PORTO VELHO

Brasil

Confira transmissão de eclipse raro pelo Observatório Nacional

Brasil


Um eclipse solar bastante especial, mas que não foi visível para quem mora no Brasil, aconteceu nesta manhã. O melhor lugar de visibilidade do fenômeno foi a faixa que vai do centro-sul do Canadá, passa pela Groenlândia e termina no nordeste da Rússia. Nessas regiões, ocorreu o que os pesquisadores chamam de eclipse anular.

É quando a sombra da Lua, que fica entre a Terra e o Sol, não é suficiente para cobrir a nossa estrela. Mas é quase. No auge do eclipse anular, foi possível ver um aro de fogo solar ao redor da Lua. O eclipse parcial pôde ser visto na costa leste da América do Norte e no norte da Europa e da Ásia.

O próximo eclipse anular visível no Brasil será no dia 14 de outubro de 2023.

Alguns canais transmitiram esse espetáculo natural pela internet. Entre eles, o do Observatório Nacional, no YouTube. De acordo com a instituição, o eclipse desta quinta-feira começou por volta das 5h da manhã e o ponto máximo foi às 7h42, no horário de Brasília.

Leia Também:  Mega-Sena acumula e próximo concurso pode pagar R$ 90 milhões

O fim do eclipse parcial será às 10h11, de acordo com o Observatório Nacional. “Importante ressaltar que esses horários não são todos para um mesmo local, mas sim para o primeiro local que vai ver o início e o último local que vai ver o fim. Em um determinado local a duração do eclipse anular é de somente alguns minutos”, explica o Observatório Nacional.

A live foi conduzida e comentada pela pesquisadora do Observatório Nacional Josina Nascimento e pelo astrônomo James Solon, do Grupo de Astronomia de Pernambuco (AstroPE).

Confira a transmissão do Observatório Nacional:

Edição: Kelly Oliveira

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

Senado aprova MP que aumenta prazo de reembolso de serviços culturais

Publicados

em


O Senado aprovou a medida provisória (MP) que amplia o prazo para remarcação e reembolso de serviços nos setores de turismo e cultura não realizados em virtude da pandemia de covid-19. A MP já havia passado pela Câmara e agora segue para sanção presidencial.

O texto prorroga o prazo de providências, previsto em lei do ano passado, que baseava a validade das medidas no estado de calamidade pública decretado em 2020 e já encerrado. Assim, o consumidor poderá utilizar até 31 de dezembro de 2022 os créditos referentes ao valor pago por eventos, serviços ou reservas.

“A mesma crise que se vivenciou no ano passado se estenderá durante este ano, fazendo com que a medida provisória fosse editada”, afirmou o relator da matéria, Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), durante a sessão plenária.

Em seu relatório, ele destacou que a medida provisória pretende “equalizar um desequilíbrio gerado pela pandemia da covid-19, no qual os fornecedores tiveram a operação comprometida por um evento externo ao negócio”.

Essa é mais uma medida, daquelas tomadas pelo Congresso Nacional e pelo governo federal, para tentar preservar negócios, minimizando suas perdas, em um cenário onde eventos culturais foram cancelados, bem como voos, reservas em hotéis entre outras prestações de serviços turísticos. Isso ocorreu devido às recomendações para evitar aglomerações e, portanto, contaminação pelo covid-19, conforme recomenda a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Leia Também:  Governo federal autoriza reajuste de até 4,88% em remédios

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA