PORTO VELHO

Brasil

Agência Brasil explica o que são as estações do ano

Brasil

A primavera começa hoje (22) no Hemisfério Sul, às 22h04, e, assim, deixamos o inverno para trás. Esse é o momento que marca a saída de um período de seca na região central do Brasil, que começa a experimentar dias mais chuvosos e úmidos. As outras regiões também são afetadas pelo início do transporte de umidade vinda da Amazônia, explicando a incidência de chuvas no Sudeste, Centro-Oeste e Norte do país.

Mas o que são as estações do ano e como ocorrem? A explicação tem origem na inclinação da Terra em relação ao sol. A Terra faz dois movimentos, de rotação e translação. A rotação é um movimento do planeta em torno do próprio eixo e dura 24 horas. Já a translação é um movimento em torno do sol e dura 365 dias.

Essas movimentações do planeta provocam fenômenos como dias mais longos e dias mais curtos, além da mudança das estações do ano: primavera, verão, outono e inverno. Mas isso só ocorre devido à posição inclinada da Terra. Se ela não fosse inclinada em seu eixo, não haveria mudança de estações e todos os dias teriam 12 horas de luz e 12 horas de escuridão.

E são a rotação e a translação que permitem o cálculo do dia e hora exatos para mudança das estações.

Primavera

As estações variam de acordo com a inclinação dos raios solares e a posição da Terra em relação ao sol. Quando a movimentação da Terra posiciona o Polo Sul em direção ao sol, o Hemisfério Sul (onde estão América do Sul e Austrália, por exemplo), fica mais aquecida, trazendo o verão. Ao mesmo tempo, é inverno no Hemisfério Norte (onde estão Estados Unidos e Europa, por exemplo). Seis meses depois, a posição dos polos se inverte e é a vez do Polo Norte receber mais luz e calor, levando o verão aos países mais ao norte. Nesse momento, o Hemisfério Sul experimenta o inverno.

Leia Também:  Primeira Turma do STF nega prisão, mas volta a afastar Aécio do mandato

A primavera, que começa hoje, marca o fim do inverno, sendo a estação de transição até o verão, previsto para começar no Hemisfério Sul em 21 de dezembro. A data de início da primavera acontece quando temos a mesma quantidade de luz do sol nos dois hemisférios, Sul e Norte, e o dia e a noite têm a mesma duração.

Tradicionalmente, a primavera traz a volta de dias mais longos e quentes, mas não tão quentes quanto o verão. Costuma ser uma época de temperatura moderada. É nesse período que animais se reproduzem e alguns insetos voam em busca do néctar das flores.

Este ano, porém, o início da primavera não será tão agradável. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), uma frente fria está chegando na Região do Sul do país e nos estados do Mato Grosso do Sul e São Paulo, o que diminui as temperaturas e aumenta a quantidade de chuvas.

Segundo explicou Heráclio Mendes, meteorologista do Inmet, o final de semana chega com muito frio no sul do país. “Com o avanço dessa frente fria entre quinta e sexta-feira, já aumenta a chance de temperatura bem mais baixa no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, até com chance de formação de geada”, disse ele à Rádio Nacional. Ele acrescentou, no entanto, que esse cenário vai se modificando à medida que o verão se aproxima, na segunda metade de dezembro.

Outras estações

No verão, a temperatura é mais alta e os dias mais longos, sobretudo nos países mais afastados na linha do Equador. As árvores estão mais frutíferas e há a incidência de chuvas devido à vaporização das águas. Por isso, às vezes, o céu fica nublado, graças ao acúmulo de águas dos rios e dos mares transportadas para a atmosfera em forma de vapor. No Hemisfério Sul, o verão inicia em 21 de dezembro e termina em 21 de março.

Leia Também:  Julgamento da ex-deputada federal Flordelis é adiado para junho

O outono marca o período das colheitas. Os dias ficam mais curtos e frescos, e os frutos e folhas estão bem maduros e começam a cair. Uma paisagem típica de outono traz árvores com folhas amareladas ou avermelhadas, e o chão também repleto delas. No Hemisfério Sul, o outono tem início por volta de 21 de março e vai até 21 de junho.

Por fim, o inverno é o período mais frio, onde o hemisfério tem menos contato direto com o sol. Os dias são bem mais curtos, sobretudo em países mais afastados da linha do Equador, e as noites são mais frias. No sul do Brasil, não é rara a ocorrência de neve e geadas. É nessa estação que alguns animais entram em hibernação e se recolhem. No Hemisfério sul, o inverno começa por volta 21 de junho e termina por volta de 21 de setembro.

Solstício e equinócio

Outros fenômenos relacionados às movimentações da Terra são o solstício e o equinócio. O solstício de verão representa um dia mais longo que os demais. Isso ocorre graças ao posicionamento de um dos hemisférios, mais voltado para o Sol. Dessa forma, ele fica mais iluminado e por mais tempo, fazendo esse dia alcançar o pico de duração em todo o ano.

Enquanto um hemisfério experimenta o solstício de verão, o outro experimenta o solstício de inverno, quando a luz solar está no ponto mais distante do ano. Existe ainda o equinócio, o ponto intermediário dos dois solstícios. No equinócio, os dois hemisférios da Terra estão igualmente iluminados. Ele marca o início oficial do outono em um hemisfério e da primavera em outro.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

Duas toneladas de óleo são retiradas de praias em Pernambuco

Publicados

em

Duas toneladas de óleo foram retiradas de praias em Pernambuco entre domingo (2) e esta segunda-feira (3). Pedaços sólidos de óleo que se assemelham a petróleo cru foram encontrados inicialmente por um pescador na cidade de Tamandaré.

Segundo o Centro de Pesquisa do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) do município pernambucano, a maior parte do óleo já foi retirado, mas os trabalhos de limpeza das praias devem continuar nesta terça-feira.

Esta não é a primeira vez que manchas de óleo aparecem nas praias da região neste ano. Em agosto, foram recolhidas pelotas de óleo em 10 praias de Pernambuco, duas da Paraíba, uma da Bahia e outra de Alagoas.

Segundo a coordenadora do Programa Ecológico de Longa Duração Tamandaré Sustentável, a professora Beatrice Padovane, o ressurgimento desse óleo agora em outubro preocupa.

Na semana passada, também foram identificados fragmentos de óleo no município de Coruripe, em Alagoas.

Após analisar o óleo que apareceu em agosto, cientistas brasileiros concluíram que o material não é do mesmo tipo de petróleo do desastre ambiental de 2019. Segundo a perícia, trata-se de petróleo cru, possivelmente do Golfo do México e a hipótese mais provável é que ele tenha sido derrubado durante a lavagem de tanques de navio petroleiro em alto mar.

Leia Também:  Corte de cipós nas castanheiras pode aumentar a produção em até 30%

A professora Beatrice Padovane, que trabalha no monitoramento ambiental da região, ressalta que os prejuízos podem ir além dos efeitos sobre o turismo, porque o óleo pode se propagar na cadeia alimentar das espécies marinhas da região.

As pelotas de petróleo encontradas nesse domingo em Tamandaré ainda precisam ser analisadas para avaliar se são da mesma natureza das encontradas em agosto.

Ouça na Radioagência Nacional:

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA