PORTO VELHO

Rondônia

Base de Laranjeiras do Parque Estadual de Corumbiara recebe placas de energia solar por meio de compensação ambiental

Rondônia


Sede da Base de Laranjeiras do Parque Estadual Corumbiara recebe um novo sistema de geração de energia renovável

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), promoveu a instalação de um novo sistema de geração de energia na Base de Laranjeiras do Parque Estadual de Corumbiara, localizado no município de Cerejeiras. A entrega das placas solares foi realizada pela Câmera de Compensação Estadual (Cecam) para a Coordenação da Unidade de Conservação (CUC), por meio da compensação ambiental de uma empresa de mineração.

O sistema fotovoltaico será responsável por converter a luz do sol em energia elétrica. De acordo com o coronel Demargli Farias, secretário-adjunto da Sedam, órgão sobre o qual os parques estaduais são vinculados gerencialmente, o novo sistema de geração de energia do parque vai possibilitar uma melhoria considerável nas ações de fiscalização, controle e de conforto para os operadores da base, visto que passaram a ter uma energia limpa (sem poluente), contínua e de boa qualidade, sem o incômodo do barulho do gerador e sem o risco de faltar óleo combustível.

Leia Também:  Decreto 25.975 reduz tributos e incentiva a comercialização de ovos produzidos em Rondônia

As placas instaladas na Base de Laranjeiras que estão revolucionando a geração de energia local foram instaladas no dia 31 de maio. Para o Governo de Rondônia, a iniciativa é plausível, eis que a substituição dessas fontes de geração auxiliará na produção de energia mais sustentável e não poluente.

Importa lembrar que o funcionamento de sistemas de energia solar fotovoltaica utiliza painéis solares que captam a luz e geram, pelo efeito fotovoltaico, correntes elétricas contínuas, que são convertidas para correntes alternadas pelo inversor solar. Dessa forma, a eletricidade está pronta para ser distribuída no local ou ser armazenada.

O projeto da Sedam tem todo apoio do governador Marcos Rocha que também defende projetos de geração alternativa para o Estado, para se chegar a uma fonte de energia limpa, sem poluentes e, por conseguinte, sem danos ambientais.

Para o secretário adjunto, Demargli Farias, a entrega e instalação dessas placas de energia solar é um marco para a Sedam e para a comunidade do Parque Laranjeiras, visto que além da geração de energia limpa (de fonte renovável), o sistema instalado é dotado de recursos para resistir as mais diversas condições climáticas, e tem a segurança de uma vida útil de 25 anos.

Leia Também:  Auditoria na folha de pagamentos vai apontar lançamentos indevidos

Para ele, a importância dessa conquista para a unidade está nos benefícios ambientais que ela encerra e também na sua logística agora consumada, visto que o Parque Estadual de Corumbiara é a maior unidade de conservação de Rondônia. Com mais de 424 mil hectares, na fronteira de Rondônia com a Bolívia, o parque é o único da região com predominância de biomas de áreas de cerrado, pantanal e floresta amazônica, resultando em grande beleza natural, com a diversidade da fauna e da flora e importante potencial turístico. A sua dimensão, contudo, demanda uma maior disposição de efetivo e abrangência fiscalizatória necessária à sua conservação.

Destaque-se, neste ponto, que o Parque Estadual de Corumbiara não registra crimes ambientais desde 2011, segundo publicação da wikiparques, para o bem da preservação ambiental.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

Lei Seca completa 9 anos de implantação em Rondônia; operação visa combater embriaguez no volante

Publicados

em


Operação Lei Seca completa 13 anos no Brasil e nove em Rondônia

A Lei n.11.705, de 19 de junho de 2008, conhecida popularmente em todo o país como Lei Seca, completa 13 anos de implantação no Brasil neste sábado (19). No Estado de Rondônia, a Lei Seca foi implantada há nove anos. Desde então, o Governo de Rondônia, por meio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), em parceria com a Polícia Militar (PM), vem trabalhando para combater a embriaguez ao volante.

A Lei n. 11.705, alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), passando a proibir a condução de veículo automotor na via pública, estando o condutor com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a seis decigramas, ou sob a influência de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência.

O número de acidentes de trânsito teve redução significativa de 23,27% em Rondônia, conforme dados do Anuário Estatístico. Em 2019, o Detran registrou redução de 4,06% de mortes por acidentes de trânsito, se comparado a 2018. O número caiu de 394 óbitos em 2018, para 378 em 2019. O índice de mortos no trânsito, por grupo de habitantes no Brasil, conforme prevê a meta do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), criado pela Lei n. 13.614/18, é de 4,52%, e o índice do Estado é de 3,72%, bem abaixo do índice nacional.

Leia Também:  PROJETO - Corregedor apresenta campanha “Declare seu Amor” a defensores de todo país

“A redução do número de acidentes de trânsito significa menos feridos nos hospitais e menos pessoas mortas no trânsito, a Lei Seca veio para salvar vidas”, disse o diretor-geral do Detran, Neil Aldrin Faria Gonzaga.

Antes, não havia previsão em lei do teor alcoólico necessário para a caracterização do crime, bastando que o motorista estivesse sob a influência de álcool. Em dezembro de 2012, foi sancionada a Lei 12.760, aprovada pelo Congresso Nacional, com nova alteração no CTB, que estabeleceu tolerância zero ao álcool e reforçou os instrumentos de fiscalização do cumprimento da Lei Seca: provas testemunhais, vídeos e fotografias passaram a ser aceitos como provas.

A operação será retomada nas principais cidades de Rondônia

O diretor Técnico de Fiscalização e Ações de Trânsito (DTFAT) e coordenador da Operação Lei Seca em Rondônia, Welton Roney Nunes Ribeiro, ressalta que com a aplicabilidade desta lei, que teve início no Rio de Janeiro, em 2009, e passou a ser realizada também em Rondônia, em março de 2012, o Estado vem chamando a atenção do Brasil ante a organização e resultados obtidos no combate à embriaguez na direção, que costuma ser realizada nos finais de semana, de forma simultânea, em vários pontos estratégicos.

Leia Também:  Auditoria na folha de pagamentos vai apontar lançamentos indevidos

O diretor-geral do Detran afirma, que com a publicação do novo Decreto n. 26.134 de 17 de junho de 2021 a operação será retomada nas principais cidades de Rondônia e aproveitou para agradecer todos os órgãos parceiros que trabalham em prol da segurança viária e preservação da vida. É indiscutível a relevância social da Lei Seca, que também é uma ação de Segurança Pública, visto que durante as blitzes são recuperados veículos roubados, furtados, além de também serem descobertos veículos clonados, armas são apreendidas e foragidos recapturados.

LEI FEDERAL

O condutor que for flagrado embriagado, conduzindo veículo, será autuado pelo Art. 165 do CTB e multado no valor de R$ 2.934,70, além de ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) recolhida e responder processo, podendo perder o direito de dirigir por 12 meses.

Sendo ainda configurado crime de trânsito de embriaguez previsto no art. 306 do CTB – nos casos de recusa em fazer o teste com constatação de sintomas relevantes de embriaguez, ou mesmo se o resultado do teste for igual ou superior a 0,34 mg de álcool por ar expelido, o condutor será preso em flagrante e poderá responder processo criminal.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA