PORTO VELHO

Brasil

Rio: Polícia indicia três agentes envolvidos na morte de jovem em 2020

Brasil


Três policiais civis foram indiciados pela morte do jovem João Pedro Matos Pinto, de 14 anos, baleado em maio do ano passado, durante uma operação da Coordenadoria de Recursos Especiais, a força de elite da Polícia Civil. O adolescente e outros amigos estavam em uma casa, no município de São Gonçalo, que acabou invadida e atingida pelos disparos efetuados pelos policiais, na busca por traficantes.

A informação sobre o indiciamento dos agentes foi divulgada, em nota, pela própria Polícia Civil. “A Polícia Civil do Rio de Janeiro responsabilizou três policiais civis da Coordenadoria de Recursos Especiais pela morte do adolescente João Pedro, ocorrida no dia 18 de maio de 2020, em Itaoca, São Gonçalo. Para a autoridade policial que presidiu o fato, os policiais agiram sob erro quanto aos pressupostos fáticos da legítima defesa, supondo haver uma injusta agressão atual ou iminente que, na verdade, não houve comprovação de sua existência”, expressou a corporação.

Segundo a nota, os três agentes praticaram homicídio doloso, “tendo o fato sido tratado como culposo por imposição legal”. O relatório segue para o Ministério Público.

Leia Também:  Museu Nacional prevê concluir obras na sede ainda este ano

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

Operação da PF combate fraudes contra benefícios previdenciários

Publicados

em


A Polícia Federal (PF), juntamente com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, deflagrou hoje (23) a Operação Senha Forte, para combater um grupo criminoso que fraudava benefícios previdenciários em vários estados, com prejuízos aos cofres públicos.

De acordo com a PF, os investigados promoviam a inclusão fraudulenta de dependentes/curadores fictícios nos sistemas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), com vistas a levantamento de valores indevidos.

A investigação teve início com a prisão em flagrante de falsos dependentes/curadores, na cidade de Feira de Santana, na Bahia, em maio do ano passado, quando, fraudulentamente, tentavam sacar cerca de R$ 80 mil, referente a um benefício manipulado.

 Nesta nova ação policial foram cumpridas seis medidas judiciais: três mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária, nas cidades de Guarulhos, Ferraz de Vasconcelos e São Paulo, no estado de São Paulo, tendo como alvo pessoas que tinham por função arregimentar os falsos dependentes/curadores.

A PF estima que o prejuízo já supera R$ 31 milhões, em relação a mais de 100 benefícios previdenciários suspeitos. Valor que pode aumentar com o decorrer das investigações.

Leia Também:  Mega-Sena, concurso 2.117: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 38 milhões

Edição: Aécio Amado

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA