PORTO VELHO

Rondônia

Detran atinge objetivo com ações educativas e de orientações aos usuários na Rondônia Rural Show

Rondônia

Usuários são orientados pelo Detran Rondônia na Rondônia Rural Show para um trânsito mais seguro e humanizado

O Departamento Estadual de Trânsito – Detran – RO, montou um estande da Rondônia Rural Show em Ji-Paraná para oferecer serviços nas áreas de habilitação e veículos, além de atividades relacionadas à educação e orientação sobre trânsito. O trabalho junto aos visitantes da feira atingiu o objetivo ao realizar milhares de atendimentos.

O diretor-geral do Detran Rondônia, Paulo Higo Ferreira de Almeida, disse que o estande do órgão está sendo muito procurado pelos usuários que vêm em busca de serviços e também para conhecer e participar das atividades de educação e de orientação que o Detran está oferecendo. “Além dos serviços, temos um circuito com várias atividades educativas onde o usuário aprende sobre legislação de trânsito, de forma lúdica e brincando”, disse o diretor.

Jogos que estimulam o conhecimento sobre legislação de trânsito

Paulo Higo disse que é importante que as pessoas saibam que o Detran Rondônia tem um papel importante no contexto social que é trabalhar junto ao cidadão um trânsito seguro para todos. “O trânsito é formado por pessoas, seja condutor de veículo automotor, ciclista ou pedestre, quando um usuário desrespeita a Legislação de Trânsito, está ferindo o direito do outro ou até mesmo colocando a vida de terceiros em risco, o trânsito é responsabilidade de todos”, disse Paulo.

Leia Também:  Bolsa Família e Auxílio Emergencial distribui R$ 90 milhões para 268 mil rondonienses

O Detran Rondônia promove durante o ano todo atividades educativas para o público em formação e de orientação para o público adulto. Os profissionais do órgão realizam palestras nas instituições de ensino da Rede pública e privada, nas empresas, instituições públicas e em grandes eventos como é o caso da Feira Internacional Rondônia Rural Show.

Além disso o órgão tem em suas atribuições a responsabilidade de fiscalizar o trânsito para garantir a segurança viária. Paulo Higo, explica que quando um condutor não respeita a velocidade da via, passa em um semáforo fechado ou insiste em dirigir sob efeito de bebida alcoólica ou comete qualquer outra irregularidade no trânsito, esse condutor comete o erro de forma consciente, apostando na impunidade e muitos pagam com a própria vida, o fato de não respeitar a legislação de trânsito”, lamentou Paulo Higo.

PLANO NACIONAL DE REDUÇÃO DE MORTES

O Estado de Rondônia por meio do Detran Rondônia está trabalhando à implantação do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans) criado pela Lei nº 13.614, de 11 de janeiro de 2018, que acrescenta o art. 326-A ao Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e propõe um novo desafio para a gestão de trânsito no Brasil e para os órgãos integrantes do Sistema Nacional de Trânsito, que é reduzir o índice de mortes no trânsito em 50% até 2030.

Leia Também:  Presidente da OAB Rondônia critica liberação de novos cursos de Direito autorizados pelo MEC

Paulo Higo Ferreira de Almeida afirmou que a implantação do Pnatrans em Rondônia é fundamental e traz metas ousadas, ressaltando a importância da somatória de esforços de todos os integrantes do Sistema Nacional de Trânsito no sentido de desenvolver ações efetivas que garantam o desenvolvimento dos seis eixos propostos pelo Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito.

As metas de redução do índice de mortos no trânsito, fixadas pelo Conselho Nacional de Trânsito – Contran para cada um dos Estados da Federação e para o Distrito Federal, a partir das propostas dos Conselhos Estaduais de Trânsito – Cetran e da Polícia Rodoviária Federal – PRF, no âmbito das respectivas circunscrições, garantem que todos sejam chamados a contribuir.

Usuários participaram ativamente das atividades de educação e orientação de trânsito

A sociedade, forma direta ou indireta, pode participar dos processos criados para discutir o tema, conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro e a Agenda Regulatória da Secretaria Nacional de Trânsito – Senatran e outros setores da sociedade. Afinal “Juntos Salvamos Vidas” é o slogan das campanhas do Contran deste ano.

SEIS EIXOS

Pilar 1: Gestão da Segurança no Trânsito;

Pilar 2: Vias Seguras;

Pilar 3: Segurança Veicular;

Pilar 4: Educação para o Trânsito;

Pilar 5: Atendimento às Vítimas; e

Pilar 6: Normatização e Fiscalização.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

82,3% das viagens dos rondonienses foram por motivos pessoais

Publicados

em

O suplemento de Turismo da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) mostra que, em 2021, das 68 mil viagens feitas por rondonienses, 82,3% foram por motivos pessoais e 17,7% por motivos profissionais. Os percentuais são semelhantes aos apresentados em 2019: 80,5% por motivos pessoais e 19,5% por motivos profissionais.Por local de hospedagem, a casa de amigo ou parente foi a principal instalação, representando 45,9% das viagens ocorridas em 2021. Em todo o Brasil, a casa de amigo ou parente também foi a principal acomodação, sendo 42,9% de todas as viagens.A pesquisa aponta também que, das viagens realizadas pelos rondonienses por motivo pessoal, 23 mil (42,1%) foram para visita ou eventos de familiares e amigos, 17 mil (30,3%) para tratamento de saúde ou consulta médica, dez mil (18,1%) para lazer e cinco mil (9,4%) tiveram outros motivos.Ao comparar as informações da pesquisa nos anos de 2019 e 2021, percebe-se que as viagens com carro particular ou da empresa passaram a corresponder a mais da metade dos veículos utilizados. Em 2019, as viagens com carro particular ou de empresa representaram 36% do total. Já em 2021, este percentual foi de 56,8%.Em relação ao número de domicílios em que houve viagem, a PNAD Contínua aponta que, no ano de 2019, ocorreram viagens em 17,4% dos domicílios rondonienses enquanto que, em 2021, este índice foi de 9,3%.Nos domicílios em que nenhum morador viajou em 2021, foi questionado sobre o motivo, sendo que os mais recorrentes foram: não ter necessidade (29,1%), não ter dinheiro (19,7%) e não ser prioridade (19,3%). Estes índices foram diferentes dos indicados em 2019: em 43,5% dos domicílios que nenhum morador viajou o motivo foi por não ter dinheiro; 17,5% não ter tempo e 17,5% não ter necessidade. 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA