PORTO VELHO

Polícia

PF combate desmatamento ilegal em unidade de conservação no Pará

Polícia


A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira (6) a Operação SOS Jamanxim de combate ao desmatamento ilegal na Amazônia, especificamente na Flona do Jamanxim, unidade de conservação com área superior a 1,3 milão de hectares, localizada no município de Novo Progresso, no Pará.

Segundo a PF, os investigadores utilizam dados de satélite de alta resolução do Programa Brasil Mais. As imagens indicam que os criminosos desmataram mais de 30 mil hectares de floresta, equivalente a 30 mil campos de futebol. Os laudos indicam que quase 16 mil hectares desmatados ficam dentro da unidade de conservação. De acordo com as investigações, desde sua criação, a Flona do Jamanxim acumula mais de 160 mil hectares de floresta devastada.

O tipo de desmatamento praticado na área, o corte raso, é considerado o mais danosa à natureza, pois remove totalmente qualquer forma de cobertura vegetal, com o objetivo de plantar pasto e criar gado. O modus operandi dos criminosos é sempre o mesmo: invadem terras públicas da União, fazem o corte seletivo da madeira economicamente viável e depois suprimem toda a vegetação, inclusive, com uso de fogo.

Leia Também:  VEJA OS VIDEOS: Estudante de medicina pula de prédio em Santa Cruz, na Bolívia

Cerca de 60 policiais federais cumprem quatro mandados de prisão temporária e 18 de busca e apreensão em três estados (Pará, Mato Grosso e Santa Catarina). Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal, no Pará.

A Justiça determinou também o sequestro e bloqueio de bens dos investigados até o valor de mais de R$ 310 milhões, visando à reparação do dano ambiental, conforme valores quantificados em laudos periciais.

Edição: Denise Griesinger

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

Polícia prende 21 pessoas em ação contra pedofilia na capital paulista

Publicados

em


A Polícia Civil de São Paulo prendeu hoje (19) em flagrante 21 pessoas em uma operação para o cumprimento de mandados de busca e apreensão contra suspeitos de armazenar, produzir e comercializar fotos ou vídeos de abusos contra crianças e adolescentes. A maioria das prisões ocorreu na zona norte da capital.

Na operação, denominada Paidós, 315 dispositivos eletrônicos e 493 mídias, como CDs e DVDs, foram apreendidos pelos policiais em 50 endereços. “Coletamos muito conteúdo pornográfico. Agora vamos analisar e individualizar a conduta de cada um”, destacou o diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap), delegado Albano David Fernandes.

Os presos foram autuados por adquirir, possuir ou armazenar fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena pornográfica ou de sexo explícito envolvendo criança ou adolescente. De acordo com a polícia, as investigações vão prosseguir para a identificação dos produtores do conteúdo.

A ação foi coordenada pelo Decap e teve participação de 160 agentes e 60 viaturas. 

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Tem em RO: MP de SP cumpre mandados de prisão contra advogados suspeitos de levar informações a chefes de facção criminosa presos
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA