PORTO VELHO

Brasil

SP: Alunos das escolas públicas serão aprovados automaticamente em 2020

Brasil


Aqueles alunos que não realizaram nenhum tipo de atividade em 2020 ainda terão uma chance de passar de ano

O Conselho Estadual de Educação de São Paulo aprovou na última quarta-feira (4) a progressão continuada de todas as séries de 2020 para os alunos da rede pública que realizaram as atividades propostas durante o período de pandemia.

Aqueles alunos que não realizaram nenhum tipo de atividade em 2020 ainda terão uma chance de passar de ano ao serem convocados para a realização de atividades de recuperação presencial em janeiro de 2021.

São Paulo segue o modelo adotado por outros países com o fechamento das escolas. O Secretário de Educação do Estado, Rossieli Soares, precisa homologar a decisão. Ele já antecipou que nenhum aluno seria reprovado . Os anos de 2020 e 2021 serão considerados um único ciclo de letivo continuado, com 8 bimestres a serem considerados.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Motores do avião que caiu com Marília Mendonça são resgatados

Propaganda

Brasil

Mostra Cine Educação Direitos Humanos começa nesta quarta-feira no Rio

Publicados

em


Começa hoje (8) à noite, no Rio de Janeiro, a 2ª Mostra Cine Educação Direitos Humanos. Será a primeira edição do evento em formato presencial. A primeira edição do festival, realizado pelo Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro (Sinpro-Rio), foi em 2018. O homenageado desta edição é o educador e filósofo pernambucano Paulo Freire, patrono da educação brasileira, cujo centenário de nascimento está sendo comemorado neste ano.

O Festival de Cinema e Educação – Cine Educação exibe filmes de curta, média e longa metragens, com temas relacionados à educação e aos direitos humanos, seguidos de debates com especialistas. A abertura será no Espaço Cultural Viaduto de Realengo, na zona norte da capital, e o evento se estenderá até o dia 10. Amanhã (9), as apresentações serão na sede do Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, no centro da cidade, e na sexta-feira (10), no Museu da História e Cultura Afro-Brasileira, na Gamboa. Todas as apresentações começam às 19h.

O evento é gratuito e marca a Semana do Dia Internacional dos Direitos Humanos, comemorado no próximo dia 10.

Temáticas

Nesta quarta-feira, serão exibidos curtas metragens dentro do eixo Direitos Humanos e Espaços Urbanos. Os filmes são Muquiço: Boas Histórias Ainda Não Contadas; Histórias Maravilhosas da Bezinha; É Rio ou Valão?; e Re Existo. O debate terá a participação de Oberdan Ferreira, idealizador, fundador e presidente do Espaço Cultural Viaduto de Realengo; e Bernard Brito, curador do Cine Educação.

Leia Também:  Placas do Mercosul e multa para ciclista: veja o que muda na lei de trânsito em 2019

Amanhã (9), dentro do eixo Cidadania LGBTQIA+ e Direitos Humanos, o público poderá assistir aos filmes Linha de Impedimento: a História de uma Mulher e do Homem que Não Queria que Ela Jogasse; LGBT Sem Terra: O Amor Faz Revolução; Jovana Baby: Uma Trajetória do Movimento de Travestis e Trans no Brasil. Os debatedores serão Bernard Brito e o educador e dirigente do Coletivo LGBT do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Vinicius da Silva Oliveira.

Encerrando a programação, no dia 10, serão apresentados, dentro do eixo Direitos Humanos e Antirracismo, os filmes Histórias de Yayá: A Concha; Diferentes Opiniões; Nossa Luta: A Perseguição de Negros Durante o Nazismo; e Intolerâncias da Fé. O debate contará com a participação de Reinaldo Sant’Ana, autor do filme Histórias de Yayá: A Concha; Leandro Carvalho, sociólogo; Fernando de Sousa, cineasta e coautor do filme Intolerâncias da Fé; e do curador Bernard Brito.

Em atendimento às normas sanitárias vigentes, é indispensável a apresentação de passaporte de vacinação na entrada do evento e o uso de máscaras. A Mostra Cine Educação Direitos Humanos é apoiada pela Fundação Heinrich Böll e tem como parceiros o Movimento Nacional dos Direitos Humanos (MNDH), o Grupo Arco-Íris de Cidadania LGBT, o Espaço Cultural Viaduto de Realengo e o Museu da História e Cultura Afro-Brasileira. A realização é do Sinpro-Rio e da B7 Curadoria e Eventos.

Leia Também:  Velório de Marília Mendonça nesta tarde deve receber 100 mil pessoas

Declaração da ONU

Considerada o documento mais traduzido da história moderna, a Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 73 anos em 2021 e está disponível em mais de 360 línguas. Para os responsáveis pelo Cine Educação, nem por isso o documento é amplamente conhecido pela população mundial, o que eleva o desafio de disseminar a declaração e, principalmente, de fazê-la ser respeitada de maneira plena. Para eles, o cinema é importante ferramenta na reafirmação de uma noção de direitos e inclusão social.

Pelos serviços prestados à cultura e à educação, o Cine Educação recebeu o Diploma Heloneida Studart Mérito Cultural 2020/21, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA