PORTO VELHO

Brasil

Construtor de prédio que desabou no Rio diz que obra era irregular

Brasil


O construtor do imóvel que desabou na manhã de quinta-feira (3) na localidade de Rio das Pedras, compareceu à polícia e disse que a construção era irregular. Genivan Gomes Macedo prestou depoimento espontâneo, no início da noite do mesmo dia do acidente, na 16ª Delegacia de Polícia, que investiga o caso.

Ele perdeu o filho, Nathan de Souza Gomes, e a neta, Maitê Gomes Abreu, no desabamento. Sua nora, Maria Quiaria, ficou presa nos escombros e continua hospitalizada. Genivan contou aos policiais que comprou o terreno onde foi erguido o prédio há cerca de 25 anos e foi construindo o imóvel aos poucos, com ajuda de pedreiros. Segundo ele, não havia planta do prédio e nunca foi contratado pessoal especializado para a obra. Também não havia escritura, tratando-se de posse.

Genivan disse no depoimento que não sabia haver qualquer tipo de problema com o imóvel. Ele relatou, porém, que há cerca de 15 dias uma janela do imóvel estourou, o que já podia ser os primeiros sinais de movimentação da estrutura, mas se pensou que tivessem jogado alguma pedra contra a vidraça.

Leia Também:  MENTINDO: Deputados assinam pedido de CPi contra Lava jato e depois dizem que não assinaram

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

Operação da PF combate fraudes contra benefícios previdenciários

Publicados

em


A Polícia Federal (PF), juntamente com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, deflagrou hoje (23) a Operação Senha Forte, para combater um grupo criminoso que fraudava benefícios previdenciários em vários estados, com prejuízos aos cofres públicos.

De acordo com a PF, os investigados promoviam a inclusão fraudulenta de dependentes/curadores fictícios nos sistemas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), com vistas a levantamento de valores indevidos.

A investigação teve início com a prisão em flagrante de falsos dependentes/curadores, na cidade de Feira de Santana, na Bahia, em maio do ano passado, quando, fraudulentamente, tentavam sacar cerca de R$ 80 mil, referente a um benefício manipulado.

 Nesta nova ação policial foram cumpridas seis medidas judiciais: três mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária, nas cidades de Guarulhos, Ferraz de Vasconcelos e São Paulo, no estado de São Paulo, tendo como alvo pessoas que tinham por função arregimentar os falsos dependentes/curadores.

A PF estima que o prejuízo já supera R$ 31 milhões, em relação a mais de 100 benefícios previdenciários suspeitos. Valor que pode aumentar com o decorrer das investigações.

Leia Também:  Vacina contra chikungunya já passa por testes em humanos

Edição: Aécio Amado

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA