PORTO VELHO

Geral

MMA abre edital para concessão da Floresta Nacional de Canela, no RS

Geral


O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, lançou hoje (6), o edital para concessão da Floresta Nacional de Canela (Flona de Canela), localizada no Rio Grande do Sul. O objetivo é fomentar o ecoturismo nessa unidade, a exemplo de outras frentes similares que estão sendo desenvolvidas em outros parques nacionais e unidades de conservação federais.

De acordo com o MMA, o edital, lançado em evento no município gaúcho de Canela, “estabelece obrigações para os investidores, como a manutenção da brigada de incêndio da unidade e o monitoramento e manejo de espécies”, conforme informa o ministério.

A expectativa é de que a concessionária vencedora realize também serviços como a manutenção, limpeza e infraestrutura, de forma a tornar a experiência de ecoturismo mais atrativa e segura.

“Conforme modelagem desenvolvida em conjunto com o Programa de Parcerias de Investimento do Governo Federal (PPI), a previsão de investimentos totaliza mais de R$ 9 milhões em infraestrutura e supera R$ 84 milhões em despesas operacionais, priorizando a geração de emprego e renda”, informou a pasta.

Leia Também:  Tati Zaqui empina o bumbum em elevador e brinca: "Sobe ou desce?"

O processo de concessão prevê o desenvolvimento de estudos de viabilidade, no qual serão apresentadas as regras para participação dos interessados na concessão.

A Flona de Canela tem uma área de aproximadamente 557 hectares, com altitudes que variam de 740 a 840 metros. A unidade apresenta áreas de Mata Atlântica, e se destaca entre as turísticas com maior potencial na principal rota turística do Sul do Brasil, a Serra Gaúcha.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Geral

Polícia Federal investiga fraude na concessão do auxílio emergencial

Publicados

em


A Polícia Federal (PF) e a Receita Federal deflagraram hoje (26) em Guarapari, no Espírito Santo, a Operação Mendacium, visando combater crimes de fraudes no benefício do Auxílio Emergencial, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

A ação conta com a participação de cinco policiais federais e dois auditores da Receita que cumprem um mandado de prisão preventiva e um de busca e apreensão. Foi determinado, também, o bloqueio de bens de um investigado. Segundo a PF, foram apreendidos, no local da busca, equipamentos de mídia em geral e um documento falso.

“A operação apura o cometimento de crimes de falsidade ideológica, estelionato contra a União e lavagem de capitais, decorrentes do recebimento indevido do auxílio emergencial do governo federal, em razão da pandemia associada à covid-19”, informou a Polícia Federal.

O investigado praticou fraude utilizando pelo menos seis nomes diferentes, “através do uso de documentos, como, por exemplo, diversos CPFs (Cadastro de Pessoa Física) falsos para receber esses auxílios”, acrescentou a PF.

O próximo passo da investigação abrange a preparação de laudo pericial e a análise dos equipamentos de mídia, na expectativa de verificar a participação de outros envolvidos. Os nomes dos investigados ainda não foram divulgados.

Leia Também:  Múmias egípcias desfilaram pelo Cairo a caminho do novo museu

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA