PORTO VELHO

Porto Velho

CUIDADOS – Unidade de Vigilância em Zoonoses de Porto Velho atua em ações voltadas à saúde pública

Porto Velho


Entre as ações está a vacinação antirrábica em animais domésticos

Vacinação antirrábica faz parte das ações de controle de zoonoses

Buscando resguardar a saúde pública de moradores de Porto Velho, a Prefeitura oferta, ao longo do ano, diversos serviços para o controle e prevenção de doenças transmitidas por animais. As ações são da Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) e realizada pela Divisão de Controle de Zoonoses em Animais Domésticos e Sinantrópicos (DZADS).

Segundo o gerente da DZADS, Edson Cruz, o controle das doenças é importante e de interesse para a saúde humana. “As zoonoses que são monitoradas no município são a raiva, leptospirose, hantavirose, Doença de Chagas, febre amarela, Leishmaniose Visceral/LV, LTA, além de acidentes por animais peçonhentos”, explica o gerente da divisão.

PAPEL DA DIVISÃO

O UVZ é o órgão responsável por realizar estratégias com relação à vigilância, prevenção e controle de zoonoses, bem como relacionadas aos acidentes ocasionados por animais peçonhentos. “São instituições especializadas em executar atividades visando a saúde pública, e não um setor de atendimento a animais”, explica Cruz.

ATENDIMENTOS EM 2021

Ao todo, mais de 47 mil animais, entre cães e gatos, foram vacinados contra a raiva em Porto Velho no ano de 2021. Desse total, mais de 40 mil foram vacinados no “Dia D”, que ocorreu no dia 25 de setembro do ano passado.
A imunização também chegou aos distritos do baixo Madeira, com mais de 900 animais, além de mais de 3 mil animais vacinados nos distritos do médio e alto Madeira.

Leia Também:  Nota do Consórcio SIM

Ações agem no controle e prevenção de doenças transmitidas por animais

ATRIBUIÇÕES

Já as atribuições da DZADS são realizar inspeções zoosanitárias em animais suspeitos, coleta de material para exames e diagnósticos para as pesquisas em casos de animais suspeitos de alguma zoonose, além de imunização com a vacina antirrábica, monitoramento de animais com diagnósticos suspeitos para zoonoses, orientações técnico-sanitárias com foco na prevenção, orientações com relação aos acidentes causados por animais peçonhentos e busca ativa.

“Não é nossa atribuição recolher animais de rua que não sejam suspeitos ou portadores de zoonoses de interesse da saúde pública, nem prestar atendimento clínico e cirúrgico, ou eliminar os animais que não sejam portadores de zoonoses”, esclarece.

O órgão também não possui competência de abrigar animais ou apoiar qualquer tipo de abrigo relacionado ao bem-estar animal, tampouco receber animais idosos ou doentes que não sejam por questões de zoonoses.

VACINA ANTIRRÁBICA

A vacina antirrábica para cães e gatos fica disponível o ano inteiro, de segunda a sexta-feira, no horário das 8h às 17h, na própria DCZADS, localizada na avenida Mamoré, nº 120, bairro Cascalheira. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: (69) 98473-6712.

Leia Também:  #REVITALIZAÇÃO: Prefeitura construirá praça na confluência da Amazonas com Nações Unidas

Texto: Augusto Soares
Foto: Wesley Pontes

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Porto Velho

CULTURA – Porto Velho presta apoio logístico para entidades durante o Circuito Junino

Publicados

em

Arraial e demais atividades culturais serão levadas aos bairros da capital

Circuito junino retorna após dois anos de paralisação Com o avanço da vacinação e a queda no número de casos de covid-19, a Prefeitura de Porto Velho retoma o calendário de festas tradicionais. Na última sexta-feira (20), com a realização do 4º Arraial Municipal, foi aberto oficialmente o Circuito Junino, calendário de festividades organizadas por associações e grupos folclóricos com o apoio da Fundação Cultural (Funcultural). Estão previstos pelo menos 12 arraiais até o dia 25 de setembro.

Conforme explicou Altair dos Santos, diretor de Patrimônio da Funcultural, a Prefeitura apoia com logística de diferentes formas, estruturas de som, iluminação, banheiro, grade e outras, a depender da regularização e necessidade da entidade organizadora.

“Por isso, é importante as entidades estarem regularizadas e participarem dos chamamentos públicos para cadastramento. É muito importante apoiarmos esse processo de organização e produção, fazendo a política de organização para que Porto Velho conheça a nossa diversidade cultural, seja nos distritos, no entorno da cidade e também no baixo Madeira”, detalhou.

Conforme o calendário, a programação segue na próxima sexta-feira (27) com o Arraiá Flor do Cacto, que acontece até o dia 5 de junho no campo de futebol do Caladinho. Já de 10 a 19 de junho terá o Arraiá Leste, no campo de futebol do JK.

Leia Também:  Com investimento de R$ 47 milhões, Assaí Atacadista chega a Rondônia

“Com a melhora da pandemia recolocamos na nossa cena a quadrilha e o boi bumbá. A gente recomeça a trazer as atividades culturais e o movimento dos grupos com toda uma cadeia por trás disso, movimentando a economia de todas as formas. As pessoas compram tecidos, aviamentos, enfeites e adereços. Isso fomenta a economia no comércio local, além da contratação de artistas”, concluiu Altair.

Texto: Renata Beccária
Foto: Leandro Morais

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA