PORTO VELHO

Rondônia

DER inicia estudo para pavimentar Estrada do Nazaré, no município de Ji-Paraná  

Rondônia


Serão pavimentados mais de 3 quilômetros da Estrada do Nazaré que dá acesso à Penitenciária de Ji-Paraná

O Governo de Rondônia, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) vai pavimentar 1,2 quilômetros e recapear um quilômetro na Estrada do Nazaré, que dá acesso à Penitenciária Agenor Martins de Carvalho, em Ji-Paraná. A obra está orçada em mais de R$ 4,5 milhões, e terá inicio após a conclusão da pista de ciclovia na RO-135 de aproximadamente três quilômetros de extensão entre a ponte sobre o rio Urupá até a rotatória do Anel Viário.

Em relação a nova empreitada do DER, o secretário regional executivo da Casa Civil, Everton Esteves afirma tratar-se de um projeto é um sonho dos servidores que trabalham na unidade prisional, e também de quem mora e trabalha nessa região. “Graças a Deus, a gente está com essa orientação do governador Marcos Rocha, que inclusive foi dada na assinatura do Termo de Cooperação do “Tchau Poeira” e “Governo na Cidade”, com a pavimentação de 63 quilômetros na área urbana da cidade, 143 km de iluminação com lead e R$ 298.555,04 (duzentos e noventa e oito mil, quinhentos e cinquenta e cinco reais e quatro centavos) para revitalização da Praça São Bernardo”, destaca.

Produtor rural, Francisco Pedro com equipe do DER

O projeto que será executado, prevê a construção de obras de arte, base, sub-base e pavimento com concreto betuminoso usinado a quente (Cbuq) na estrada do Nazaré, no estacionamento da Penitenciária Agenor de Carvalho e na rua lateral, assim que os estudos forem concluídos pela equipe do DER. “Inicialmente vamos fazer a topografia, após essa etapa a geometria no trecho que será recapeado, e juntamente com ela, daremos início aos estudos hidrológicos para construção das galerias necessárias para garantir mais segurança nessa obra, além de proporcionar aos usuários melhor trafegabilidade nessa região. Esse trecho tem um declive e uma ponta de várzea no fundo, e com esse estudo hidrológico será possível fazer as correções para execução dessa obra”, explicou o projetista do DER, Luis Flavio.

A previsão do DER, é que as obras comecem entre final de novembro e início de dezembro. Os recursos já estão assegurados. O objetivo de promover a valorização mobiliária e melhor qualidade de vida aos moradores da região e maior fluidez e segurança viária, além de impulsionar o crescimento da cidade com reordenamento do planejamento urbano.

Sobre o início das obras, Carlos Moraes, assessor técnico do DER, afirma que é uma orientação do governador Marcos Rocha, junto à diretoria geral do DER, que já determinou que a empresa contratada viesse ao local para fazer todo levantamento necessário para execução desse projeto. 

As vantagens são muitas, e os benefícios são para todos, deste valorização imobiliária, segurança na trafegabilidade, qualidade de vida e o que mais tem impulsionado a economia de todo Estado que é o agronegócio. Nesta região, também habitam produtores rurais que precisam escoar seus produtos. “Estou muito otimista e confiante com a execução desse projeto. Há muito tempo estamos aguardando por essa obra. Cansamos de enfrentar poeira na seca e atoleiros, pista alagada no inverno amazônico. Muitas famílias já mudaram dessa região devido a esses transtornos. Eu não arredei o pé daqui porque sempre tive esperança e hoje, o nosso sonho está prestes a se materializar”, expõe o produtor rural, Francisco Pedro, que mora há mais de 2o anos na Estrada de Nazaré.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  #INVESTIGAÇÃOSEMTRAN: Prefeito concede entrevista e esclarece pontos investigados pela Polícia Civil
Propaganda

Rondônia

Governo de Rondônia promove o etnoturismo por meio de visitas técnicas nas comunidades indígenas do Estado

Publicados

em


O povo Paiter Surui, com cerca de 2 mil indígenas, vive na Terra Indígena Sete de Setembro

O Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual de Turismo (Setur), realizou durante a semana, visitas em aldeias da comunidade indígena Surui, em Cacoal, para promover o etnoturismo e evidenciar as raízes da região. A visita aproxima a comunidade indígena Surui, que já trabalha com a receptividade turística.

Comunidade debate sobre plano estratégico de turismo nas aldeias

Locais, culinária, história e cultura. O turismo como um todo diz muito sobre uma região. As raízes históricas, muitas vezes esquecidas, podem ser resgatadas. Com o objetivo de desenvolver um planejamento estratégico para fluxo turístico dentro das comunidades indígenas e destacar a identidade de Rondônia, a Setur tem visitado aldeias em Cacoal para aproximar e gerar investimentos no etnoturismo.

Membros do Conselho Municipal de Turismo de Cacoal e lideranças indígenas como o Cacique Almir Surui, se reuniram com o Superintendente da Setur, Gilvan Pereira, e debateram um plano estratégico em conjunto dentro das comunidades indígenas para fomentar o turismo.

Gilvan Pereira, comenta que “o turismo indígena traz o fortalecimento e o retorno de algo consolidado no Estado. A cultura indígena é uma característica fundamental do turismo de base comunitária. É o que leva o Estado a mostrar a sua identidade”, destaca o superintendente.

Leia Também:  Decreto 26.134 determina criação de normativas de enfrentamento à pandemia conforme realidade de cada município de Rondônia

A gestora de projetos da Setur, Gisele Louise, afirma que “a visita técnica realizada é um reforço e complemento no trabalho que já tem sido feito pelas comunidades. A presença da Superintendência é fomentar ainda mais e garantir, com novas estratégias, a consolidação do etnoturismo”.

Aldeias visitadas pela Setur:

• Linha 11 Aldeia Lapetanha
• Linha 14 Aldeia Gabgir
• Linha 10 Aldeia Central
• Linha 10 Aldeia Iratana
• Linha 15 Aldeia Paybikeb
• Linha 09 Aldeia Pin Paiter

O povo Paiter Surui, com cerca de 2 mil indígenas, vive na Terra Indígena Sete de Setembro, localizada em uma região fronteiriça, ao norte do município de Cacoal (RO) até o município de Aripuanã (MT), e já utilizam a receptividade turística por meio do projeto desenvolvido pela Associação de Defesa Etnoambiental (Kanindé), junto com a Associação Metareilá do Povo Indígena Paiter Surui.

Gilvan Pereira e o Cacique Almir Surui, falam sobre o etnoturismo

A ambientalista e coordenadora do projeto da Kanindé, Ivaneide Bandeira, salienta a importância da presença do Governo de Rondônia no desenvolvimento turístico destas comunidades. “Nós ficamos muito felizes com essa parceria. Ter a Setur abraçando o turismo local é muito importante. São conexões com o setor empresarial, a comunidade e os indígenas nas aldeias, para que o turista desfrute das belezas e da convivência com os Paiter Surui”, comenta.

Leia Também:  #MPF recomenda à ANTT que fiscalize empresas de ônibus em Rondônia

Dentro do projeto da Kanindé, em parceria com a Associação Metareilá do Povo Indígena Paiter Surui, a fase é de implementação. Devem ser construídos bangalocas e pontos de apoio aos turistas. Ivaneide reforça que a ideia de ter uma parceria com a Setur, faz parte do objetivo para fomentar o etnoturismo na região.

O gerente de Desenvolvimento Ambiental Indígena, da Coordenadoria de Povos indígenas (Copin), Rubens Naraikoe Surui, comenta que “a iniciativa da Setur reforça a importância de incluir o turismo indígena no turismo do Estado. É mostrar as potencialidades não só das riquezas da floresta, mas também do conhecimento e cultura dos indígenas, além da renda que será gerada para as comunidades, município e Estado”.

A Setur reforça o comprometimento em promover o turismo no Estado e garantir investimentos que fomentem esse setor.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA