PORTO VELHO

Polícia

EXCLUSIVO: Investigada na “Operação Siga e Pare” é uma ME mas recebeu milhões tem sede em PHV, mas contato é em Rolim de Moura

Polícia

3R Construções Eireli-ME é uma microempresa com sede segundo os dados de seu contrato social numa casa situada na Avenida Vieira Caula em Porto Velho, tem como contato telefônico o prefixo 3442 em Rolim de Moura.

O capital social desta ME é de 80 mil reais e segundo os dados repassados pela Operação SIGA E PARE  recebeu milhões de reais, veja parte da nota abaixo

Suspeitas de irregularidades na retomada da obra e contratação da empresa 3R Construções Eireli-ME para realizar o levantamento do remanescente da obra, ou seja, o que falta ser executado, o qual ficou em R$ 15.170.115,51 (quinze milhões cento e setenta mil cento e quinze reais e cinquenta e um centavos). Assim, levando em consideração o que foi pago (R$ 21.450.787,99) com o que falta executar (R$ 15.170.115,51), o custo da obra passaria de R$ 22 milhões para 36,5 milhões, uma diferença de 14,5 milhões acima do valor inicialmente orçado.

 

Operação Pare-e-Siga combate desvios em obra de construção da sede da Polícia Rodoviária Federal em Rondônia

 

Leia Também:  Operação Optimus: Rolim de Moura e Costa Marques são alvos de operação que investiga corrupção

Com informações do MPF e GOOGLE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Polícia apreende 300 quilos de cocaína no Rio de Janeiro

Publicados

em

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu hoje (5) 300 quilos de cocaína durante uma operação no Arco Metropolitano do Rio de Janeiro (BR-493). Segundo a PRF, essa foi a terceira maior apreensão da droga na história da instituição, no Rio de Janeiro.

A cocaína foi encontrada em um compartimento especial, dentro de um veículo de carga, durante uma abordagem na altura de Seropédica. Para encontrar a droga, os policiais pediram ajuda da concessionária CCR Nova Dutra para cortar a carroceria do caminhão.

O motorista, cujo nome ainda não foi revelado, foi preso em flagrante e contou que trazia a droga de Belo Horizonte. Ele entregaria a carga em um posto na BR-040, no Rio de Janeiro. Estima-se que o carregamento ilícito vale R$ 12 milhões no mercado ilegal de venda de cocaína.

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Polícia faz operação contra o jogo Baleia Azul em nove estados
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA