PORTO VELHO

Porto Velho

EDUCAÇÃO – Faculdade da Prefeitura facilita acesso de estudantes ao ensino superior

Porto Velho


Número de bolsas integrais para acadêmicos triplicou

 Silvana dedica diploma ao programa Faculdade da PrefeituraDesde cedo, Silvana Cabral, de 46 anos, definiu que a educação seria o seu passaporte para uma vida melhor. Apaixonada pelos estudos, viu apenas um obstáculo: falta de recursos próprios para ingressar no tão sonhado curso de Administração.

“Eu sempre senti que tinha afinidade com essa área. Por ser mãe e chefe do lar, aprendi desde cedo a administrar os rendimentos da família e tinha curiosidade de levar a experiência para uma futura profissão”, explica Silvana.

Prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2016. Com a nota obtida, optou por concorrer a uma das bolsas oferecidas pelo programa Faculdade da Prefeitura.

Embora fosse um dos cursos mais procurados do país, Silvana conseguiu ingressar na faculdade e concluir a graduação no tempo regular.

“Durante os quatro anos de estudo, recebi o mesmo tratamento e oportunidades que qualquer outro acadêmico. Mesmo com a pandemia afetando tudo, consegui o sonhado diploma. Uma conquista que devo ao município”, afirma ela.

ALTERNATIVA

Criada há 11 anos, a Faculdade da Prefeitura é um programa social que oferece bolsas integrais em instituições privadas de ensino superior a moradores de Porto Velho em condição de baixa renda. Augusto Leite, presidente do Conselho Gestor da Faculdade da Prefeitura (CGFP), explica que a atual gestão permitiu que mais pessoas, com a mesma trajetória da Silvana, tivessem a chance de obter uma graduação.

“Em cinco anos de gestão do prefeito Hildon Chaves, o município já disponibilizou o triplo de bolsas que foram concedidas nos anos iniciais do programa. Das mais de 700 bolsas ofertadas até hoje, 570 ocorreram só na atual gestão”, explica Augusto.

Além de ter participado da edição mais recente do Enem, o candidato precisa ser residente do município de Porto Velho há pelo menos cinco anos, ter renda familiar mensal de até três salários mínimos ou renda ‘per capita’ de até um salário mínimo, ter cursado todo o Ensino Médio em escola pública ou na rede particular na condição de bolsista integral e não ser portador de diploma de ensino superior.

Leia Também:  Hildon Chaves parabeniza servidores públicos e todos os trabalhadores de Porto Velho

A Prefeitura de Porto Velho trabalha para garantir que mais pessoas de baixa renda tenham a mesma chance. “O programa vai continuar ofertando bolsas semestrais. O conselho está preparando o processo seletivo 2021.2 que vai contemplar os moradores que prestaram o Enem 2020”, explica Augusto.

MUNDO

Larissa conquistou duas titulações em biologiaA dificuldade para ingressar no ensino superior é comum para muitos estudantes após a conclusão do Ensino Médio. Eles precisam enfrentar a alta concorrência nas universidades públicas e com as mensalidades em instituições privadas de ensino.

Esse foi o caso de Larissa Lobato. A bióloga, hoje com 25 anos, viu no programa da Prefeitura a oportunidade de ingressar no curso dos sonhos.

“Eu sempre gostei muito da natureza e da possibilidade de mostrar a Amazônia ao mundo. E acima de tudo, ensinar as pessoas sobre a importância de preservar a nossa casa”, explica Larissa.

A estudante conquistou uma bolsa integral no curso de Biologia em 2017. Amante da natureza, Larissa trabalha hoje com a educação ambiental, levantamento de fauna e no resgate de animais.

Leia Também:  JACI-PARANÁ: Festival de Praia confirmado com atrações musicais e esporte durante três dias

Nas redes sociais, ela mantém uma página onde divulga suas ações e a paixão pela Amazônia. “O mundo inteiro gostaria de estar aqui. E temos tudo isso bem do nosso lado. Nada mais justo do que mostrar isso e, acima de tudo, reforçar a importância de preservação da nossa fauna e flora”, explica.

FUTURO

Bióloga trabalha hoje com consciência ambientalSilvana e Larissa têm planos para depois da faculdade. Silvana pretende usar a titulação para participar de concursos públicos. A administradora também cogita uma especialização na área o quanto antes.

Larissa está finalizando o processo de registro no Conselho Regional de Biologia (CRBio) e já programa fazer mestrado fora de Rondônia. A bióloga quer desenvolver pesquisas em herpetologia, ramo que estuda répteis e anfíbios.

Para o presidente do CGFP, essas histórias mostram que a Prefeitura de Porto Velho vem cumprindo um papel importante na vida de futuros acadêmicos e ajudando, ao mesmo tempo, no desenvolvimento regional.

“O município vem atingindo a sua finalidade social ao permitir que esses estudantes tenham a chance de ingressar no ensino superior. Com essas conquistas, há melhoria de vida do estudante, de sua família, além de promover o desenvolvimento de todo a cidade”, finaliza.

VEJA O VÍDEO AQUI.

Texto: Pedro Bentes
Fotos: Saul Ribeiro e Arquivo pessoal

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Porto Velho

COVID-19 – Mais de 400 profissionais da segurança e salvamento são vacinados em Porto Velho

Publicados

em


Policiais e militares fazem parte do grupo atendido com a primeira dose do imunizante AstraZeneca

Lizett Possidonio destacou a importância da imunizaçãoMais um grupo de profissionais da segurança e salvamento foi vacinado contra a Covid-19 na quarta-feira (5), pela Prefeitura de Porto Velho. O atendimento foi realizado na Faculdade Uniron. A primeira dose da vacina AstraZeneca foi aplicada em 403 pessoas.

O trabalho é coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), que mobiliza equipes de profissionais e voluntários para as diversas atividades que acontecem no processo de imunização.

A seleção dos profissionais da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) e Forças Armadas é realizada nas próprias corporações. À Semusa cabe a vacinação.

De acordo com a enfermeira Mariana Martellet, da Divisão de Imunização, a vacinação deste público atende a determinação do Ministério da Saúde (MS).

“A cada remessa destinada para estes grupos, entramos em contato com as instituições para pedir a lista das pessoas que serão atendidas”, explica. Outros profissionais das forças de segurança serão atendidos quando novas doses forem enviadas pelo MS.

CONTATO

Leia Também:  #SEMÁFOROS: Prefeitura investe em tecnologia de comunicação em rede

O policial militar Razec Castro Andrade recebeu o imunizanteLizett Possidonio, delegada de Polícia Civil, foi uma das vacinadas. Ela disse que a vacina é importante, já que o trabalho da polícia não parou com a pandemia. “Nós, da Polícia Civil, queremos fazer sempre um bom atendimento ao público e sem a imunização é impossível. A população precisa do nosso serviço”, disse a servidora.

O policial militar Razek Castro Andrade também foi vacinado. Ativo na guarnição do distrito de Rio Pardo, ele diz que é essencial a imunização dos militares. “Somos os primeiros que chegam e os últimos que saem, temos contato direto com a população e a vacinação diminui os riscos”, afirmou.

Participaram do processo de vacinação cerca de 50 pessoas, entre servidores e voluntários. Esta é a quarta fase da vacinação para trabalhadores da segurança e salvamento. Eles devem retornar para a segunda dose em 90 dias. Antes haviam sido vacinados cerca de 1.100 profissionais da segurança com primeira dose.

Texto: Renata Beccária
Fotos: George Luiz

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA