PORTO VELHO

Política

Projeto do deputado Laerte Gomes prioriza vacinação para autistas, portadores da síndrome de Down e demais necessidades especiais acima de 16 anos

Política


Na sessão de terça-feira (01), o deputado Laerte Gomes apresentou propositura ao Projeto de Lei nº 1136/2021, de autoria do deputado Jair Montes que “dispõe sobre a inclusão da classe profissional no rol de grupos prioritários no Plano Estadual de Vacinação – Covid19”.

No PL nº 1136, “ficam inseridos no Plano Estadual de Vacinação da Covid-19, todos os advogados e membros da Defensoria Pública de Rondônia e da União, em efetiva atividade”, no estado.

Porém, em atendimento as Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), o deputado Laerte Gomes apresentou a proposta ao projeto citado que, tornam “igualmente inseridos no grupo prioritário do Plano Estadual de Vacinação da Covid-19, todos os adolescentes que possuem Transtorno do Espectro Autista, síndrome de Down e outras necessidades especiais que deverão ser, prioritariamente, imunizados com a vacina Pfizer-BioNTech”.

Segundo Laerte Gomes, no Plano Nacional de Vacinação a idade mínima estipulada para a vacinação de pessoas com síndrome de Down, autismo, paralisia cerebral e demais necessidades especiais é a partir dos 18 anos de idade.

“E nossa iniciativa é inserir no nosso Plano Estadual de Vacinação da Covid-19, que essa idade seja alterada para 16 anos de idade e que para a imunização seja utilizada a vacina da Pfizer/BioNTech, uma vez que, atualmente, a bula do imunizante no Brasil inclui jovens a partir de 16 anos, mas o Ministério da Saúde só autoriza a vacinação de pessoas maiores de idade”, explicou Laerte Gomes.

E de acordo com a solicitação das APAES em Rondônia, a entidade não está sozinha nessa luta. A Federação Brasileira  das Associações de síndrome de Down, junto às suas 38 instituições associadas, encabeçou a campanha nacional ‘Uma Dose de Respeito’, que tem por objetivo, pressionar todas as esferas governamentais, como governo federal, distrital, governos estaduais e municipais para que as pessoas com síndrome de Down sejam vacinadas de imediato, levando em consideração a vulnerabilidade, o risco de contaminação, a baixa imunidade e probabilidade de desenvolver uma forma grave de Covid-19.

“Em outubro de 2020, após estudos científicos, pesquisadores confirmaram que, pessoas com síndrome de Down têm 10 vezes mais risco de morrer de Covid-19, em comparação a pessoas fora dessa condição. Sendo assim, nada mais justo do que garantir, pelo menos aqui em Rondônia, que esse grupo, incluindo os demais portadores de necessidades especiais, possam ser imunizados a partir dos 16 anos”, concluiu Laerte Gomes.

Texto: Juliana Martins-ALE/RO

Leia Também:  Deputado Anderson parabeniza trabalho das forças de segurança que prenderam criminoso que atacou a tiros policial penal em Ariquemes

Foto: Diego Queiroz-ALE/RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Política

Encerrada oficina sobre Novo Acordo Ortográfico a servidores da ALE

Publicados

em


Durante três dias assessores dos gabinetes dos deputados da Assembleia Legislativa (ALE), estiveram envolvidos com a oficina sobre “Novo Acordo Ortográfico”. A disciplina é parte da iniciativa da Escola do Legislativo (EL) e tem como finalidade aperfeiçoar o atendimento a deputados e ao público em geral.  

A oficina teve 9 horas/aula de duração e foi aplicada durante três dias seguidos (de terça-feira a quinta-feira) das 9 horas às 12 horas. Participaram dois assessores de cada gabinete dos parlamentares.  

O representante pedagógico da EL orientou sobre os trabalhos de aperfeiçoamento e especialização dos servidores da ALE, seguindo orientação do presidente Alex Redano (Republicanos), que “está sempre disposto a apoiar as iniciativas da escola, que trabalha constantemente na qualificação profissional dos servidores”, argumenta o diretor-geral, Fábio Ribeiro.  

A escola tem inúmeros cursos e oficinas, que são aplicados com regularidade na qualificação do servidor público, trabalho que está sendo prejudicado pela pandemia, que preocupa e assusta o planeta. Segundo Fábio Ribeiro, a prioridade da escola é aprimorar o servidor público da Casa de Leis, “mas os cursos e oficinas também são abertos às câmaras de vereadores, prefeituras e aos demais órgãos públicos federais, estaduais e municipais e as vagas remanescentes abertas à comunidade”.  

Todos os concluintes receberão certificados.  

Leia Também:  ALE repudia agressão a deputado empurrado e expulso quando fiscalizava usina em Rondônia

Texto e foto: Assessoria de imprensa da Escola do Legislativo-ALE/RO 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA