PORTO VELHO

Polícia

Agentes de segurança são capacitados para atuar em situações de crise na Capital

Polícia

WhatsApp Image 2022-05-09 at 12.19.17

Com algumas disciplinas inéditas como primeira intervenção envolvendo atiradores ativos, entradas sistemáticas e primeira intervenção em crises envolvendo explosivos, o Estágio de Primeiro Interventor de Crises Policiais encerrou sua 3ª Edição, na manhã de segunda-feira, 09, no quartel do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em Porto Velho. 

WhatsApp Image 2022-05-09 at 11.25.02Fizeram-se presentes na solenidade o coronel PM Carlos Gomes, chefe de Estado Maior; o inspetor da PRF, Marinho Leite; o coronel PM Ranconi, chefe do Núcleo de Operações Aéreas; o major Rodolfo, representando a Base Aérea, o TC PM Henrique, representando a Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), o comandante do Bope, major PM Felipe, dentre outros oficiais e praças.

O 3º Estágio do Estágio de Primeira Intervenção em Crises Policiais iniciou no dia 25 de abril e encerrou dia 6 de maio. Com uma carga horária de 80 horas/aula e 10 disciplinas os 30 formandos das mais diversas unidades operacionais e forças de segurança parceiras como Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Base Aérea de Porto Velho (Bapv).

Leia Também:  #ROLIMDEMOURA: Operação surpresa foi deflagrada em presídio

WhatsApp Image 2022-05-09 at 11.32.02 copy

Com a 3ª Edição somam-se 90 agentes de segurança capacitados. O coronel PM Carlos Gomes, falou sobre a relevância de capacitar a tropa. “Qualquer atividade de ensino deve ser enxergada como investimento. Devemos ter profissionais altamente qualificados para dar resposta adequada, seja ela de suicidas, situação com reféns, atirador ativo, dentre outras”, disse o coronel.

WhatsApp Image 2022-05-09 at 11.25.30A qualidade do treinamento e conhecimento repassados durante o Estágio de Primeira Intervenção em Crises Policiais proporcionou aos participantes foram destacados pela única policial feminina participante desta edição.

A sargento PM Juliana, falou sobre o sentimento de ter participado do Estágio. “Foi um desafio, muitas instruções técnicas e práticas que propiciaram conhecimentos ímpares. Vamos colocar em prática o que realizávamos com um pouco mais de técnica e com mais conhecimento para um melhor desfecho da ocorrência policial, seja para a vitima, refém, ou causador do evento critico. E desta forma, cumprir o que estamos dispostos a oferecer que é a preservação da vida em primeiro lugar”, finalizou a sargento.

A necessidade da Polícia Militar de Rondônia (PMRO) para que esteja preparada para o que ainda não aconteceu e para o que estar por vir são as principais razões da realização dos estágios e treinamentos. O major PM Felipe, comandante do Bope, finalizou agradecendo e falando da necessidade do trabalho em conjunto. “Em um cenário de crise o Bope jamais atuará sozinho. É preciso uma soma de esforços. Cada um possui um papel importantíssimo para que ocorrências de crise possam ter o desfecho desejado”, finalizou.

Leia Também:  PF deflagra operação contra esquema de “laranjas” que movimentou mais de R$ 90 milhões em Rolim de Moura e Alta Floresta

WhatsApp Image 2022-05-09 at 11.25.021

Veja as imagens na galeria: https://pm.ro.gov.br/index.php/institucional/galerias/11171-encerramento-de-curso-de-primeiro-interventor-bope-09-de-maio-de-2022.html

Texto: Renata Pimentel

Fotos: CB PM Edixon e Bope

Fonte: PM RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

PF faz operações contra estudantes suspeitos de fraude no CadÚnico

Publicados

em

A Polícia Federal (PF) cumpre hoje (26) 16 mandados de busca e apreensão contra estudantes de medicina suspeitos de falsificar documentos para receberem bolsas integrais em universidade no norte do Rio de Janeiro. A Operação Falso Positivo cumpre mandados em seis cidades do Rio e Espírito Santo.

De acordo com a PF, os estudantes se inscreviam no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal para se passarem por pessoas de baixa renda, com o uso de documentos falsos. Assim, conseguiam receber suas bolsas de estudo.

Além disso, segundo a PF, os alunos ou seus pais receberam, de forma irregular, o Auxílio Emergencial, criado pelo governo federal para enfrentar os efeitos da pandemia de covid-19.

Doze pessoas, entre alunos e pais, já foram indiciadas no decorrer das investigações. Entre as provas usadas pela PF estão movimentações bancárias, obtidas por meio de quebra de sigilo, que seriam incompatíveis com uma pessoa que teria a renda baixa.

Os investigados poderão responder por crimes de estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa. Os mandados, expedidos pela 2ª Vara Federal de Campos, estão sendo cumpridos nas cidades fluminenses de Campos, Itaperuna e São Francisco de Itabapoana, além dos municípios capixabas de Linhares, Cachoeiro do Itapemirim e Mimoso do Sul.        

Leia Também:  Filho de traficante é retirado de dentro de casa por supostos policiais e estuprado com ferro dentro de delegacia

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA