PORTO VELHO

Política

Alex Redano empossado presidente do Colegiado de Presidentes das Assembleias Legislativas

Política


Pela primeira vez, Rondônia está no comando do Colegiado Permanente de Presidentes das Assembleias Legislativas do Brasil, entidade que reúne os chefes dos Legislativos Estaduais de 26 unidades da Federação e mais o da Câmara Distrital (DF), reunindo mais de mil deputados estaduais de todo o país.

A posse do presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Alex Redano (Republicanos), como presidente do Colegiado, ocorreu na tarde desta segunda-feira (14), em solenidade no plenário da Casa de Leis, com as presenças do presidente da Unale (União dos Legisladores e Legislativos Estaduais), Lídio Lopes (Patriota/MS), que conduziu a solenidade, e da ex-presidente da Unale, Ivana Bastos (PSD/BA), além de deputados estaduais de outros Estados.

Os deputados estaduais Rosângela Donadon, José Lebrão, Chiquinho da Emater, Cassia Muleta, Alan Queiroz, Anderson Pereira, Eyder Brasil, Ribamar Araújo e Ismael Crispin, prestigiaram a solenidade. A mesa foi presidida por Lídio Lopes, composta ainda pelos deputados Gabriel Picanço (Republicanos/RR), José Luís Tchê (PDT/AC), Ivana Bastos, Roberto Cidade (PV/AM), Telma Gurgel (Podemos/AP), Dr. Neidson (PMN), o procurador geral de justiça do Ministério Público, Ivanildo de Oliveira, e o representante da OAB/RO, Wilson Junior.

Redano assinou o termo de posse e em seguida fez o seu discurso. “Trazer ao debate temas locais, de interesse de Rondônia, mas também abrir o espaço para a discussão de questões dos demais Estados e regiões do país, na reuniões bimestrais que teremos. É uma honra para mim assumir tão importante função e quero destacar que nossa gestão tem como meta buscar sempre o diálogo, a aproximação e a troca de experiências, para que possamos cada vez mais fortalecermos o Parlamento e com isso a representatividade do cidadão”.

Leia Também:  Léo Moraes cobra do governo compromisso que reconhece promoção dentro da Polícia Civil

O parlamentar citou temas como o agronegócio e a atividade garimpeira, como pautas em comum com a maioria dos Estados, com as suas peculiaridades. “Rondônia tem a pujança econômica e enfrenta dificuldades em desenvolver o agronegócio e também a atividade garimpeira é muito marginalizada. Outro ponto que devemos buscar avançar é no comércio internacional”, relatou.
Redano foi eleito durante a realização da 24ª Conferência Nacional da Unale (União dos Legisladores e Legislativos Estaduais), realizada em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, no final de novembro.

Falas
O presidente da Unale, deputado Lidio Lopes (Patriotas-MS) explicou que a instituição é a maior união de parlamentares das Américas, com 1.059 parlamentares e 27 Assembleias Legislativas. “Alex Redano foi escolhido para comandar o colegiado de presidentes em 2022. Temos pautas importantes para serem discutidas. A Unale e o colegiado têm importante papel nisso”, destacou.
A deputada Telma Gurgel (AP-Republicanos) disse que Alex Redano tratará de temas de interesse todo o Brasil, mas terá atenção especial com a Região Norte. “Temos muitas pautas em comum, que receberão toda a atenção da Unale”, acrescentou.

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado Roberto Cidade (PV-AM), disse que aprendeu com os mais velhos e viu a necessidade de implementar emendas de bancada, e que em seu Estado cada deputado terá R$ 14 milhões para este ano. O deputado Alex Redano pediu cópia do projeto.

O representante da OAB-RO, Wilson Vedana Júnior, destacou a importância da Unale e disse que a Ordem dos Advogados está à disposição da entidade.
O secretário da Unale para Rondônia, deputado Dr. Neidson (PNM), disse ser uma honra para o Estado ter o deputado Alex Redano como presidente do colegiado dos presidentes. O parlamentar destacou, também, que vários assuntos do País, de suma importância para a Região Norte, poderão ser trabalhados.

Leia Também:  Decreto estadual prevê dispensa de pagamento antecipado do ICMS por empresas habilitadas de Rondônia

A ex-presidente da Unale, deputada Ivana Bastos (Democratas-BA) disse ter confiança em Alex Redano e Lidio Lopes. Ela lembrou que visitou os Estados do Norte quando era presidente da entidade. “Precisamos mostrar que nós temos vez e também temos voz. Percebemos isso quando vemos um presidente da Unale do Mato Grosso do Sul e um presidente do colegiado daqui de Rondônia. Parabéns ao Alex, que foi eleito por unanimidade”, citou.

O ex-presidente da Unale, deputado Luís Tchê (PDT-AC), disse que anteriormente questionou a razão de a instituição não ter um presidente do Norte. “Alex Redano, esse é o tamanho da responsabilidade que está nas suas costas. Cansei de ser cabo eleitoral de deputado federal e depois não ver os recursos sendo encaminhados para o Estado. Precisamos pelo menos ser ouvidos”, afirmou.

O vice-presidente da Unale para a Região Norte, deputado Gabriel Picanço (Republicanos-RR), disse que Roraima pede socorro, porque o Estado fica isolado, devido ao fechamento da fronteira às 18 horas. Ele também disse que há um grave problema, o abastecimento de energia elétrica. “As Ongs impedem que passe energia por 100 km de reserva indígena. Não somos ligados ao sistema nacional energético”, citou.

Texto: Eranildo Costa Luna/Nilton Salina

Foto: Thyago Lorentz

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Rondônia chega a 120 mil beneficiário pelo Auxílio Brasil em setembro

Publicados

em

Estado é o quinto da Região Norte com mais famílias assistidas. Somados, Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins terão mais de 2,5 milhões de famílias contempladas. Em todo país, serão mais de 20,6 milhões

Rondônia superou, em setembro, a marca de 120 mil famílias assistidas pelo Auxílio Brasil. Desde agosto, 4.479 novos beneficiários foram incluídos no programa e, com isso, 120.760 famílias do estado serão assistidas neste mês.
O Norte é a terceira região do país com mais famílias contempladas pelo programa. Desde agosto, 68.145 novos beneficiários passaram a fazer parte do Auxílio Brasil nos sete estados.

O mês de setembro marca mais um recorde de brasileiros atendidos pelo Auxílio Brasil. Neste mês, 452.987 novas famílias passaram a ter direito ao benefício, o que representa um aumento de 2,2% em relação às famílias atendidas em agosto.

Com isso, o total de beneficiários saltou de 20,2 milhões de famílias no mês passado para mais de 20,6 milhões neste mês. Os recursos transferidos pelo programa para o pagamento dos benefícios também cresceram e passaram de R$ 12,1 bilhões em agosto para R$ 12,4 bilhões em setembro, um novo recorde do Auxílio Brasil para um único mês.

O início dos pagamentos será nesta segunda-feira (19), para os beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) de final 1. O cronograma escalonado de repasses segue de acordo com o calendário oficial, com os beneficiários com NIS de final 2 recebendo o pagamento no dia 20 (terça-feira) seguindo sucessivamente, até o dia 30 de setembro, quando ocorre o último pagamento de setembro, para os beneficiários com NIS de final 0.
Setembro também é o segundo mês do novo valor do Auxílio Brasil, cujo benefício passou, em agosto, a ser de no mínimo R$ 600. Neste mês, o valor médio a ser pago em todo país é de R$ 607,52. Desde que entrou em operação, em novembro de 2021, o Auxílio Brasil já transferiu mais de R$ 72,7 bilhões, recursos que chegam todos os meses a todos os 5.570 municípios do país. Desde o início do programa, mais de 7,5 milhões de famílias já foram incluídas no Auxílio Brasil.

Leia Também:  COMUNICADO; Mudança de sentido na av. Amazonas

Regiões
Todas as 27 Unidades da Federação apresentaram aumento no número de famílias atendidas pelo programa em relação a agosto. No Nordeste, região com a maior quantidade de beneficiários, 157.560 famílias ingressaram no Auxílio Brasil desde o mês passado. No total, o número de atendidos saltou de 9,4 milhões para 9,5 milhões de famílias nos nove estados nordestinos.
A segunda região com maior número de contemplados é o Sudeste, onde as famílias assistidas cresceram em 155.591 neste mês, passando de 5,9 milhões para 6,1 milhões.
Na sequência, aparece a Região Norte, onde 68.145 novas famílias passaram a fazer parte do programa. Em agosto, 2,419 milhões foram beneficiadas, número que passou para 2,487 milhões em setembro.
A quarta região com mais famílias contempladas é o Sul, cujo número saltou de 1,340 milhão em agosto para 1,376 milhão em setembro, após o ingresso de 36.294 novos beneficiários no programa neste mês.
Por fim, na Região Centro-Oeste 35.397 novas famílias passaram a ser atendidas pelo Auxílio Brasil em setembro, o que fez o número de beneficiários saltar de 1,053 milhão em agosto para 1,089 milhão neste mês.

Estados
Entre os estados, a Bahia segue como a Unidade da Federação com maior número de famílias contempladas, tendo passado de 2,4 milhões de beneficiários em agosto para 2,5 milhões em setembro, um acréscimo de 49.449 famílias desde o último mês. Os recursos transferidos ao estado passaram de R$ 1,4 bilhão para em agosto para R$ 1,5 bilhão neste mês. 
Depois da Bahia, São Paulo (2,4 milhões), Rio de Janeiro (1,7 milhão), Pernambuco (1,6 milhão), Minas Gerais (1,5 milhão), Ceará (1,4 milhão), Pará (1,3 milhão) e Maranhão (1,2 milhão) são os estados com maior número de beneficiários e os únicos com mais de um milhão de famílias atendidas no País neste mês.
Na outra ponta, Tocantins (156.090), Distrito Federal (146.903), Acre (128.729), Rondônia (120.760), Amapá (119.550) e Roraima (64.851) são os estados com o menor número de contemplados, os únicos no Brasil com menos de 200 mil famílias atendidas.
O total de recursos destinados ao Nordeste em setembro ultrapassam R$ 5,7 bilhões. Outros R$ 3,7 bilhões serão repassados ao Sudeste, R$ 1,4 bilhão ao Norte, R$ 832 milhões ao Sul e R$ 659 milhões ao Centro-Oeste.
Quem tem direito?
O Auxílio Brasil é voltado a famílias em situação de extrema pobreza, situação de pobreza e também a famílias em regra de emancipação. Em situação de extrema pobreza estão as famílias que possuem renda familiar mensal per capita de até R$ 105,00. Já aquelas em situação de pobreza têm renda familiar mensal per capita entre R$ 105,01 e R$ 210,00.
Como ter acesso ao benefício?
As famílias que preencherem os requisitos para ter acesso ao Auxílio Brasil devem estar inscritas no Cadastro Único (CadÚnico). A inscrição pode ser feita neste endereço eletrônico.
Depois de ser incluído no Cadastro Único, o interessado precisa confirmar os dados em uma entrevista presencial que será realizada em um Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) das prefeituras.

Leia Também:  Presidente da Assembleia anuncia pauta trancada até Governo rever decreto fechando o comércio no interior

 

Secretaria Especial de Comunicação Social

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA