PORTO VELHO

Colunistas

O POLÊMICO GILMAR MENDES FALOU DEMAIS, MAS ACERTOU EM CHEIO!

Colunistas

O polêmico ministro Gilmar Mendes criou….mais polêmica! Ele já brigou com meio mundo, diz exatamente o que pensa; se expõe, como se não fosse ministro da Suprema Corte, mas apenas um político que adora bater boca e, mais que isso, não poupa a nada e a ninguém das suas críticas mordazes. A penúltima (porque, claro, a última ainda está por vir), foi uma esculhambada que ele deu no Tribunal Superior do Trabalho, mais uma dessas excrescências que a República Sindicalista brasileira impõe à população. O TST é mesmo daquelas instituições que, se extintas, não fariam falta alguma. É um pacote de gastos imensos, que custa milhões e milhões de reais ao país e que, como resultado final, dá quase zero em troca. Dessa vez cheio de razão (embora não devesse andar falando como uma lavadeira), o ministro Gilmar Mendes afirmou que  “o TST se transformou num laboratório do PT..” Depois acrescentou que “o aparelhamento foi exitoso exatamente no âmbito do TST. Hoje, o tribunal é composto por muitos simpatizantes que foram indicados pela CUT. E nós temos um direito do trabalho engessado. O país tem 13 milhões de desempregados e com um sistema inflexível”. Bingoooooo! Em poucas frases, disse tudo, embora, mereça repetição, não é da alçada de um ministro da Suprema Corte opinar sobre esse tema e ainda dessa maneira. Mas, já que ningué­m tem a coragem de dizer, que o diga o falastrão Gilmar Mendes.  

O TST tem hoje  27 ministros (escolhidos entre pessoas entre 35 anos e  65 anos), nomeados pelo presidente da República após aprovação pelo Senado. Não é inacreditável? A primeira pergunta é óbvia: para que 27 ministros num tribunal? A resposta é clara: para colocar apaniguados, para aparelhar a Justiça do Trabalho; para manter a República Sindicalista no poder, não importa o custo que isso tenha ao País. Para construir prédios suntuosos, ampliar mordomias e engessar as relações trabalhistas, não importa quantos milhões de desempregados o país tenha.  Gilmar Mendes geralmente fala demais para um ministro do STF. Mas dessa vez, ao menos, acertou em cheio. Está na hora de se repensar não só o TST, mas também toda a superestrutura gastadora, que custa bilhões aos cofres públicos, da nossa bilionária Justiça do Trabalho.

 

BOMBA EM CANDEIAS

Se o que se ouve nos bastidores policiais tiver apenas um pouco de verdade, pode estar para explodir uma bomba de proporções destruidoras, em breve, nessas terras rondonienses. O caso tem a ver com o assassinato do prefeito de Candeias do Jamary, Chico Pernambuco, fuzilado covardemente quando chegava em sua casa, na noite de 19 de março. Cinco dias depois, a polícia colocou a mão no principal suspeito do crime, preso no Assentamento Joana D´Arc, a cerca de 100 quilômetros de Porto Velho. O homem, pego com uma arma suspeita de ter sido usada no crime, com drogas e que já tem passagem pela polícia, seria suspeito de ter sido contratado para matar o conhecido político. Claro que tudo isso faz parte, ainda, apenas das investigações iniciais. O preso teria negado qualquer participação no crime, mas experientes policiais afirmam que não há dúvida de que foi o homem preso quem cometeu o assassinato. E a bomba? O suspeito seria parente de um parente de importante autoridade de Candeias do Jamary. Ou seja, o rolo pode ser enorme, se houver fundo de verdade nessa história.

Leia Também:  #VIDENTE: O terremoto de Rondônia

 

OS PETISTAS SE DIVIDEM

O domingo levará o PT rondoniense bastante dividido para as urnas. O comando estadual seria disputado por dois nomes bastantes conhecidos do partido. Um deles, com mandato e outro sem. Vão disputar a presidência regional o ex prefeito de Alto Alegre dos Parecis e ex deputado federal o também ex Padre Ton (agora não é mais padre) e o atual deputado estadual Lazinho da Fetagro. A disputa está acirrada, mas no momento, pelo que se sabe dos bastidores, Lazinho estaria à frente, na preferência dos petistas rondonienses. Já em Porto Velho, a disputa também é entre dois grupos. O da ex senadora Fátima Cleide terá como candidata sua irmã, a professora  Cléia Siqueira. Já a turma do ex prefeito Roberto Sobrinho, que ainda tem o domínio sobre a maioria do diretório municipal (ou ao menos tinha até recentemente), vai entrar na disputa com o nome do auditor fiscal, Professor Israel. A votação será das 9h da manhã às 17 horas, durante esse domingo que está chegando, dia 9. Embora da porta para fora o PT esteja enfrentando grandes problemas, internamente, no partido, há ainda muita ebulição política.

 

RESPEITANDO A LEI

Marco Antônio Farias vinha realizando um bom trabalho à frente da Emdur, a empresa de economia mista da Prefeitura, que é responsável pela iluminação pública da cidade. Sua ação, à frente de uma instituição complexa e que viveu péssimos momentos durante o governo Roberto Sobrinho e depois teve avanços com Mauro Nazif, melhorando bastante a iluminação da Capital (mas ainda assim, muito longe do ideal), estava demonstrando que no governo Hildon Chaves, ele teria papel relevante. O problema que Marco Antônio encontrou pela frente foi que sua nomeação era ilegal. A Lei 13.300, que está em vigor desde o ano passado, veda a dirigente de partido político a atuação como dirigente de empresa estatal. Como presidente municipal do PR, sua atuação à frente da Emdur, estava contrária à legislação. O secretário, que permaneceu pouco mais de 90 dias à frente da Emdur, teve então que pedir sua exoneração, conforme nota que expediu sobre o assunto, nessa semana.

 

 

 

A RODOVIA DA BURAQUEIRA

Mais uma voz se eleva pela recuperação e duplicação da BR 364. Os senadores Ivo Cassol e Valdir Raupp, além de vários deputados federais, já tinham se pronunciado sobre o assunto, Agora, Acir Gurgacz seguiu o mesmo caminho. Exigiu do Dnit ações urgentes para recuperar a rodovia e propôs uma audiência pública, em Porto Velho, para debater as questões da péssima condição da nossa principal rodovia, além da necessidade de duplicação da 364. A audiência está agendada para 30 de abril, na Capital, em local e horário ainda a serem divulgados. Para ele, em breve, se não forem tomadas medidas urgentes, vários trechos da BR 364 poderão ficar interditados, com o risco de isolar Rondônia e Acre do resto do Brasil. A duplicação da 364 tem que se tornar pauta de toda a bancada federal, do Governo do Estado e de todas as lideranças do Estado, sejam da política ou da área econômica. Não dá mais para se conviver com essa rodovia do terror, que mata todos os dias.

Leia Também:  A terçeira força

O TRABALHO DA PM

Nove foragidos presos em menos de 24 horas. Alguns deles, pegos pela segunda vez. Mais de 30 motoristas flagrados com suspeita de embriaguez ao volante, em dois dias. Pelo menos 10 casos de agressões, muitos deles de maridos ou companheiros ciumentos contra suas mulheres. Pelo menos três assaltantes pegos. O resultado é de apenas 48 horas de trabalho da Polícia Militar de Rondônia. Todos os dias, a violência que assola todo o Estado, assim como o faz no país inteiro, é pelo menos diminuída, graças a ação dos policiais que estão nas ruas. Correndo risco de vida, mesmo com salários baixos e muitas vezes apenas com as mínimas condições de trabalho. E ainda tem quem defenda os bandidos, tentando criminalizar a polícia. É essa inversão de valores que também está causando sérios danos à segurança pública. A pior delas, contudo, continuam sendo as leis canalhas, feitas para proteger a bandidagem, que entra por uma porta e sai pela outra das delegacias. Mas daí, já é outra história!

 

 

BOA GESTÃO É A DIFERENÇA

 

Tem que se destacar o trabalho que vem sendo realizado, com grande competência, por Waldo Alves, à frente da Secretaria de Educação do Estado.  Pessoa da mais alta confiança do governador Confúcio Moura, Waldo abriu mão de dias tranquilos, na sua vitoriosa vida profissional, para assumir a maior e mais complexa secretaria, com o maior orçamento e com problemas proporcionais a ele. Há uma série de desafios, enormes e diários, mas a Seduc está num movimento de melhoria em praticamente todos os seus setores. Waldo assumiu recentemente, mas os resultados dos seu trabalho e de sua equipe já podem ser observados. Claro que há ainda muitas pendências, mas até o final do mandato de Confúcio, Waldo pretende entregar a Secretaria enxuta, com escolas em bom estado e com  as principais deficiências resolvidas. Na administração pública, nem sempre o problema maior é a falta de recursos. Quando há um bom gestor, as coisas andam bem. A ação de Waldo Alves na Seduc comprovam isso.

 

 

PERGUNTINHA

Quando for totalmente esclarecido o assassinato do então prefeito de Candeias, Chico Pernambuco, poderá sobrar para quem ninguém imaginava que poderia estar envolvido ou foi apenas um crime comum?

 

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Artigos

O DIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA

Publicados

em

Ele esperava por aquela data como se fosse casar ou se formar. Milhões, para não dizer bilhões, na verdade, esperavam. Em todo o mundo.

Desde fevereiro ou março ele desejara ardentemente que gostaria de se vacinar contra a COVID-19 até o seu aniversário, dali a três, quatro meses. Por volta de maio, há algumas semanas da sonhada data, ele passara a profetizar que iria ser vacinado no dia de seu nascimento.

Cadastrou-se no aplicativo da Prefeitura de Porto Velho/RO e ficou aguardando. Ansiosamente.

Foi acompanhando, passo a passo, o ritmo da vacinação e não é que, pela lógica do andamento, bem como sua faixa etária, não seria possível conciliar as duas tão relevantes datas?

No entanto, a confirmação efetiva veio apenas na noite anterior. Sua noiva deu-lhe a boa nova e ainda comentou: “Meu Amor, você vai ser vacinado no dia do aniversário, como você havia dito. Olha só como Deus é bom com você?”

Mais algumas informações básicas obtidas com a Secretária Municipal de Saúde e tudo pronto. No dia 22 de junho ele realizaria o sonho de bilhões ao redor do mundo. Seria, finalmente, imunizado!

No felizardo dia, colocou a sua melhor roupa; “roupa de tirar sangue” – como os antigos chamavam. Além de ser roupa de trabalhar.

Chamou o UBER e só nessa hora percebera que o cartão cadastrado havia sido recusado. Os poucos trocados que tinha na carteira foram o suficiente para pagar a corrida e dar uma boa gorjeta (quase o dobro) para o gentil motorista, Sr. Ênisom.

Chegou lá bem antes do início da vacinação. Queria mesmo ser vacinado na data em questão. No entanto, tinham alguns mais ansiosos. Para ser mais exato, de 800 a 1000 pessoas. Não importava. Aguardaria o que fosse preciso. Por precaução, levara consigo um livro (Roosevelt, de Lord Roy Jenkins) para ler.

Na fila, parecia que a capital inteira estava lá. Divertira-se bastante conversando com muitas pessoas. Que dia agradabilíssimo!

Lembrara-se que vira, num jornal qualquer, que, nos Estados Unidos, o governo estava premiando e mesmo dando dinheiro para quem fosse se vacinar. Por aqui, as pessoas se acotovelavam para conseguir o imunizante. Cerca de meia hora depois que chegara a fila já havia dobrado!

Neste ponto, que me perdoe nosso Presidente da República, os brasileiros têm razão!

A conversa com as pessoas, aliada à eficiência do pessoal da Prefeitura, fez com que nem necessitasse abrir o livro.

Chegou a aguardada hora. Primeira dose, três dias sem beber e ponto final. Imunizado!

Estava radiante. Tão feliz que se sentiu na “obrigação” de fazer um discurso. Pediu a atenção de todos e disse algo mais ou menos assim:

Leia Também:  #VIDENTE: O terremoto de Rondônia

“Atenção, sou Reginaldo Trindade, do Ministério Público Federal.

O mundo inteiro está de joelhos e mesmo de luto diante dessa pandemia.

No entanto, isso vai passar, como tudo na vida.

Gostaria de parabenizar, com toda a força do meu coração, todos vocês.

Vocês, profissionais da saúde, são soldados! Soldados de branco a serviço da vida!”

As breves palavras (o serviço não podia parar!) foram sucedidas de caloroso aplauso de todos que ali estavam.

Não perguntem o porquê, mas justamente na hora em que iria vacinar-se havia uma equipe de televisão no local que registrou tudo. Deve ter sido uma dessas coincidências que só Deus explica, na medida em que somente sua noiva, familiares e servidores que trabalhavam consigo sabiam que ele receberia sua vacina naquela data.

Pediram-lhe e ele concedeu uma entrevista.

Falou da sensação de alívio e, talvez até exagerando um pouquinho, comparou o dia com a data de sua formatura, de seu casamento, do seu divórcio, do seu noivado e do nascimento dos filhos.

Chegou até a concitar as pessoas a tomarem a segunda dose. Segundo viu no noticiário, são milhões que não voltaram para o reforço.

Lamentou apenas o fato de que perdera seu irmão há pouco mais de dois meses para o maldito vírus.

Findos os trabalhos – vacinação, discurso, entrevista –, foi embora.

Embora pudesse cadastrar outro cartão no aplicativo do UBER, preferiu voltar a pé.

Nada melhor que uma boa caminhada para pensar na vida – em como ela era generosa consigo.

O clima de “quase neve” no dia ajudou muito na incomum decisão. Se fosse dia de sol abrasivo na Capital das Terras de Rondon ou, como diria o Prefeito Dr. Hildon Chaves, “com um sol para cada cidadão”, de certo que não ousaria tanto. Não haveria felicidade, nem empolgação que permitisse a façanha.

No caminho, meditara bastante.

Relembrara que, certa feita, fora a um Stand Up Comedy em São Paulo/SP e o comediante contou uma piada assim: que o lugarejo era tão pobre, mas tão pobre que o sonho de uma criança de oito anos era tomar uma vacina. Jamais imaginara que o mundo inteiro estaria nessa condição tão singular dali a tantos anos.

Não se cansava de dizer que quando os números de mortes, por mais horrendos que fossem, começassem a alcançar pessoas próximas, as estatísticas virariam lágrimas.

Até a Páscoa deste ano falava, com muito alívio e gratidão, que sua família e até mesmo amigos mais próximos haviam sido todos poupados.

A partir daquele domingo, porém, seu discurso mudou.

Seu irmão caçula, o mais próximo de si, foi levado precocemente pelo flagelo do novo milênio – ao menos até agora.

Leia Também:  É estarrecedor verificar como funcionam políticos e partidos no Brasil

Ele foi internado no domingo de Páscoa; dali a oito dias foi entubado e bastaram dois dias de UTI para o implacável vírus levá-lo.

Apesar da dor da perda, lembrava não com raiva por eventual atraso/ausência na compra das vacinas. Não culpava ninguém.

Jesus Cristo, Nosso Senhor, tem desígnios que estão muito acima de nossa vã compreensão – tentava confortar-se.

Seria hora de celebrar a vida. E uma vida extraordinária, recém-renascida, é para ser muito celebrada!

Quanto ao irmão, sua passagem, curiosamente, teve um significado todo especial para ele. Aprendera muito com o caçula da família. Sua gratidão era tamanha que resolvera até fazer uma homenagem em camisetas e outdoor:

“Homem que viveu quase meio século da forma mais feliz possível.

Ele demonstrou, diuturnamente, também pela beleza radiante e iluminada do seu sorriso, que O SER HUMANO PRECISA DE MUITO POUCO PARA SER FELIZ E, MENOS AINDA, PARA VIVER.

Marido, Pai, Filho, Irmão, Amigo que levou ao extremo, em cada momento de sua abençoada vida, a máxima de Gandhi…

NÃO EXISTE UM CAMINHO PARA A FELICIDADE. A FELICIDADE É O CAMINHO!

Sua presença jamais morrerá com o seu corpo!

Muito obrigado, Meu Querido e Amado Irmão, por ter ensinado que nossas vidas têm que ser vividas de forma leve, gostosa, amena – porque viver é assim!

Muito obrigado por ME ENSINAR A SER FELIZ!!!!!!

Sou tão grato ao Altíssimo por ter convivido 45 anos, 07 meses e 14 dias contigo. Foram tantos momentos felizes e inesquecíveis…

Hei de, com a Graça de Deus, até o fim dos tempos, dar o meu melhor para retribuir, principalmente esforçando-me para, ao menos, tentar imitar-lhe a beleza da vida!!!!

Com MUITO AMOR,

Reginaldo Trindade”

_______________

Uma hora e quinze depois chegara em casa.

Estava alegre, aliviado, em êxtase.

Sua vida nunca mais seria a mesma…

____________

Dedicado ao Jovem Gilberto Trindade, o “Beto”, que partira tão cedo, menos de meio século de vida; mas que, mesmo assim, foi o bastante para aproveitá-la ao máximo. Tudo o que poderia….

_____________

REGINALDO TRINDADE

Procurador da República. Responsável, no Estado de Rondônia, pela Defesa do Povo Indígena Cinta Larga, de abril de 2004 a dezembro de 2017. Pós-Graduado em Direito Constitucional. Membro da Academia Rondoniense de Letras. Idealizador da Caravana da Esperança, do Bazar da Solidariedade, do Fórum do Amor e do Movimento FAROL DE ESPERANÇA – Resgatando VIDAS! (anteriormente denominado Dio: O resgate de uma vida). Futuro doador do Médico sem Fronteiras e do Greenpeace. Colaborador da Associação Pestalozzi, da Casa Família Rosetta e da Confrontando Gigantes. Ser humano abençoado.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA