PORTO VELHO

Geral

Funarj distribui mais de R$ 500 mil para apoio ao setor cultural

Geral


O governo do estado do Rio de Janeiro, por meio da Fundação Anita Mantuano de Artes (Funarj), abriu inscrições hoje (4) para três novos editais voltados para o setor cultural, que vão distribuir aos vencedores mais de R$ 500 mil. 

Em entrevista à Agência Brasil, o presidente da fundação, José Roberto Gifford, disse que, desde o ano passado, com o começo da pandemia, cresceu a preocupação do órgão com o setor cultural, que considera “muito sofrido”. Em 2020, a Funarj lançou a primeira edição do edital Ondas da Cultura que premiou trabalhos inéditos dos segmentos de artes cênicas, música e dança, apresentados no Teatro João Caetano, no Rio. Foi feito também um protocolo de segurança sanitária para os teatros, o que permitiu que os equipamentos ficassem seguros.

“Os nossos teatros foram adaptados, têm aquele filtro absoluto e estão muito seguros. Com esse protocolo, abrimos os nossos teatros com lotação de um terço do que seria o normal” disse. Acrescentou que o auxílio emergencial concedido pelo governo federal é muito importante. Salientou, no entanto, que “o trabalho é importante. As pessoas começarem a produzir e a atuar também é importante. Então, começamos a pensar nesses editais. Fizemos um edital de montagem teatral, um de curtas metragens e outro de música ao vivo para levar música ao vivo aos teatros”.

Leia Também:  Festival da Casa do Choro homenageia músicos Zé Menezes e Dominguinhos

Prêmios

Agora, a Funarj está lançando três editais. O Prêmio Funarj/Roquette Pinto de Esquetes 2021 é o primeiro do gênero, depois de quase 90 anos, disse Gifford. A premiação foi elaborada em conjunto com a Rádio Roquette Pinto e objetiva que as pessoas possam atuar e dar conteúdo para rádio, além de propiciar a descoberta de novos talentos. O edital vai selecionar 20 esquetes, com duração de três a cinco minutos. Cada um receberá prêmio de R$ 2 mil. Os esquetes vencedores serão veiculados na Rádio Roquette Pinto no segundo semestre deste ano.

A segunda edição do edital Ondas da Cultura vai premiar 80 pessoas com até R$ 200 mil. O edital envolve trabalhos artísticos inéditos que serão gravados em vídeo por profissionais dos segmentos de artes cênicas, música e dança. Os selecionados serão exibidos no canal da Funarj no YouTube.

Já o Prêmio Funarj de Clipes Musicais distribuirá R$ 25 mil para cada um dos 12 projetos vencedores de videoclips. Os selecionados terão seis meses para elaborar o clip e entregar à Funarj. A exibição dos premiados acontecerá em um festival de clipes musicais no Teatro João Caetano, previsto para o início de 2022.

Leia Também:  Novela Os Dez Mandamentos impulsiona horário nobre na TV Brasil

Trabalho

O presidente da Funarj destacou, ainda, que os editais são, na verdade, parte de um programa que pretende amenizar o sofrimento da área cultural.

“Para que as pessoas saibam, de alguma forma, que elas têm condições de trabalhar, que elas podem trabalhar e vão ter onde mostrar aquilo que fizeram e que têm condições de fazer. Essa é uma preocupação da Funarj, do governador do estado [Cláudio Castro] que é, inclusive, um homem da cultura. Essa é a mensagem: as pessoas precisam trabalhar, mesmo na pandemia”.

Os vencedores serão divulgados dentro de 45 dias, a partir de hoje, data de publicação dos editais. 

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

Ministro defende construção de laboratório de biossegurança máxima

Publicados

em


O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marcos Pontes, defendeu a construção de um laboratório de biossegurança máxima (nível 4) no Brasil. De acordo com ele, o local escolhido para a instalação será o Centro Nacional de Pesquisas em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas, no interior do estado de São Paulo. 

“O MCTI está liderando um movimento, junto com outros ministérios, para que possamos construir no país um laboratório de biossegurança máxima, nível 4. Foram feitos vários seminários, encontros, reuniões, e nós vamos construir isso para defender a nossa população”, disse o ministro em visita ao CNPEM nessa segunda-feira (17).

No local, já funcionam quatro laboratórios de tecnologia avançada, o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), que opera o Sirius, o mais moderno acelerador de partículas brasileiro; o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio); o Laboratório Nacional de Biorrenováveis (LNBR); e o Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano).

“O fato de termos um laboratório de biossegurança 4, associado a uma instalação como essa do Sirius, vai nos colocar à frente de muitos países. Já existe muito interesse internacional nas pesquisas que podem ser realizadas”, destacou o ministro.

Leia Também:  Ceará receberá cilindros de oxigênio após explosão em fábrica

“O local escolhido para esse laboratório é essa instalação, o CNPEM, o Centro Nacional de Pesquisas em Energia e Materiais. Acho que não preciso nem falar o porquê, com toda essa associação com outras tecnologias aqui”, acrescentou Pontes.

Estruturas com nível 4 de biossegurança são capazes de manipular com segurança vírus e bactérias de alta periculosidade, como o vírus do ebola.

Segundo o Ministério da Defesa, o grupo de trabalho interministerial que trata do assunto atua na elaboração de uma proposta de construção de um laboratório desse porte no Brasil desde agosto de 2020. O grupo terá que apresentar, até o fim de 2021, um relatório à Câmara de Relações Exteriores e Defesa Nacional (Creden) para viabilizar o projeto, associado a uma Política Nacional de Biossegurança e Bioproteção.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA