PORTO VELHO

Brasil

Cidades do Amazonas registram segunda noite de ataques criminosos

Brasil


Criminosos voltaram a atacar prédios em Manaus, entre a noite do último domingo (6) e a madrugada de hoje (7). Além de uma Unidade Básica de Saúde (UBS), os bandidos atiraram contra a sede do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) e incendiaram ao menos um caixa eletrônico na capital amazonense.

Os novos ataques se somam aos registrados entre a noite de sábado (5) e a madrugada de domingo, quando ao menos 14 ônibus, duas viaturas policiais, um estabelecimento comercial e um transformador de energia elétrica foram incendiados em Manaus, e prédios públicos e veículos depredados em outras cidades do estado.

Um destes municípios é Careiro Castanho, a cerca de 88 quilômetros da capital. A cidade, que já tinha sido palco de ataques na noite de sábado, voltou a ser alvo da ação criminosa nas últimas horas, com bandidos incendiando o prédio da Secretaria Municipal de Obras.

Segundo a secretaria estadual de Segurança Pública, a relação entre os casos ainda está sendo investigada, mas a onda de ataques começou depois que um traficante foi morto durante uma ação da Polícia Militar, no último sábado. De acordo com a secretaria, ao menos 15 suspeitos de participar dos ataques já tinham sido detidos até a manhã de hoje.

Leia Também:  Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio acumulado de R$ 27 milhões

Presídio

A Secretaria de Administração Penitenciária confirmou que o governo estadual está apurando a informação de que a ordem para os ataques partiu de dentro de um presídio, conforme apontou o departamento de inteligência da Secretaria de Segurança Pública.

Após determinar o reforço no policiamento ostensivo em Manaus e região metropolitana da capital, o governador do Amazonas, Wilson Lima, decidiu pedir ao Ministério da Justiça e Segurança Pública que envie efetivos da Força Nacional de Segurança Pública para auxiliar no combate ao crime organizado. O pedido foi formalizado ontem e está sendo analisado pelo ministério.

Devido aos ataques desta madrugada, os ônibus deixaram de circular durante esta manhã. O Sinetram, cuja sede foi atingida por tiros, informou que as empresas estão discutindo a possibilidade de os veículos voltarem a rodar a partir da tarde desta segunda-feira.

Em função da dificuldade de locomoção, o governo do Amazonas determinou aos órgãos estaduais que liberassem os servidores para trabalhar preferencialmente de suas casas, com exceção daqueles que atuam em serviços essenciais, como saúde e segurança pública. As aulas presenciais da rede estadual de ensino também foram suspensas.

De acordo com a secretaria estadual de Saúde, em Manaus, alguns servidores organizaram um sistema de carona solidária, enquanto outros recorreram a serviços de aplicativos ou providenciados por diretores de unidades de saúde a fim de manter o funcionamento das unidades. Veículos administrativos da própria secretaria também foram usados para o deslocamento de servidores.

Leia Também:  ESTADÃO: Temer recebeu propina por hidrelétrica instalada em Rondônia, diz Funaro

“Todas as unidades estão funcionando. Para o servidor que estiver necessitando de transporte, eu oriento procurar a sua chefia imediata, o diretor da sua unidade ou fazer contato com a área de Recursos Humanos, pois todos os gestores estão solícitos em prestar essa assistência”, afirmou o secretário de Controle Interno da pasta estadual, Silvio Romano.

Já o prefeito de Manaus, David Almeida, esteve hoje em alguns dos locais alvo dos ataques, como a Unidade Básica de Saúde O-10, no bairro Nova Esperança, e a rotatória Umberto Calderaro. 

“Vamos trabalhar para recuperar todos os espaços depredados”, garantiu Almeida. “Onde a prefeitura teve as suas estruturas atacadas, vamos trabalhar para, no prazo limite de 48 horas, colocar à disposição da população”, acrescentou o prefeito, informando que servidores da secretaria municipal de Saúde estavam fazendo os ajustes necessários para que todos os postos de vacinação contra a covid-19 voltem a atender a população ainda hoje.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

Projeto de ex-alunos da USP traz oportunidade para quem saiu da prisão

Publicados

em


O processo seletivo de novos bolsistas do projeto Nova Rota para o segundo semestre está aberto até 30 de junho. As inscrições começaram no dia 1º de junho. Criado em 2020 por ex-alunos da Universidade de São Paulo (USP), o Nova Rota é um programa sem fins lucrativos que oferece bolsas de estudo a pessoas egressas do sistema carcerário. A iniciativa visa levar apoio e novas oportunidades de reintegração social de ex-presidiários

Além das bolsas de estudo, a organização não governamental de apoio à educação oferece também mentoria (orientação de profissional mais experiente), acompanhamento psicológico e apoio multidisciplinar. Entre as bolsas de estudos financiadas, existem oportunidades para cursos profissionalizantes, técnicos, de idiomas, de graduação e até preparatórios para o vestibular.

O Nova Rota possui atualmente nove bolsistas que realizam cursos técnicos e universitários, uma psicóloga supervisora contratada e cerca de 50 pessoas voluntárias, entre elas profissionais de psicologia responsáveis pelo acompanhamento individual. O projeto também auxilia uma ex-bolsista, que concluiu um curso profissionalizante. Cada bolsista é acompanhado por dois voluntários, que mantêm contato constante por meio do WhatsApp e realizam encontros a cada dois ou três meses.

Novos bolsistas

Para o segundo semestre, está prevista a entrada de três novos bolsistas. “Com essa admissão, entrarão, ainda, entre seis e nove mentores, que fazem o acompanhamento rotineiro dos bolsistas. Cada bolsista tem dois ou três mentores. Além disso, iremos lançar campanha de crowdfunding a fim de arrecadar mais recursos para custear novas bolsas e auxílios financeiros (vale alimentação e transporte). Por fim, buscamos aumentar nossos números de parceiros para auxílio mútuo nessa rede de apoio a egressos”, detalhou um dos colaboradores e voluntários do projeto, Tiago Lobo Lago Mendes Ferreira, de 29 anos.

Leia Também:  Mega-Sena acumula e prêmio sobe para R$ 100 milhões

Tiago conta como a relação entre bolsistas e universitários é saudável, com troca de informações e ajuda mútua, apesar da distância imposta pelo isolamento social. “Nesse período de pandemia, as aulas, quase em sua totalidade, estão sendo virtuais, o que dificulta um contato mais próximo”, lamenta o voluntário.

A maior parte dos mentores já é formada, mas também há universitários. O objetivo da mentoria, explica Tiago, é auxiliar os bolsistas nos desafios práticos enfrentados e desenvolver laços de  amizade,  promover  a  inspiração  mútua pelo exemplo e pela troca de experiências. “Ao mesmo tempo em que os mentores formam uma rede de apoio para as pessoas egressas, obtêm aprendizado e conhecimento de uma realidade muito diferente, a realidade do sistema carcerário”.

Exemplo e motivação

Estudante do curso superior de Enfermagem, Stefany de Moraes Nogueira, de 54 anos, está no projeto há um ano. Ela fez o supletivo para conclusão do ensino médio e agora faz faculdade. Para ela, participar do projeto traz oportunidades de estudar e trabalhar. 

Stefany de Moraes Nogueira Stefany de Moraes Nogueira

Stefany de Moraes Nogueira – Stefany de Moraes Nogueira/Arquivo pessoal

Stefany conta que tem boa comunicação e troca de conversas e ideias com os voluntários. Mas, ao sair do cárcere enfrentou dificuldades. “Pelo fato de ser transexual, a dificuldade foi bem maior, a ponto de ficar em situação de rua. Continuo em situação de vulnerabilidade e estou em um abrigo da prefeitura que se chama Autonomia em Foco”.

Leia Também:  Propostas de CPI sobre Brumadinho têm alvos diferentes

Apesar das dificuldades, ela diz que nunca pensa em desistir. “Foi a melhor ajuda que eu tive até agora, então não vou desistir nunca, vou até o fim”, afirma. 

Seleção aberta

A entrada no Nova Rota é feita por meio de um processo seletivo, realizado duas vezes ao ano, que convida egressos do sistema carcerário a tentar uma bolsa de estudos. Além das mentorias e do atendimento psicológico, o projeto oferece apoio financeiro para alimentação e transporte. Toda a equipe fica à disposição do bolsista para qualquer tipo de suporte.

O processo seletivo para o ingresso de novos bolsistas para o segundo semestre está aberto. As inscrições começaram no dia 1º de junho e vão até o dia 30. No site www.projetonovarota.org está o edital com as regras do processo seletivo. Basta preencher formulário de cadastro e enviar carta motivacional para o e-mail [email protected] Haverá, como segunda fase, uma entrevista com os interessados. 

Nova Rota

O Nova Rota surgiu de um desejo dos advogados Leandro Félix e Vitor Jardim Barbosa de mudar a realidade de ex-presidiários. Eles eram colegas na Faculdade de Direito (FD) da Universidade de São Paulo (USP) quando perceberam que viviam em um país com pouquíssimas oportunidades para pessoas egressas do sistema carcerário. Daí, no fim de 2019 nasceu a ideia de criar o projeto, que foi concretizado no início de 2020.

Edição: Nélio Neves de Andrade

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA