PORTO VELHO

Jaru

Diretores da ACIJ participam de aula inaugural e entrega de kits uniformes para alunos do Bombeiro Mirim 

Publicados

Jaru

 

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Jaru – ACIJ, Ednilso de Oliveira e o Secretário Geral Sóudilus Pereira da Silva ( Nazinho da gráfica opção) participaram na tarde nesta segunda-feira (17) no quartel do Corpo de Bombeiros em Jaru da aula inaugural do projeto educacional Bombeiro Mirim.

O presidente da ACIJ Ednilso de Oliveira, disse que é um privilégio para a entidade poder contribuir com o projeto. Colocou ainda a estrutura da ACIJ a disposição para a realização das atividades. “A nossa razão de existir também é servir e nós apostamos nesse projeto, porque acreditamos que ele é um divisor de águas na formação dessas crianças e adolescentes”, completou

O projeto que começou em 2014 recebe crianças de com idades entre 10 e 14 anos, com freqüência assídua na escola, notas positivas, além de outros critérios pré-estabelecidos. O conteúdo programático conta com aulas de ética e cidadania, educação ambiental, educação de trânsito, noções de primeiros socorros, noções de defesa civil, salvamento entre outras.

A quinta turma do Bombeiro Mirim do município reúne 40 alunos. As aulas acontecem três vezes na semana (segunda, quarta, e sexta) das 14h00min as 18h00min. Em uma sala de aula construída no quartel.

Leia Também:  Cleiton Roque participa de comemoração do Dia do Trabalhador

Elloysa Maria tem 10 anos e desde os 08, ela quer ser aluna do Bombeiro Mirim, e agora ela conseguiu a tão sonhada vaga. Ela se encaixa em todos os critérios, não falta na escola, e as notas, segundo Elloysa são sempre entre 09 e 10. “Estou gostando muito de fazer parte do Bombeiro Mirim, eu sempre quis estar aqui”, comemorou Elloysa.

A mãe dela, a dona Roseli Machado, disse que para atender a vontade da filha, assim que foram abertas as inscrições para a turma de 2017, ela não perdeu tempo e ela comemora a vaga junto com a filha.

O comandante do Corpo de Bombeiros em Jaru, Tenente Roberto Leal, agradeceu a todos os parceiros do projeto. “Essa é uma somatória de pensamentos positivos para a construção de uma sociedade melhor, com pessoas mais disciplinadas”, disse o comandante.

O Prefeito João Gonçalves Júnior, disse que o executivo municipal continuará o convênio com o corpo de bombeiros para a execução do programa. “Desde 2014 nós enquanto grupo Irmãos Gonçalves nos sensibilizamos e não será diferente agora, porque entendemos que essa é uma ação irá beneficiar gerações futuras”, frisou.

Leia Também:  Deputado Lazinho propõe lei contra violência obstétrica

Participaram ainda da cerimônia, a diretora da CIRETRAN no município Lúcia, Costa, o empresário e ex-vereador Moisés da Manaim, o coordenador da Defesa Civil no município Zeferino Rodrigues, além dos pais e responsáveis pelos alunos.

Giselle Virgílio 
Assessoria de imprensa ACIJ
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Jaru

Prefeito de Jaru e assessores resistem para não cumprir liminar da Justiça

Publicados

em

Por

A magistrada determinou que a prefeitura cumpra em 24h a decisão, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 até o limite de R$ 50.000,00

O Prefeito João Gonçalves, do Município de Jaru, determinou a suspensão do contrato junto ao Cimcero, que por sua vez havia contratado a empresa Amazon Fort para prestar os serviços de coleta e transporte de resíduos sólidos-RSU. O contrato havia sido assinado no dia 14/01/2021 e possui validade de 180 dias.

Através de uma auditoria interna, o município aponta inconsistências na prestação dos serviços, sendo que tal auditoria foi realizada no tempo recorde de 45 dias. Nesse prazo, determinou a suspensão do contrato junto ao Cimcero por 120 dias e contratou a empresa RLP, do grupo da empresa MFM (envolvida em escândalos com prefeitos de cacoal, Rolim de Moura, Ji-Parana e São Francisco do Guaporé), a fim de prestar os serviços por 180 dias.

O Cimcero deu conhecimento da decisão do Prefeito a empresa Amazon Fort em 26/02/2021, onde está deveria suspender os serviços em até 05 dias, ou seja, até o dia 05/03/2021.

Leia Também:  ATÉ AMANHÃ: Vagas de estágio na Caixa Econômica Federal

Irresignada com a decisão administrativa, uma vez que se quer havia se defendido das inconsistências apontadas, a empresa Amazon Fort impetrou Mandado de Segurança e a liminar foi deferida no dia 01/03/2021 (segunda-feira), suspendendo a decisão do prefeito, o que permite que continue prestando os serviços e impede o prefeito de contratar outra empresa em caráter emergencial.

Deveria obedecer

A Amazon Fort comunicou o Cimcero e este encaminhou a decisão para o Prefeito de Jaru por e-mail, WhatsApp e através de protocolo na própria prefeitura. Contudo, o prefeito e seus assessores não deram o ciente na decisão e determinaram que a empresa RLP no próprio dia 01/03/2021 iniciasse a prestação de serviços.

O Oficial de Justiça teve muito trabalho para conseguir intimar o Prefeito e seus assessores, o que só foi possível no dia 08/03/2021.

Oficialmente, o prefeito deveria obedecer imediatamente, mantendo a prestação de serviços pela empresa Amazon Fort e determinando que a empresa RLP pare os serviços até o julgamento final da ação judicial que tramita na comarca de Jaru ou julgamento final do processo administrativo.

Contudo, o Prefeito recorreu da decisão nas duas instâncias, sendo que ontem a Magistrada já se manifestou e manteve a decisão liminar, determinado que se cumpra em 24h, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 até o limite de R$50.000,00.

Leia Também:  Cleiton Roque participa de comemoração do Dia do Trabalhador

Até o presente momento não se tem noticiais se o Prefeito já foi intimado ou não pelo Oficial Plantonista.

O Prefeito poderá responder por crime de desobediência, caso não cumpra imediatamente a decisão judicial, bem como, por improbidade administrativa se ficar provado que determinou que a outra empresa iniciasse os serviços mesmo estando ciente (extrajudicialmente) da decisão judicial. Além disso, o Tribunal de Contas do Estado também pode iniciar uma fiscalização e tomada de contas por esses atos.

Matéria alterada: o Tudorondonia publicou, erroneamente, que a fonte e a autoria da matéria seria o Tribunal de Justiça de Rondônia. A alteração do crédito da reportagem já foi feita.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA