEPEA: Comprador segue retraído; preços continuam em baixa

Primeira vez – Esta edição foi a primeira da produtora rural Jucilene Moraes, do Distrito de Aguaçu. Ela trouxe variedades de alface, couve, jiló, maxixe, dentre e outros produtos. ” Sempre tive contato com o campo e agora vivo apenas dele. A Feira é uma oportunidade de nos tornar conhecidos”.

A Feira realizará a sua última edição de 2021 na próxima quarta-feira (08.12), feriado municipal. O evento ocorrerá das 17h às 21h, no estacionamento do Shopping Estação Cuiabá.

Fonte: CNA Brasil

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA