PORTO VELHO

Porto Velho

Prefeito discute compensações com presidente de hidrelétrica

Porto Velho

Numa reunião que se estendeu por quase duas horas, da tarde de terça-feira (18) até o início a noite, o prefeito de Porto Velho, dr Hildon Chaves cobrou do presidente da Santo Antonio Energia, Eduardo de Melo Pinto, o investimento de mais recursos a título de compensação socioambiental. O prefeito considera que a hidrelétrica ainda tem um grande passivo, principalmente com relação ao distrito de Jacy-Paraná, localidade que mais sofreu com impactos diretos sociais e ambientais, além da Estrada de Ferro Madeira Mamoré, já que a usina firmou compromisso de reativação do trecho da ferrovia até Santo Antonio, num percurso de sete quilômetros.

O presidente da hidrelétrica Santo Antônio Energia (SAE), Eduardo Melo atribuiu à usina de Jirau a culpa pelos impactos sociais em Jacy-Paraná, que foi o distrito que abrigou a maioria dos trabalhadores na obra de Jirau. Em 2000, a população do distrito era de 2.214 habitantes. Em 2014, era de 15 mil moradores. Com o fim das obras, a população voltou a cair vertiginosamente.

Melo disse que dos R$ 65 milhões acertados para compensação para Porto Velho, ao final da obra, os investimentos já somavam R$ 93 milhões, contudo, para o prefeito dr Hildon Chaves, o resultado efetivo teve pouca relevância, já que predominaram investimentos em reforma e ampliação de escolas, de postos de saúde, ações de combate à malária, doação de carros e equipamentos e, praticamente, nada em infraestrutura.

Leia Também:  Honorário advocatício para advogados públicos instituído por lei de Rondônia é inconstitucional, opina MPF

A promotora de Habitação, Urbanismo e Patrimônio Histórico do Ministério Público, Flávia Barbosa Shimizu Mazzini, que participou da reunião, observou que no vácuo dos dois empreendimentos hidrelétricos (Jirau e Santo Antônio), Jacy-Paraná “está se tornando uma cidade fantasma”. Ao destacar que a SAE coleciona uma série de ações na justiça, a promotora criticou o remanejamento sem planejamento de moradores em Jacy, disse que muitos foram transferidos para locais encharcados, cujas moradias estão comprometidas, outros foram levados para terras inférteis e enfatizou ainda a falta de um programa de geração de empregos para os moradores do distrito.

Tanto para a promotora do MP quanto para o prefeito, a situação dos moradores de Jacy é dramática e exige uma solução. Dr Hildon cobrou uma compensação no valor de pelo menos R$ 12 milhões para investimento em infraestrutura no distrito, principalmente para drenagens profundas e superficiais, asfaltamento, calçadas, sarjetas e meio fio.

Eduardo Melo informou que tanto no protocolo de intenções para a construção da usina, assim como nas audiências públicas para discutir os impactos, não foi assumida nenhuma responsabilidade de compensação para Jacy Paraná. Segundo ele, os impactos foram apenas no reservatório e todos moradores afetados foram indenizados. Ele admitiu, contudo, “problemas em consequência de decisões equivocadas no passado”.

Leia Também:  Edição 467 - Boletim diário sobre coronavírus em Rondônia

O prefeito cobrou ainda cerca de R$ 20 milhões para revitalização da Estrada de Ferro Madeira Mamoré. Dr Hildon pediu a reativação do trecho da estrada de ferro até a antiga Cachoeira de Santo Antônio, conforme compromisso firmado pelo consórcio construtor da usina ainda no começo das tratativas das compensações, mas o presidente da hidrelétrica insistiu na tese da instabilidade geológica do trecho que margeia o Rio Madeira, principalmente depois da cheia de 2014. Segundo ele, corre-se o risco de fazer um investimento alto e pouco tempo depois o desbarrancamento do rio levar água abaixo todo o trabalho feito.

Ao final da reunião, o presidente da hidrelétrica deixou o gabinete com a missão de expor aos acionistas da hidrelétrica o pleito de liberação de mais R$ 32 milhões a título de compensações, sendo R$ 20 milhões para a EFMM e outros R$ 12 milhões para infraestrutura em Jacy-Paraná. Ele ficou de dar uma resposta em breve.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Porto Velho

COVID-19 – 8ª edição do drive-thru vacinou público de 25 anos acima

Publicados

em


Estratégia montada pela Prefeitura tem garantido a aceleração das faixas etárias

Prefeito esteve na ação e reduziu a faixa etária para 25+

A vacinação contra a Covid-19 no formato drive-thru, que já virou tradição na estratégia de imunização da Prefeitura de Porto Velho, mais uma vez foi sucesso. A ação da noite de sexta-feira (30), no pátio do Prédio do Relógio, sede da administração municipal, foi dedicada ao público acima de 25 anos.

Deisiane Barros de Oliveira estava ansiosa pela vacina

A decisão do prefeito Hildon Chaves, em reduzir mais uma vez a faixa etária, aconteceu logo no início do evento, devido à celeridade no atendimento e tranquilidade das filas formadas por pessoas tanto de carro quanto a pé.

“Nós temos adotado uma postura bastante agressiva nessa questão porque a nossa equipe entende que vacina não tem que voltar pra geladeira, vacina tem que estar no braço do portovelhense. Então, sempre que há uma diminuição na procura, nós baixamos a idade porque tem muita gente, de todas as idades, com vontade de se vacinar, até por ter respeito à própria saúde e à vida. A variante Delta está aí em vários países da Europa, Estados Unidos, já chegou ao Brasil e é muito contagiosa. Por isso é importante que o público convocado inicie o esquema vacinal o quanto antes, pois a eficácia e proteção acima de 90% somente vai ocorrer após a segunda dose”, enfatizou o prefeito convocando a faixa etária em vigor.

Deisiane Barros de Oliveira, 26 anos, não perdeu tempo, afinal a ansiedade era grande. “Eu estava esperando por isso, todo dia eu atualizava o site da Prefeitura para conferir a faixa etária e hoje foi muito rápido. Que todos venham fazer o mesmo, pois quanto mais pessoas vacinadas, mais vida temos pela frente”, comemorou a estudante.

Leia Também:  Prefeitura cria programação especial para o aniversário da cidade

Keline da Silva Aragão aproveitou o drive-thru para receber o imunizanteKeline da Silva Aragão, 30 anos, perdeu o prazo da convocação e aproveitou o drive-thru para receber o imunizante. “É um privilégio. Quando minha mãe, que tem 67, se vacinou, eu me senti muito feliz e não via a hora de receber a minha. Eu não pude ir no dia que me chamaram, pois não tinha com quem deixar minha filha, então aproveitei essa nova oportunidade”, contou ela.

Também participaram da mobilização de imunização, que seguiu até as 22h, o vice-prefeito, Maurício Carvalho, a secretária municipal de Saúde, Eliana Pasini, e a secretária adjunta, Marilene Penatti.

VACINA CONTRA A FOME

Mais uma vez a primeira-dama, Ieda Chaves, que tem participado da vacinação como voluntária aplicando as doses do imunizante, esteve sensibilizando a população sobre a campanha “Vacina Contra a Fome”.

A campanha é focada na arrecadação de donativos para posterior doação a famílias e instituições que passam por dificuldades. “Nós já tivemos mais de 250 mil doses e esperávamos uma adesão maior na campanha. Não sabemos o motivo, mas tivemos um número muito pequeno em relação às doses. Nós já fizemos duas entregas totalizando em torno de 100 cestas básicas, então eu gostaria de pedir a quem já se vacinou e não colaborou por algum motivo, se tiver essa vontade, pode passar em um dos pontos, seja no drive ou nos postos fixos existentes na semana, mesmo que seja só para entregar o alimento. Podem nos procurar também pelas redes sociais ou aqui mesmo na Prefeitura, porque tem muitas pessoas que estão realmente precisando”, disse Ieda, ao lembrar que já foram mais de 10 mil cestas básicas distribuídas durante o ano com outras campanhas.

Leia Também:  Inscrições para curso de habilitação para emissão de certificados fitossanitários encerram na próxima terça-feira, 8

DIVULGAÇÃO

Leques de divulgação da Semdestur foram entregues durante o drive-thru

Aproveitando a passagem de populares no drive-thru, a Secretaria Municipal de Indústria, Comércio, Turismo e Trabalho (Semdestur) realizou uma ação educativa divulgando tanto os serviços da pasta quanto os projetos existentes na área de fomento ao turismo.

Coordenada pela secretária Glayce Anne Barros de Souza Bezerra, a equipe da Semdestur entregou vários leques contendo informações de diferentes circuitos que divulgam atrativos da capital por segmento, como Circuito Verde, que indica a visitação ao Parque Circuito, Parque Natural e Parque das Mangueiras; Circuito dos Monumentos que inclui o Painel dos Imigrantes, Estátua Soldado da Borracha e Origamis; Circuito Gastronômico que abrange o Mercado Cultural, Vila Candelária e Vila Teotônio, entre outros circuitos que podem ser acessados por um QR CODE presente no leque.

“Hoje nós estamos aqui para divulgar os circuitos turísticos que Porto Velho oferece e, além disso, os serviços existentes na Semdestur, como emissão de RG, seguro-desemprego, sala do empreendedor e muito mais”, explicou Glayce.

Texto: Renata Beccária
Foto: Leandro Morais

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA