PORTO VELHO

Polícia

PF deflagra operação de combate ao contrabando de cigarros em Rondônia

Polícia

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, a “Operação Petema”, que visa desarticular grupo criminoso atuante no contrabando de cigarros.

As investigações tiveram início após a apreensão de grande carga de cigarros de origem paraguaia na cidade de Vilhena/RO, avaliada em mais de meio milhão de reais.

Durante fiscalização foram localizados, por forças policiais e pelo órgão de fiscalização tributária estadual (PRF e SEFIN/RO), mais de cem mil maços de cigarro em veículo de carga que entrava no estado de Rondônia. O material estava ocultado junto à carga lícita de frutas.

Após a lavratura do flagrante, foi realizado intenso trabalho de investigação pela Delegacia de Polícia Federal em Vilhena/RO, que apontou que os responsáveis pelo envio do carregamento são oriundos de cidade próxima à fronteira com o Paraguai, e os destinatários seriam da capital do estado de Rondônia, Porto Velho.

São cumpridos nesta data dois mandados de busca e apreensão na capital, expedidos pela Vara da Justiça Federal em Vilhena. As buscas visam a identificação de outros envolvidos e a coleta de novos elementos de prova dos crimes.

Leia Também:  Operação do MP, policias e órgãos ambientais cumpre mandados e investiga prejuízos de R$ 345 milhões em estação ecológica

Além das buscas, houve a determinação de diversas medidas restritivas aos investigados, inclusive a suspensão das Carteiras Nacionais de Habilitação, como forma de impedir que conduzam veículos, coibindo a prática criminosa verificada.

A conduta de importar e distribuir tais produtos gera graves danos à sociedade, não apenas de ordem tributária e à indústria nacional, mas em especial à saúde dos usuários, que acabam por comprar e usar cigarros não autorizados pelos órgãos de vigilância sanitária, com graves riscos.

Os investigados poderão responder pelo crime de contrabando (Artigo 334-A do Código Penal), cuja pena máxima chega a 05 anos.
Eventuais denúncias sobre crimes relacionados podem ser encaminhadas à Polícia Federal através dos telefones 69-3316-1600 (Vilhena/RO) ou 69-3216-6200 (Porto Velho/RO).

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

PF faz nova operação contra fraude bilionária envolvendo criptomoedas

Publicados

em

Policiais federais deflagraram hoje (11) a quarta fase da Operação Kryptos, que investiga fraudes bilionárias envolvendo criptomoedas. Estão sendo cumpridos cinco mandados de prisão preventiva e quatro de busca e apreensão nas cidades do Rio de Janeiro e de Cabo Frio (RJ).

A operação, que recebeu o nome de Flyer One, tem como foco a atuação do grupo nos Estados Unidos (EUA). O esquema passou a funcionar também fora do Brasil, captando recursos de pessoas em países como EUA e Portugal.

Nos Estados Unidos, o esquema foi comandado por um homem que fugiu do Brasil com passaporte falso, devido a uma condenação prévia por tráfico internacional de drogas.

O esquema, segundo a PF, usava documentos falsos para justificar depósitos em contas bancárias nos EUA. A investigação constatou o depósito de criptoativos lastreados em dólar americano (stable coins) na conta do homem apontado como líder da organização.

Alvos da ação de hoje que estão nos Estados Unidos foram incluídos na lista vermelha (red notice) da Interpol. Os investigados poderão responder pelos crimes de emissão ilegal de valores mobiliários sem registro prévio, organização criminosa e lavagem de capitais.

Leia Também:  ESPORTE - Prefeitura participa da abertura do Programa Talentos do Futuro do Distrito de Calama

Operação Kryptos

A primeira fase da Operação Kryptos foi desencadeada em agosto do ano passado para investigar uma empresa, sediada na Região dos Lagos, do Rio de Janeiro, que usava esquema de pirâmides financeiras, por meio da especulação no mercado de criptomoedas e a promessa, aos clientes, de retorno financeiro. Mais duas fases foram executadas no início deste ano: Valeta, em fevereiro, e Betka, em março.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA