PORTO VELHO

Brasil

Monumento histórico, túmulo vazio de JK reina solitário no cemitério

Brasil

 

As crianças do Distrito Federal aprendem desde cedo, em aulas de história e passeios escolares, que os restos mortais de Juscelino Kubitschek estão no Memorial JK, no centro da cidade. E está correto. Mas no cemitério Campo da Esperança, principal cemitério do Distrito Federal, o fundador de Brasília também tem um túmulo. Apesar de seus restos mortais não repousarem lá, o local conserva a elegância e a atmosfera solene digna do homem que levantou o uma capital federal em apenas três anos.

O túmulo de JK no Campo da Esperança se tornou uma nota de rodapé na história do presidente, a ponto de brasilienses de menos de 40 anos sequer saberem de sua existência. Mas ele continua lá, como parte de uma paisagem solitária e silenciosa. Na verdade, encontra-se no local mais nobre do cemitério, a Praça dos Pioneiros. O destaque da praça é um espaço todo em mármore, com pouco mais de 8 metros de largura por 5,5 metros de comprimento, cercado por correntes. No meio da campa larga, o espaço reservado ao corpo do presidente. Abaixo do seu nome, uma descrição simples, mas mais que suficiente: O Fundador.

Túmulo vazio de Juscelino Kubitschek, no cemitério Campo da Esperança, em Brasília. Túmulo vazio de Juscelino Kubitschek, no cemitério Campo da Esperança, em Brasília.

Túmulo vazio de Juscelino Kubitschek, no cemitério Campo da Esperança, em Brasília. – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Design familiar

Aqueles acostumados a verem o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal serão rapidamente arrebatados pela sensação de déja vu ao visitarem o túmulo de Juscelino. Uma singela escultura à frente do jazigo do presidente, como um guarda permanente do descanso presidencial, é carregada de familiaridade.

Trata-se de um obelisco, de linhas curvas e suaves, que tem a função de porta-velas, mas caberia sem estranhamento algum na Praça dos Três Poderes. É claro, nada mais justo que o túmulo do fundador de Brasília fosse projetado por Oscar Niemeyer. Foi feito com sobras do mármore usado na construção de Brasília.

O funeral

O corpo do presidente mais importante da história de Brasília esteve no Campo da Esperança entre 1976 e 1981. O dia do seu enterro está na memória de muitos que viveram naquela época. Roosevelt Dias Beltrão, presidente do Clube dos Pioneiros de Brasília, conta com a clareza de quem acabou de viver o momento.

“Foi uma multidão danada. Largaram para trás o caminhão que levava e o caixão foi nas costas dos pioneiros. Desceram pela W3 Sul até chegar lá no cemitério. Não pesou pra ninguém porque tinha uma multidão que você nem imagina. Uma presença merecida, né? Nenhum presidente teve o carisma que ele teve, fez o que ele fez. Construiu Brasília sem dinheiro, prometeu, inaugurou”, lembrou. “Acho que [o túmulo] deveria ser mais valorizado”,.

Em depoimento gravado à época da inauguração do Memorial JK, local totalmente voltado a preservar a história do ex-presidente, a viúva de JK, Sarah Kubitschek, lembrou do dia em que entregou aos braços do povo o corpo do marido. “Vendo aquela multidão chorando e gritando o nome de Juscelino, eu tomei coragem e reparti com o povo aquele ser querido que nos pertencia. No tumulto da ocasião, levantei a minha voz e disse: levai-o, JK pertence ao povo. O enterro de JK ficou sendo a primeira manifestação concreta de que novos horizontes se abriam para a nação.”

Juscelino Kubitschek , velório , enterro Juscelino Kubitschek , velório , enterro

A multidão  carrega o caixão de  Juscelino Kubitschek durante o enterro- Agência Nacional

Beltrão também não economiza elogios para o projetista do túmulo presidencial. “Niemeyer acompanhou o Juscelino até depois da morte dele. Niemeyer era outra capacidade também, não é?”. Mas a permanência de JK no Campo da Esperança foi curta. A ideia de erguer um memorial em homenagem ao presidente, com a guarda dos seus restos mortais, foi de Sarah.

Juscelino Kubitschek , velório , enterro Juscelino Kubitschek , velório , enterro

A multidão levou o caixão desde a W3 Sul até o cemitério Campo da Saudade – Agência Nacional

“Durante três anos ele repousou no Campo da Saudade, num túmulo modesto feito por Oscar Niemeyer. Mas eu tinha prometido erguer um memorial em Brasília, que era também um anseio do povo brasileiro”, contou a primeira-dama no depoimento. A área foi cedida pelo governador do Distrito Federal à época, Aimé Lamaison. No dia da inauguração, em 12 de setembro de 1981, os restos mortais exumados de JK foram depositados em um ataúde negro ao som do toque de silêncio do clarim de um fuzileiro naval.

Memorial JK. Memorial JK.

Memorial JK, onde descansa o corpo do ex-presidente. – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Atualmente, no primeiro túmulo de Juscelino permanecem os restos mortais da própria Sarah Kubitschek e da filha do casal, Márcia, ladeando o espaço reservado ao presidente. Mas o local ficou completamente vazio por quase 15 anos, servindo como um monumento à grandeza do presidente preferido no coração dos brasilienses. Sarah faleceu em 1996, aos 87 anos, e Márcia em 2000, aos 56 anos.

Veja imagens do cortejo de Juscelino Kubitschek:

Praça dos Pioneiros

A Praça dos Pioneiros, onde o túmulo de Juscelino foi erguido, é local de repouso exclusivo para pioneiros e autoridades que participaram da construção de Brasília. É uma praça bem arborizada, onde estão hasteadas as bandeiras do Brasil, do Distrito Federal e de Minas Gerais, terra natal de JK. A praça é o primeiro ponto da Ala dos Pioneiros. Nessa área do cemitério, reservada aos primeiros moradores da cidade, o enterro só ocorre com a autorização do Clube dos Pioneiros de Brasília.

Túmulo vazio de Juscelino Kubitschek, no cemitério Campo da Esperança, em Brasília. Túmulo vazio de Juscelino Kubitschek, no cemitério Campo da Esperança, em Brasília.

Túmulo de Juscelino Kubitschek, no cemitério Campo da Esperança, em Brasília. – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Além do túmulo de Juscelino, onde hoje repousam Sarah e Márcia, também estão na praça os túmulos do engenheiro agrônomo Bernardo Sayão; de Joffre Mozart Parada, o primeiro engenheiro a chegar na nova capital; e do padre italiano Primo Scussolino, primeiro clérigo a chegar a Brasília. Também descansa na praça o ex-governador do Distrito Federal Joaquim Domingos Roriz, falecido em 2018.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ninguém acerta as dezenas e prêmio da Mega-Sena acumula em R$ 18 milhões
Propaganda

Brasil

Digital Day: BB e Sebrae fazem parceria para levar wi-fi a mil cidades

Publicados

em

 

O Banco do Brasil, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Ministério das Comunicações assinaram hoje (5), em comemoração ao Digital Day, um protocolo de intenções para levar internet móvel para mil cidades que ainda não possuem infraestrutura adequada de sinal. A cerimônia foi realizada no Palácio do Planalto, em Brasília.

A iniciativa, chamada de Wi-Fi Brasil, é coordenada pelo Ministério das Comunicações em conjunto com a Telebras. “O governo federal está indo onde ninguém vai. O Marechal Rondon, há 100 anos, tentou conectar a Região Norte com o Brasil. Ainda temos hoje o maior deserto digital lá. Já levamos mais de 14 mil pontos de internet ao longo do Brasil. Temos mais de 10 mil escolas rurais conectadas com o Wi-Fi Brasil”, afirmou o ministro Fábio Faria.

“Com este programa, estamos cuidando com muito carinho dos brasileiros, para que tenham acesso adequado à internet. Este é um verdadeiro trabalho de cidadania”, afirmou Fausto Ribeiro, presidente do Banco do Brasil e cossignatário da iniciativa.

Leia Também:  Subsídio para gás de cozinha será reduzido e preço deve subir

Segundo dados do ministério, mil cidades receberão cerca de 14 mil novos pontos de conexão sem fio. A iniciativa será complementada pelo leilão do 5G, que trará termos de comprometimento com a expansão da conectividade 4G para o interior do Brasil. Essa expansão será custeada pelas empresas que arrematarem as novas frequências.

Tecnologia 5G

Durante o evento, o presidente Jair Bolsonaro acionou simbolicamente a ligação do primeiro ponto de 5G standalone (aquele que funciona nas frequências totalmente dedicadas ao 5G) público do Brasil, no Palácio do Planalto.

O ministro Fábio Faria informou durante o evento que o ministério planeja inaugurar 20 pontos de 5G standalone pelo Brasil, mas as localidades que receberão o serviço ainda não foram reveladas.

O presidente Jair Bolsonaro visita a exposição sobre as aplicações práticas do uso da nova tecnologia 5G Standalone no Brasil, no Salão Negro do Congresso Nacional. O presidente Jair Bolsonaro visita a exposição sobre as aplicações práticas do uso da nova tecnologia 5G Standalone no Brasil, no Salão Negro do Congresso Nacional.

Bolsonaro visita a exposição Digital DayMarcelo Camargo/Agência Brasil

Logo após a cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente seguiu para o Congresso Nacional onde participou da abertura da exposição do Digital Day, no Salão Negro da Câmara dos Deputados.

Leia Também:  Ninguém acerta as dezenas e prêmio da Mega-Sena acumula em R$ 18 milhões

O Ministério das Comunicações criou o Digital Day para mostrar as aplicações do 5G, como na telemedicina, na realidade virtual, na automação mecânica e na inteligência artificial. A exposição do Digital Day é aberta ao público e vai de hoje (5) até sexta-feira (7), no Congresso Nacional.

Confira a cerimônia no Palácio do Planalto:

*Matéria atualizada às 12h15

Edição: Kelly Oliveira

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA