PORTO VELHO

Porto Velho

RECONHECIMENTO – Servidores da saúde de Porto Velho avaliam importância da rotina de dedicação

Porto Velho

 

Dia do Trabalhador ganha um significado diferente no ano em que a Covid-19 afeta o planeta

Silvana Juliano atua na Maternidade Mãe EsperançaO Dia do Trabalhador esse ano é diferente para muitos dos servidores do município de Porto Velho. A pandemia da Covid-19 mudou a rotina para quem atua na área da saúde, impôs novos procedimentos e aprendizados, mas deixa em cada um a certeza de que cada atendimento é um bem para a humanidade.

Silvana Juliano de Naer, técnica de enfermagem há 23 anos, sete deles dedicados à Maternidade Municipal Mãe Esperança, faz uma reflexão sobre o cotidiano de trabalho na pandemia. Ela diz que a doença exige esforços mais complexos, como conciliar a própria segurança com o dever de cuidar da vida alheia.

“Antes da pandemia, nossas estruturas psicológica e física estavam num padrão de equilíbrio. A doença trouxe medo e dificuldades para enfrentar um vírus que ainda não é totalmente conhecido. Temos que enfrentar tudo isso e ainda passar segurança ao paciente”, diz Silvana.

Veridiana Pedrosa é diretora da UPA SulA figura do paciente é central no dia a dia desses trabalhadores. Veridiana Pedrosa, diretora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da zona Sul, explica que, agora, a relação de dependência dos pacientes em relação aos profissionais da saúde é ainda mais intensa. “O doente, seja jovem ou não, precisa de um enfermeiro para tudo. Ele não consegue, por exemplo, comer sozinho e ficar com oxigênio. Por isso, essa convivência exige de nós um alto nível de profissionalismo e humanidade”, explica a diretora.

Leia Também:  Porto Velho: Semad informa novos horários e procedimentos para atendimento

SIMBOLOGIA

O Dia Internacional do Trabalhador promove a busca do reconhecimento de cada trabalhador e trabalhadora pelo papel que desempenha na sociedade, por mais que seja em tarefas de pouca visibilidade.

A origem da celebração está nos protestos por diminuição na carga horária de trabalho nos Estados Unidos, ainda no século XIX. Passados mais de cem anos, muitos direitos trabalhistas foram conquistados e assegurados em Leis.

Em 2021, a luta de algumas categorias ainda é pelo reconhecimento da sociedade. Liobina Duran, enfermeira na UPA Sul, entende esse sentimento.

Liobina Duran diz que as pessoas passaram a valorizar mais os profissionais“Hoje, as pessoas veem a importância do trabalhador da saúde. A pandemia veio mostrar que nosso ofício é essencial para a manutenção da vida”, argumenta a enfermeira.

Para Silvana, a data reforça, ainda, o sentimento de união dos trabalhadores da saúde. São profissionais que se colocam todos os dias na linha de frente de combate à pandemia, numa batalha em que todos correm risco de perder a vida.

“Estendo meus parabéns e agradecimentos a todos os colegas da área da saúde. Continuamos sendo vitoriosos e atravessando esse momento difícil unidos”, finalizou a servidora.

Leia Também:  Prefeitura ilumina trecho da BR-364 na região do Bairro Novo

Texto: Renata Beccária e Pedro Bentes
Fotos: Saul Ribeiro, George Luiz e Leandro Morais

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Porto Velho

COVID-19 – Mais de 400 profissionais da segurança e salvamento são vacinados em Porto Velho

Publicados

em


Policiais e militares fazem parte do grupo atendido com a primeira dose do imunizante AstraZeneca

Lizett Possidonio destacou a importância da imunizaçãoMais um grupo de profissionais da segurança e salvamento foi vacinado contra a Covid-19 na quarta-feira (5), pela Prefeitura de Porto Velho. O atendimento foi realizado na Faculdade Uniron. A primeira dose da vacina AstraZeneca foi aplicada em 403 pessoas.

O trabalho é coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), que mobiliza equipes de profissionais e voluntários para as diversas atividades que acontecem no processo de imunização.

A seleção dos profissionais da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Estado da Justiça (Sejus) e Forças Armadas é realizada nas próprias corporações. À Semusa cabe a vacinação.

De acordo com a enfermeira Mariana Martellet, da Divisão de Imunização, a vacinação deste público atende a determinação do Ministério da Saúde (MS).

“A cada remessa destinada para estes grupos, entramos em contato com as instituições para pedir a lista das pessoas que serão atendidas”, explica. Outros profissionais das forças de segurança serão atendidos quando novas doses forem enviadas pelo MS.

CONTATO

Leia Também:  MPF pede bloqueio de bens de dono da JBS e de presidente da Eldorado

O policial militar Razec Castro Andrade recebeu o imunizanteLizett Possidonio, delegada de Polícia Civil, foi uma das vacinadas. Ela disse que a vacina é importante, já que o trabalho da polícia não parou com a pandemia. “Nós, da Polícia Civil, queremos fazer sempre um bom atendimento ao público e sem a imunização é impossível. A população precisa do nosso serviço”, disse a servidora.

O policial militar Razek Castro Andrade também foi vacinado. Ativo na guarnição do distrito de Rio Pardo, ele diz que é essencial a imunização dos militares. “Somos os primeiros que chegam e os últimos que saem, temos contato direto com a população e a vacinação diminui os riscos”, afirmou.

Participaram do processo de vacinação cerca de 50 pessoas, entre servidores e voluntários. Esta é a quarta fase da vacinação para trabalhadores da segurança e salvamento. Eles devem retornar para a segunda dose em 90 dias. Antes haviam sido vacinados cerca de 1.100 profissionais da segurança com primeira dose.

Texto: Renata Beccária
Fotos: George Luiz

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA