PORTO VELHO

Política

Deputado Ezequiel Neiva sugere ao comandante-geral da PM o Curso de Formação de Sargentos 100% EAD

Política


Devido à crise de saúde ocasionada pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o deputado Ezequiel Neiva (PTB) sugeriu ao comandante-geral da Polícia Militar, coronel PM Alexandre Almeida, a alteração do Curso de Formação de Sargentos (CFS/PM 2019/2020) para 100% Ensino a Distância (EAD).

O curso foi iniciado neste ano com a programação de 50% EAD e 50% presencial. A parte de EAD está em andamento e nas próximas semanas está previsto o início da etapa presencial nos polos de Cacoal, Ji-Paraná e Porto Velho.

No total, 207 policiais participam do curso. Para justificar as aulas 100% EAD, os policiais apresentaram uma série de restrições às aulas presenciais, com relação aos cuidados para conter os avanços da Covid-19, a exemplo do distanciamento social. “Com as aulas presenciais teremos que ficar meses fora de casa, aumentando gastos e ainda tem a preocupação com a saúde”, alegou um dos alunos.

De acordo com o deputado Ezequiel Neiva, as aulas EAD além de preservar a saúde dos policiais e seus familiares, oferecerá economia para o Estado, sem haver perdas na qualidade do ensino. 

Leia Também:  #POLÍTICA: Moro diz que não assumirá cargo na equipe de transição de Bolsonaro

 “Os policiais permanecem em suas respectivas unidades, sem a necessidade de mudança de endereço durante o período de curso, o que além de não gerar ônus ao estado como pagamento de bolsas de estudos aos alunos, também não afeta o efetivo já reduzido da PM-RO, pois os militares não serão retirados de suas escalas de serviço enquanto estarão em curso, o que não aconteceria na modalidade EAD”, observou o parlamentar.

Texto e foto: Assessoria

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Projeto de Lei sobre pobreza menstrual em Rondônia é pauta entre Dep. Jair Montes e Associação Filhas do Boto Nunca Mais

Publicados

em


A falta do acesso básico à higiene e condição financeira para comprar absorventes entre mulheres e principalmente adolescentes que menstruam de acordo com a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) afeta no mundo uma em cada dez meninas que deixam de ir à escola quando estão menstruadas e no Brasil estima-se que sejam uma em cada quatro. 

A pobreza menstrual foi a pauta da reunião solicitada pela presidente da “Associação Filhas do Boto Nunca Mais” Anne Cleyanne Alves, Ana Lopes conselheira fiscal, e a jornalista Raiane Trajano com o deputado estadual Jair Montes (Avante). 

 O objetivo é criar um Projeto de Lei que acolha, humanize, conscientize e garanta o direito a todas as mulheres e adolescentes em vulnerabilidade, privação de liberdade e institucionalizadas. 

O parlamentar lembrou que esse tema precisa de visibilidade pois demonstra todo o fenômeno de discrepância social, racial e de renda da população e junto com sua equipe já está tomando a iniciativa para o projeto, segundo a justificativa, para garantir dignidade às adolescentes e mulheres. 

A presidente da Associação informou que hoje cerca de 30 a 40 mulheres procuraram o local para receber o KIT higiene que contém o absorvente, mas que a demanda é muito maior.  

“A pobreza menstrual é uma a situação de precariedade que leva a consequências como ausências recorrentes na escola. Muitas mulheres chegam a usar jornal, papelão e miolo de pão no lugar de absorvente e isso pode causar graves consequências a saúde. ”

Leia Também:  Presidente da Assembleia Legislativa discute implantação do Sistema Renalegis com a Fecomércio

Texto e foto: Assessoria

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA