PORTO VELHO

Porto Velho

Porto Velho: FIERO e parceiros doam EPIs para a SEMUSA

Porto Velho

Uma ação capitaneada pela Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO) envolvendo empresários, empresas e entidades de diversos setores, como a Energisa Rondônia, Einstein Instituição de Ensino Ltda, Sindicato dos estabelecimentos de ensino particular do estado de Rondônia (SINEPE) e Grupo Rovema, resultou na aquisição e posterior doação de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para atender a rede de saúde de Porto Velho no enfrentamento à covid-19. A necessidade emergencial se deu pelo fato do aumento considerável do número de atendimentos de casos suspeitos e confirmados na capital.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SEMUSA), os casos estão numa crescente assustadora, e os pacientes têm permanecido vários dias nas unidades de urgência e emergência aguardando leitos para internação na rede estadual e precisando de suporte clínico, o que justifica o consumo desenfreado dos materiais para prosseguir com os atendimentos aos pacientes.

Diante desta situação, foram adquiridos pelo grupo de empresários e entidades, máscaras não reinalantes – com reservatório, máscaras cirúrgicas, e luvas de procedimento látex de tamanhos P, M e G, atingindo um quantitativo aproximado de 52 mil pares. Entre os dois tipos de máscaras, são quase 2 mil unidades.

Leia Também:  TECNOLOGIA:Dr Hildon recebe sugestão de novo software do TRE

As doações foram realizadas nesta quarta-feira, 3, na sede da FIERO e foram recebidas pela secretária da SEMUSA, Eliana Pasini. De acordo com a secretária, esse material supre as necessidades durante duas semanas. Estes EPIs serão destinados para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs Sul e Leste) e os postos de saúde, Ana Adelaide, José Adelino e para o SAMU.

O presidente da FIERO Marcelo Thomé, afirmou que assim que recebeu a solicitação de ajuda da secretária, mobilizou os empresários do setor produtivo para se engajar neste ato de solidariedade. “Buscamos ajudar para recuperar a capacidade do município no sentido de ter todos os itens para o pleno atendimento aos enfermos”, disse. Com relação aos demais itens solicitados pela SEMUSA, Marcelo Thomé ressaltou que o grupo atenderá dentro da sua capacidade financeira, que é limitada, e de mercado, pois muitos equipamentos estão em falta para aquisição imediata.

Ao final, a secretária fez um apelo à população para que não promovam aglomerações desnecessárias. “Se você precisa sair para trabalhar, se proteja, use máscara, higienize as mãos com frequência, mas à noite, chegue em casa e não saia mais. Nossas unidades estão lotadas e nossos médicos e enfermeiros exaustos, desabafou Eliana Pasini”.

Leia Também:  TRE-RO E GOVERNO DE RONDÔNIA FIRMAM PARCERIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÕES

Participaram da solenidade de entrega, o vice-prefeito de Porto Velho, Maurício Carvalho, o presidente da Energisa André Theobald, o diretor do Sindicato dos estabelecimentos de ensino particular do estado de Rondônia – SINEPE, Augusto Pellúcio e o diretor do Grupo Rovema, Gilvan Guidin.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Porto Velho

108 ANOS – Porto Velho completa mais um ano em pleno desenvolvimento

Publicados

em

Origem do município está ligada à construção da Madeira-Mamoré

Em franco desenvolvimento, Porto Velho completa 108 anos de criação neste domingo, 2 de outubro. A região pertencia ao estado do Amazonas, sendo vinculada ao município de Humaitá. No dia 2 de outubro de 1914, o então governador do Amazonas, Jonathas Pedrosa, assinou a Lei nº 757 que criou oficialmente o município de Porto Velho.

Professor e historiador Célio Leandro

O professor e historiador Célio Leandro afirma que a origem de Porto Velho está ligada diretamente à história da construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. “Percival Farquhar, em 1907, vai desenhar Porto Velho, que foi uma das primeiras cidades planejadas do Brasil, e que vai ter datas bem curiosas”, comentou o historiador.

Célio Leandro informa que, conforme registros históricos, os americanos quando aqui se instalam, em 1907, adotam o dia 4 de julho como data de fundação do município, em alusão ao dia da independência dos Estados Unidos da América. “Nessa data foi dado o pontapé inicial, com a construção das primeiras casas no entorno, do primeiro barracão, então seria uma data de fundação”, disse.

DUAS COMEMORAÇÕES

Com relação às duas celebrações em homenagem a Porto Velho, o professor explica que no dia 2 de outubro se comemora o aniversário de criação do município e 24 de janeiro a sua instalação.

Dia 2 de outubro comemora o aniversário de criação do município“Dia 2 de outubro de 1914 foi a data da assinatura da lei de criação do município, pelo governador Jonathas Pedrosa. Mas, teve todo um processo, a distância da capital do Amazonas, a vinda de um prefeito, de todo secretariado para montar uma estrutura administrativa, concluída essa instalação no dia 24 de janeiro de 1915, onde de fato, Porto Velho ganhou uma autonomia administrativa, com o superintendente na época, o major Fernando Guapindaia Bregence, primeiro prefeito nomeado”, explicou.

Leia Também:  "Juntos Salvamos Vidas" é tema do Movimento Maio Amarelo para trânsito seguro; abertura acontece na próxima sexta-feira

UM NOME E DUAS HISTÓRIAS

De acordo com o historiador, o nome Porto Velho tem uma situação bem curiosa. A história oficial é de que nesse local havia um velho porto militar que deu origem ao nome da cidade.

“Nós temos uma história oficial, documentada, que dá conta de um porto militar. Na época da guerra do Paraguai, Dom Pedro II criou aqui, nessa região abaixo da cachoeira de Santo Antônio, um porto militar para dar suporte à fronteira. A guerra do Paraguai passou e esse porto ficou como referência, era o porto velho dos militares”, comentou.

Desenvolvimento da cidade é reconhecido por seus habitantesOutro fato não documentado, mas que teria sido passado de geração em geração, é a história de um homem conhecido por Pimentel. “Ele teria aqui na região um porto de apoio, conhecido como o velho do porto, ou o porto do velho. E ficou Porto Velho, essa bela cidade que nós temos hoje”, completou.

DESENVOLVIMENTO

Para Célio Leandro, natural do estado do Pará, que há 30 anos vive na capital rondoniense, Porto velho tem em sua essência povos aguerridos, já que a cidade foi formada por mais de 50 nacionalidades, além dos nordestinos que chegaram na década de 1940, entre outros pioneiros.

“A gente percebe hoje o quanto Porto Velho evoluiu. Na questão econômica tem prosperado demais. Me orgulho em saber que a nossa piscicultura é fornecida para vários países. Tem frigorífico que fornece peixe para a Rússia, Estados Unidos e para a China. Me orgulho muito em saber que a nossa pecuária é uma das mais fortes do estado, que fornece carne para todos os cantos do mundo”, declarou.

Leia Também:  TRE-RO E GOVERNO DE RONDÔNIA FIRMAM PARCERIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ELETRÔNICO DE INFORMAÇÕES

O professor e historiador disse, ainda: “me orgulho muito em saber que nós temos uma cidade que está sendo estruturada. O povo percebe a pavimentação das ruas, a reestruturação da rede educacional, eu que sou professor percebo isso”, destacou.

Ele acrescentou que a cidade hoje tem pessoas que se orgulham de serem portovelhenses de fato, e que abraçam Porto Velho. “É comum vermos estudantes que percebem o patrimônio histórico sendo restaurado. Hoje nós temos uma sociedade consciente, uma sociedade que reconhece a nossa história”, finalizou.

AMOR PELA HISTÓRIA

A gestão do prefeito Hildon Chaves tem demonstrado cuidado, respeito e amor para com o patrimônio histórico do município. O complexo da lendária Madeira-Mamoré, onde tudo começou, foi totalmente revitalizado e modernizado. Terá museu interativo, praça de alimentação, calçadão, pista de caminhada e espaço para comercialização de artesanatos, entre outros atrativos.

As primeiras caixas d’água que abasteciam a cidade, que se tornaram símbolo do município, conhecidas como as Três Marias, também atestam esse cuidado e zelo. Em agosto último, a Prefeitura iniciou as obras de escoramento dos pés de uma das estruturas, que devido a ação do tempo e de vândalos, apresenta corrosão.

O prédio do relógio, construído em formato de locomotiva, que no início da cidade foi a sede administrativa da Madeira-Mamoré, também foi revitalizado e atualmente abriga toda estrutura de gabinete do prefeito Hildon Chaves.

Sede do primeiro mercado modelo da cidade, hoje conhecido como Mercado Cultural, um espaço totalmente dedicado para eventos culturais e artísticos, é outro que foi revitalizado na gestão atual.

Texto: Augusto Soares
Foto: Leandro Morais, Ricardo Farias

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Fonte: Prefeitura de Porto Velho – RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA