PORTO VELHO

Rondônia

25ª etapa da Operação Prevenção fiscaliza ações que desrespeitam medidas de enfrentamento à covid-19

Rondônia

 

Equipes de fiscalização atuaram em diversas zonas da cidade

 

Foi realizada entre a noite de sábado (17) e a madrugada deste domingo (18), a 25ª etapa da Operação Prevenção para coibir eventuais desrespeitos as determinações das medidas de enfrentamento da pandemia de covid-19 previstos no  Decreto Estadual N° 26.163 e no municipal  nº 17.364. A ação é realizada pelo Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), que busca conscientizar a importância das medidas para controle da doença no Estado.

Entre as regras estabelecidas na norma do Município de Porto Velho, estão a limitação da capacidade de pessoas em estabelecimentos e comércios e horário de funcionamento. Ainda, não é permitido o funcionamento de boates e casas de show e a venda de bebidas alcoólicas está proibida no período das 2h às 6h, todos os dias. Mas o que as equipes de fiscalização, coordenadas pelo Corpo de Bombeiros Militar (CBM), constataram desobediência das regras determinadas nos decretos.

Venda e consumo de bebidas alcóolicas fora do horário permitido são evidências do descumprimento de decretos

Bares abertos fora do horário permitido, consumo e vendas de bebidas alcóolicas no local, falta de distanciamento social e uso de máscara facial, foram algumas das atitudes encontradas. Na Zona Leste, por exemplo, as equipes de fiscalizações notificaram quatro estabelecimentos devido ao descumprimento dos decretos e outras irregularidades.

Leia Também:  Cultura e cidades amazônicas discutidas em debates prévios ao Amazônia+21

Uma boate, também localizada na Zona Leste, foi interditada por apresentar sérias irregularidades, funcionando fora do horário permitido, com uma concentração expressiva de pessoas. O ambiente era extremamente fechado, sem saída de emergência, entre outras anormalidades que poderiam colocar dos frequentadores em risco. As equipes de fiscalização fizeram a dispersão das pessoas, orientaram os responsáveis pelo estabelecimento e logo depois, fizeram a interdição do local.

Outro comportamento também observado durante a ação foi a prática do uso de narguilés, uma espécie de cachimbo árabe, que exala fumaça com diversos tipos de aroma.

Segundo a Sesdec, as operações de fiscalização têm sido realizadas para conscientizar a população e proprietários de estabelecimentos comerciais sobre a importância de se evitar aglomerações, uso de máscara, respeito ao distanciamento social para Rondônia consiga reduzir, de vez, os casos ativos de covid-19.

Foram cerca de cinco horas de operação em diversas zonas da cidade, que resultou em 26 estabelecimentos visitados, sendo quatro receberam orientação, um foi notificado com Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), além da dispersão de pessoas em situações que caracterizam aglomeração.

Durante operação, quatro estabelecimentos foram notificados

DENÚNCIA

Leia Também:  COVID-19 - Pessoas a partir de 45 anos começam a ser vacinadas nesta terça-feira (22)

Para inibir aglomerações, o Governo de Rondônia conta o apoio e a colaboração da população, que pode e deve atuar como agente fiscalizador, por meio de denúncias em casos de situações que caracterizem aglomerações. Os contatos são: 190 da Polícia Militar; 193 do Corpo de Bombeiros Militar e 197 da Polícia Civil.

Toda a ação contou ainda com a parceria de equipes da Polícia Militar (PM), Superintendência Estadual de Comunicação (Secom), e a Prefeitura de Porto Velho, por meio da Secretaria Municipal de Fazenda (Semfaz), da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) e da Subsecretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb).

OPERAÇÕES JÁ REALIZADAS

Em Rondônia, a “Operação Prevenção” é a nona ação de enfrentamento à pandemia. A missão antiaglomerações e averiguação do cumprimento aos decretos estipulados, iniciou em dezembro do ano passado. O histórico dessa atuação por parte do Poder Executivo Estadual, visando frear a proliferação do vírus já ultrapassa 9 (nove) mil intervenções. Fazem parte desse ciclo: a Operação Fase 3, seguida da 3 onda; Decreto, Consciência, Restrição; Alerta; Emergência e Urgência e a atual, ainda em andamento, Operação Prevenção.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

Familiares de servidores da Saúde recebem apoio psicológico e psiquiátrico pelo Ambulatório de Saúde Mental na POC

Publicados

em


Atendimento humanizado conta com equipe multidisciplinar atuante

Primando pela prevenção a doenças psíquicas causadas por conta da pandemia do coronavírus, o Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), implantou desde 2020 o programa “Rondônia Cuidando da Saúde de quem Cuida”, voltado especificamente aos servidores da Saúde e, agora, ampliado para o atendimento aos familiares.

No ano passado, a Sesau atendeu 183 servidores, com apoio psicológico, na modalidade call center, de forma virtual, e mais de 40 em rodas de conversa nas unidades de saúde, na primeira etapa do projeto, organizado pelo Programa de Residência Multiprofissional em Urgência e Emergência da Sesau (Rmue). Hoje, o projeto retorna como dispositivo de saúde e o atendimento ocorre no Ambulatório de Saúde Mental na Policlínica Oswaldo Cruz (POC).

De acordo com o psicólogo residente de Urgência e Emergência da Comissão de Residência Multiprofissional da Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia (Coremu), Renan Enes, que também é o idealizador do projeto, a finalidade é proporcionar um acesso simplificado ao atendimento em saúde mental aos servidores da Rede Estadual de Saúde e para os familiares diretos desses servidores que apresentam demandas de sofrimento psíquico decorrentes da pandemia da covid-19.

Leia Também:  Confira os nomes: Prefeitura divulga resultado da seleção para 146 monitores do transporte rural

‘‘É notório o reflexo dos impactos causados pelo cenário pandêmico, ainda mais na vida dos profissionais que atuam na linha de frente no combate à covid-19. Consequentemente se tornam gatilhos para o surgimento de transtornos mentais. Os sintomas variam entre ansiedade intensificada, depressão, estresse, abuso de substâncias psicoativas, burnout (distúrbio psíquico causado pela exaustão extrema), bem como, a iminência de riscos de suicídios e de deterioração de problemas mentais preexistentes e intensificados nesse período crítico de pandemia’’, pontuou Renan.

Com a ampliação do projeto voltado também aos familiares dos servidores da Saúde, o número de atendimentos está cada vez mais expressivo, chegando a 149 agendamentos para Psicologia e 103 para a Psiquiatria, de maio até o dia 20 de julho. Destes, 125 compareceram ao atendimento psicológico e 87 aos atendimentos psiquiátricos.

ATENDIMENTO HUMANIZADO

O Ambulatório de saúde mental da POC conta com uma equipe multidisciplinar, composta por psicólogos e psiquiatras. Toda a equipe vem se preparando desde março deste ano para atender, presencialmente, da melhor forma possível, tanto os servidores da saúde, quanto os familiares. Uma sala foi adaptada exclusivamente para o atendimento psicológico, garantindo conforto e segurança para quem busca ajuda. A sessão dura em média, 50 minutos. A partir do primeiro dia de consulta, o paciente passa a ser acompanhado semanalmente pela equipe multidisciplinar.

Leia Também:  Setic promove apresentação das propostas de expansão da Infovia Rondônia

Os atendimentos, agora, passam a ser presencial, na sala A 20, bloco Cupuaçu, das 7h30 às 13h e das 14h às 19h, na Policlínica Oswaldo Cruz, em Porto Velho. O agendamento pode ser feito pelo telefone: (69) 3216-2214, das 7h30 às 13h e das 14h às 16h, ou pelo do e-mail: [email protected].

Além disso, o projeto conta com o atendimento de psicologia on-line, exclusivamente, aos servidores do interior do Estado. Os agendamentos nesse caso são feitos diretamente com o psicólogo, Luiz Henriques por meio do contato: (69) 99971-0709.

O projeto é realizado por meio da Gerência de Programas Estratégicos (Cais/Gpes/Sesau), Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmt), POC e Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), tendo o apoio do Centro de Educação Técnico Profissional de Rondônia (Cetas) ao integrar o ensino e o serviço, os Programas de Residências Multiprofissionais e Uniprofissionais em Saúde e os Núcleos de Educação Permanente do Estado de Rondônia.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA