PORTO VELHO

Brasil

Covid-19: Anvisa libera uso de Remdesivir para crianças

Brasil

 

Covid-19: Anvisa libera uso de Remdesivir para crianças
André Biernath – Da BBC News Brasil em São Paulo

Covid-19: Anvisa libera uso de Remdesivir para crianças

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta segunda-feira (21), a ampliação do uso do medicamento Remdesivir, vendido no Brasil pelo nome comercial de Veklury, para tratamento pediátrico contra a Covid-19.

O Remdesivir é um antiviral injetável, de uso hospitalar, produzido no formato de pó para diluição, em frascos de 100 mg.

Agora, ele poderá ser usado por bebês e crianças a partir de 28 dias e com peso igual ou superior a 3 kg, que tenham pneumonia e precisem também de administração suplementar de oxigênio.

Crianças pesando 40 kg ou menos, sem necessidade de administração suplementar de oxigênio, mas que apresentam risco aumentado para Covid-19 grave, também poderão fazer o tratamento com o medicamento.

O antiviral recebeu registro da Anvisa em março de 2021 e, desde então, vem tendo seu uso expandido.

A substância age impedindo a replicação do vírus no organismo, diminuindo o processo de infecção. Cerca de 50 países já autorizam o uso do Remdesivir.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

Máscara de proteção será obrigatória em vestibular da USP

Publicados

em

O uso de máscaras para prevenção contra a covid-19 será obrigatório no vestibular 2023 da Universidade de São Paulo (USP). A primeira fase ocorre no dia 4 de dezembro. A instituição informou que tem observado os impactos da variante BQ.1 do coronavírus e, por isso, divulgará um manual de biossegurança na próxima quinta-feira (1º). 

O manual do candidato, divulgado em agosto, já previa o uso do item. “É obrigatório o uso de máscaras de proteção facial para a realização das provas, exceto no momento do reconhecimento facial”, diz o texto. O documento também indicava que os procedimentos poderiam ser alterados de acordo com os protocolos estabelecidos pelas autoridades sanitárias do governo de São Paulo vigentes no momento do vestibular.

No último dia 16, a USP voltou a exigir a proteção facial em ambientes fechados da universidade. A medida incluiu salas de aula, auditórios, museus, laboratórios, bibliotecas, locais de atendimento ao público e setores administrativos. Entre esses espaços está o Museu do Ipiranga, que é ligado à universidade.

Leia Também:  AJUSTES - Unidades de saúde alteram horário de vacinação contra a covid-19 em Porto Velho

O uso de máscara como prevenção da covid-19 havia deixado de ser obrigatório em ambientes fechados da USP em 24 de agosto. Naquele momento, o uso seguiu obrigatório no transporte coletivo e nos serviços de saúde que funcionam nos campi da universidade.

Transporte público

A partir deste sábado (26), o uso de máscara no transporte público voltou a ser obrigatório na capital paulista. A decisão foi tomada com base na análise técnica do Conselho Gestor da Secretaria Estadual de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde para prevenir o avanço dos casos de covid-19.

O governo do estado recomendou também que a medida seja adotada por todos os municípios. Além disso, alerta a população para que todos completem o ciclo vacinal, importante para garantir maior proteção contra o coronavírus e amenizar os efeitos do vírus.

Segundo nota do conselho gestor da secretaria, divulgada na última quarta-feira (23), as internações por covid-19 em leitos de enfermaria e UTI cresceram 156% e 97,5% nos últimos 14 dias, chegando a uma média diária de mais de 400 novas internações.

Leia Também:  Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 90 milhões

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA