PORTO VELHO

Polícia

Ao verificar denúncia de extração ilegal de madeira, PM apreende cerca de 440 quilos de droga

Polícia


doga seringueirasPoliciais militares do 11° Batalhão de Polícia Militar, em São Miguel do Guaporé, ao verificar denúncia de extração e transporte ilegal de madeira na região da antiga   fazenda Bom Futuro, na zona rural do município de Seringueiras, observaram um veículo em atitude suspeita. Ao realizaram busca no veículo e em sua carroceria, foram encontrados 14 fardos de entorpecentes, sendo que posteriormente foi realizada pesagem da droga (Cloridato de Cocaína) na delegacia de Polícia Federal, em Ji-Paraná, Rondônia, correspondendo a quantidade aproximada de 440,40kg. O fato aconteceu ontem, 26 de abril de 2022, por volta das 19horas.

As equipes policiais iniciaram diligências a fim de identificar de qual propriedade o veículo teria saído. De acordo com informações o veículo teria sido deixado no dia anterior e os suspeitos teriam quebrado o cadeado da porteira de uma propriedade, colocado outro, e deixado o veículo. Após a apreensão do entorpecente, uma equipe da Polícia Rodoviária Federal prestou apoio nas diligências. O veículo e a droga foram levados para a delegacia da Polícia Federal em Ji-Paraná.

Leia Também:  PRF lança cinco ações de combate a organizações criminosas no Brasil

A Polícia Militar informou que foram apreendidos e apresentados na delegacia da Polícia Federal, em Ji-paraná, 408 tabletes de substância aparentando ser cloridrato de cocaína, que estavam acondicionados em 14 fardos, um veículo do tipo caminhonete, marca I, modelo Ford Ranger, diversos documentos localizados no interior do veículo, R$ 35,00, um chapéu marca calabama colt.

Fotos: 11º BPM

Fonte: DCOMS-PMRO

Fonte: PM RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

PF faz operações contra estudantes suspeitos de fraude no CadÚnico

Publicados

em

A Polícia Federal (PF) cumpre hoje (26) 16 mandados de busca e apreensão contra estudantes de medicina suspeitos de falsificar documentos para receberem bolsas integrais em universidade no norte do Rio de Janeiro. A Operação Falso Positivo cumpre mandados em seis cidades do Rio e Espírito Santo.

De acordo com a PF, os estudantes se inscreviam no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal para se passarem por pessoas de baixa renda, com o uso de documentos falsos. Assim, conseguiam receber suas bolsas de estudo.

Além disso, segundo a PF, os alunos ou seus pais receberam, de forma irregular, o Auxílio Emergencial, criado pelo governo federal para enfrentar os efeitos da pandemia de covid-19.

Doze pessoas, entre alunos e pais, já foram indiciadas no decorrer das investigações. Entre as provas usadas pela PF estão movimentações bancárias, obtidas por meio de quebra de sigilo, que seriam incompatíveis com uma pessoa que teria a renda baixa.

Os investigados poderão responder por crimes de estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa. Os mandados, expedidos pela 2ª Vara Federal de Campos, estão sendo cumpridos nas cidades fluminenses de Campos, Itaperuna e São Francisco de Itabapoana, além dos municípios capixabas de Linhares, Cachoeiro do Itapemirim e Mimoso do Sul.        

Leia Também:  Homem perde pai e irmão com Covid e mata casal que os infectou

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA