PORTO VELHO

Polícia

PF prende fugitivo da polícia italiana em João Pessoa

Polícia

 

A Polícia Federal anunciou a prisão de “um dos principais fugitivos” procurados na Itália pelo envolvimento com a organização criminosa conhecida como Ndrangheta, uma das maiores e mais poderosas organizações criminosas do mundo. Rocco Morabito foi encontrado e preso na cidade de João Pessoa (PB). O mandado de prisão foi emitido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Segundo a PF, no momento da prisão Morabito estava acompanhado de outro fugitivo italiano, cuja prisão para fins de extradição à Itália também será solicitada ao STF.

Em nota, a PF informou que no dia 23 uma equipe de policiais italianos do Escritório Central da Interpol em Roma e dos Carabinieri (polícia italiana) se deslocou da Itália para o Brasil, na expectativa de se fazer a prisão.

“Há registros da atuação de Rocco Morabito com a organização do tráfico de drogas entre Brasil e Europa desde a década de 1990, conforme investigação à época realizada no âmbito de Operação denominada King. Operações mais recentes da PF também indicaram a relação das atividades da ‘Ndrangheta com organizações criminosas brasileiras”, informou, em nota, a PF.

Leia Também:  Operação Dissimulação – Ministério Público de Rondônia deflagra operação contra esquema de restituição indevida de gastos com saúde a deputado

Segundo os investigadores, Rocco foi preso no Uruguai em 2017, após 22 anos foragido, para fins de extradição à Itália. Em junho de 2019, no entanto, ele fugiu da prisão, sendo, desde então, considerado um dos três fugitivos mais procurados pela Itália.

Edição: Maria Claudia

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

PF faz operação contra corrupção de funcionários da Petrobras

Publicados

em

 

Policiais federais cumprem hoje (18) três mandados de busca e apreensão contra suspeitos de corrupção e lavagem de dinheiro na antiga Diretoria de Abastecimento da Petrobras. Os mandados da operação Sem Limites VI foram expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba (PR).

A ação de hoje é um desdobramento da Operação Sem Limites que investigou a prática de crimes envolvendo a negociação de óleos combustíveis entre a estatal e empresas estrangeiras.

Os novos mandados expedidos pela Justiça buscam colher provas sobre corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa por novos suspeitos.

Um deles seria ligado a um ex-gerente da Petrobras, que seria responsável por receber recursos de corrupção no exterior, por meio de contas em nome de empresas registradas em outros países. Segundo a Polícia Federal (PF), esse dinheiro era depois distribuído aos envolvidos no esquema criminoso.

Também foram identificados um representante de empresas internacionais e dois homens ligados a um ex-funcionário da área comercial da Petrobras, que seria o responsável por dar informações privilegiadas sobre negociações da estatal.

Leia Também:  Polícia Civil deflagra operação “Emboscada Vermelha” na Capital

A PF não informou o período em que funcionou o esquema.

Por meio de nota, a Petrobras informou que colabora com as investigações desde 2014, é coautora de 21 ações de improbidade administrativas que estão em andamento e é assistente de acusação em 76 ações penais relacionadas a crimes investigados pela Operação Lava Jato.

“A Petrobras é vítima dos crimes desvendados pela Operação Lava Jato, sendo reconhecida como tal pelo Ministério Público Federal e pelo Supremo Tribunal Federal”, diz a nota. “Cabe salientar que a Petrobras já recebeu mais de R$ 5,7 bilhões, a título de ressarcimento, incluindo valores que foram repatriados da Suíça por autoridades públicas brasileiras”.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA