PORTO VELHO

Rondônia

Campanha de conscientização para combate às queimadas e incêndios florestais é implantada pela Sedam

Rondônia

Diversas ações educativas já estão sendo desenvolvidas para evitar o crescimento do número de incêndios e queimadas

Com a chegada do tempo seco e a escassez das chuvas, para ajudar a combater as queimadas, o Governo de Rondônia por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental – Sedam, realiza a campanha anual, durante os meses de junho, julho e agosto, para conscientizar a população quanto a esse problema que prejudica o meio ambiente, fauna, flora, e ameaça a segurança e a saúde das pessoas. Neste ano a campanha reforça a importância da participação de todos na prevenção, tendo como tema “Educar é prevenir”.

Alguns fatores inferem direta e indiretamente, como a exemplo dos incêndios que causam a perda de biodiversidade e empobrecimento do solo, consumindo grande parte das árvores adultas; os animais perdem locais de abrigos e alimentos e, quando não conseguem fugir, estes acabam atingidos pelo fogo. Além de causar prejuízos à natureza, a ocorrência de queimadas provoca danos à saúde, elevando os problemas respiratórios, principalmente em períodos de estiagem.

Materiais orientativos e jogos educativos relacionados às queimadas são apresentados

A Sedam vem trabalhando com ações educativas desde janeiro de 2022, visitando escolas, associações rurais, prefeituras e secretarias municipais de Meio Ambiente, a fim de impulsionar metas conservacionistas. Deigna Laís Oliviak, coordenadora de educação ambiental da Sedam, explica que o trabalho de conscientização ambiental é fundamental para promover  o trabalho realizado pela Secretaria. “Toda orientação e conscientização é tão importante quanto as ações de combate às queimadas ilegais e focos de incêndios”

Leia Também:  Maurão de Carvalho prestigia inauguração de shopping em Cacoal

De acordo com a coordenadora estadual, a primeira fase da campanha consiste em ações de sensibilização à população sobre a forma correta para cuidar do meio ambiente, com orientações por meio de blitz educativa, com a divulgação de materiais orientativos como banners, fôlderes e jogos educativos relacionados às queimadas, voltados ao âmbito escolar. A segunda etapa da campanha acontece de julho a outubro, para este período que acontece a seca, a chamada estiagem, acontecerá fiscalização mais ostensiva. Este trabalho tem como objetivo enfatizar a importância da colaboração da comunidade nos casos de denúncias relacionadas a crimes ambientais cometidos.

“A campanha contra queimadas e incêndios florestais realizada pelo Governo de Rondônia, por meio da Sedam, não visa apenas a punição, mas  a realização de um trabalho construtivo de Educação Ambiental, para que toda a sociedade entenda quais problemas são causados pela destruição do meio ambiente”, detalhou Deigna.

Rondônia conta com 17 unidades de Escritórios Regionais de Gestão Ambiental – Erga, em todo o Estado, em conjunto à Coordenadoria de Educação Ambiental – Ceam e em parceria com outros órgãos.

FOCOS DE QUEIMADAS

Dados coletados são armazenados em uma base de dados na Coordenadoria de Geociências

A Secretaria Estadual do Meio ambiente elabora boletins com informações de localização e quantidade de focos detectados por município e também em áreas específicas – unidades de conservação e terras indígenas. As informações coletadas são armazenadas em uma base de dados na Coordenadoria de Geociências – Cogeo, na Sala de Situação da Sedam, elas são analisadas e formatadas por meio de planilhas, ferramentas de geoprocessamento, gerando relatórios quinzenais e mensais, além de alertas para a fiscalização da Sedam.

Leia Também:  Prefeito mobiliza equipe para licitação do Shopping Popular

Segundo o relatório apresentado pela Sedam, neste ano, de janeiro a junho, foram registrados 1509 focos de calor. Sendo que em janeiro foram 540, fevereiro 55, março 17, abril 152, maio 540 e em junho 205 focos.

FISCALIZAÇÃO

Além das ações citadas, o Governo de Rondônia realiza outras medidas como a construção de aceiros, monitoramento e prevenção, manutenção de brigadistas treinados e capacitados para conter os incêndios florestais em suas áreas de atuação. Para auxiliar no combate às queimadas, a Coordenadoria de Proteção Ambiental – Copam intensifica os trabalho de fiscalização em todo o estado de Rondônia.

Esta etapa terá como foco, prejuízos legais e ambientais, enfatizando a importância da colaboração cidadã nos casos de denúncias de crimes ambientais cometidos. Nas situações que favoreçam atos irregulares, o responsável é autuado. O monitoramento é realizado junto à Copam, o Corpo de Bombeiros, Departamento de Defesa Civil Estadual e o Batalhão de Polícia Ambiental – BPA.

Para conhecimento da população, a Sedam orienta que existe uma forma de fazer “queimada controlada”, a fim de atender um determinado objetivo como, por exemplo, para fins de limpeza de pastagem. O proprietário da área com vegetação que deseja realizar o ato deve possuir uma autorização da Secretaria, adquirido por meio do site da Sedam. Outras orientações e informações também podem ser encontradas no site mencionado.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

82,3% das viagens dos rondonienses foram por motivos pessoais

Publicados

em

O suplemento de Turismo da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) mostra que, em 2021, das 68 mil viagens feitas por rondonienses, 82,3% foram por motivos pessoais e 17,7% por motivos profissionais. Os percentuais são semelhantes aos apresentados em 2019: 80,5% por motivos pessoais e 19,5% por motivos profissionais.Por local de hospedagem, a casa de amigo ou parente foi a principal instalação, representando 45,9% das viagens ocorridas em 2021. Em todo o Brasil, a casa de amigo ou parente também foi a principal acomodação, sendo 42,9% de todas as viagens.A pesquisa aponta também que, das viagens realizadas pelos rondonienses por motivo pessoal, 23 mil (42,1%) foram para visita ou eventos de familiares e amigos, 17 mil (30,3%) para tratamento de saúde ou consulta médica, dez mil (18,1%) para lazer e cinco mil (9,4%) tiveram outros motivos.Ao comparar as informações da pesquisa nos anos de 2019 e 2021, percebe-se que as viagens com carro particular ou da empresa passaram a corresponder a mais da metade dos veículos utilizados. Em 2019, as viagens com carro particular ou de empresa representaram 36% do total. Já em 2021, este percentual foi de 56,8%.Em relação ao número de domicílios em que houve viagem, a PNAD Contínua aponta que, no ano de 2019, ocorreram viagens em 17,4% dos domicílios rondonienses enquanto que, em 2021, este índice foi de 9,3%.Nos domicílios em que nenhum morador viajou em 2021, foi questionado sobre o motivo, sendo que os mais recorrentes foram: não ter necessidade (29,1%), não ter dinheiro (19,7%) e não ser prioridade (19,3%). Estes índices foram diferentes dos indicados em 2019: em 43,5% dos domicílios que nenhum morador viajou o motivo foi por não ter dinheiro; 17,5% não ter tempo e 17,5% não ter necessidade. 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA