PORTO VELHO

Jaru

Diretores da ACIJ se reúnem com oficiais da embaixada dos Estados Unidos

Jaru

 

Na tarde desta quarta-feira (02), diretores da Associação Comercial e Industrial de Jaru – ACIJ, se reuniram com oficiais da Embaixada dos Estados Unidos.

Os oficiais estão na cidade para realizar uma palestra sobre emissão de vistos para o país norte-americano. Na ocasião, eles aproveitaram para saber mais sobre o potencial econômico do município, além conhecer o perfil de quem mora nessa região do estado.

De acordo com o gerente do departamento de fraude e investigações da Embaixada Americana no Brasil, Antônio Agnone, o objetivo da visita é facilitar e ajudar quem busca a emissão do visto. “Na maioria das vezes, o turista que busca o visto fica nervoso e não consegue passar as informações necessárias. Não queremos bloquear a entrada dos brasileiros nos estados unidos, mas ajudá-los a viajar”, destacou.

Sobre a ACIJ, o vice-presidente, Francisco de Sá Sobreira explicou que a entidade, além de representar a classe empresarial da região também realiza ações voltadas à comunidade.

Já sobre a economia, todos os diretores presentes na reunião, falaram da importância do município para o cenário estadual e nacional destacaram a produção de leite e carne como a principal fonte de renda do município. Mas também falaram do crescimento em outros setores.

Leia Também:  São Francisco vai receber programas "Tchau Poeira" e "Governo na Cidade"; orla no Porto Murtinho será inaugurada

“O município de Jaru, juntamente com as cidades de Theobroma, Governador Jorge Teixeira e Vale do Anari, formam uma microrregião com grande potencial econômico no agronegócio, principalmente voltada para a produção de gado e leite. Aqui, contamos com o maior frigorífico e laticínio do estado, com capacidade para abastecer o mercado nacional e ainda exportar sua produção”, disse o vice-presidente.

Francisco de Sá, ainda aproveitou e convidou os oficiais para que venham com mais tempo para conhecer o município e suas potencialidades.

A investigadora consular, Aline Cavalcante, disse que todas as informações levantadas serão encaminhadas à embaixada. “A intenção é estreitar os laços entre os dois países”, reiterou.

Participaram da reunião os diretores: vice-presidente da ACIJ, Francisco de Sá Sobreira, Sóudilus Pereira (secretário geral), Fernanda Felipe Santos (diretora comercial e de serviços), Jaqueline Araújo de Araújo (diretora financeira adjunta), Naíze Marcelino (conselheira fiscal), João Fernandes (conselheiro fiscal), Willian Alves Pereira (conselheiro fiscal), e Helissandro Kássio Amorim (conselheiro fiscal)

Gisele Pereira Virgilio

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Jaru

Prefeito de Jaru e assessores resistem para não cumprir liminar da Justiça

Publicados

em

Por

A magistrada determinou que a prefeitura cumpra em 24h a decisão, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 até o limite de R$ 50.000,00

O Prefeito João Gonçalves, do Município de Jaru, determinou a suspensão do contrato junto ao Cimcero, que por sua vez havia contratado a empresa Amazon Fort para prestar os serviços de coleta e transporte de resíduos sólidos-RSU. O contrato havia sido assinado no dia 14/01/2021 e possui validade de 180 dias.

Através de uma auditoria interna, o município aponta inconsistências na prestação dos serviços, sendo que tal auditoria foi realizada no tempo recorde de 45 dias. Nesse prazo, determinou a suspensão do contrato junto ao Cimcero por 120 dias e contratou a empresa RLP, do grupo da empresa MFM (envolvida em escândalos com prefeitos de cacoal, Rolim de Moura, Ji-Parana e São Francisco do Guaporé), a fim de prestar os serviços por 180 dias.

O Cimcero deu conhecimento da decisão do Prefeito a empresa Amazon Fort em 26/02/2021, onde está deveria suspender os serviços em até 05 dias, ou seja, até o dia 05/03/2021.

Leia Também:  OAB e INSS firmam convênio que garante um servidor do órgão no Espaço Caaro

Irresignada com a decisão administrativa, uma vez que se quer havia se defendido das inconsistências apontadas, a empresa Amazon Fort impetrou Mandado de Segurança e a liminar foi deferida no dia 01/03/2021 (segunda-feira), suspendendo a decisão do prefeito, o que permite que continue prestando os serviços e impede o prefeito de contratar outra empresa em caráter emergencial.

Deveria obedecer

A Amazon Fort comunicou o Cimcero e este encaminhou a decisão para o Prefeito de Jaru por e-mail, WhatsApp e através de protocolo na própria prefeitura. Contudo, o prefeito e seus assessores não deram o ciente na decisão e determinaram que a empresa RLP no próprio dia 01/03/2021 iniciasse a prestação de serviços.

O Oficial de Justiça teve muito trabalho para conseguir intimar o Prefeito e seus assessores, o que só foi possível no dia 08/03/2021.

Oficialmente, o prefeito deveria obedecer imediatamente, mantendo a prestação de serviços pela empresa Amazon Fort e determinando que a empresa RLP pare os serviços até o julgamento final da ação judicial que tramita na comarca de Jaru ou julgamento final do processo administrativo.

Contudo, o Prefeito recorreu da decisão nas duas instâncias, sendo que ontem a Magistrada já se manifestou e manteve a decisão liminar, determinado que se cumpra em 24h, sob pena de multa diária de R$ 1.000,00 até o limite de R$50.000,00.

Leia Também:  Seagri lança boletim "Leite de Rondônia" com atualização dos preços de referência

Até o presente momento não se tem noticiais se o Prefeito já foi intimado ou não pelo Oficial Plantonista.

O Prefeito poderá responder por crime de desobediência, caso não cumpra imediatamente a decisão judicial, bem como, por improbidade administrativa se ficar provado que determinou que a outra empresa iniciasse os serviços mesmo estando ciente (extrajudicialmente) da decisão judicial. Além disso, o Tribunal de Contas do Estado também pode iniciar uma fiscalização e tomada de contas por esses atos.

Matéria alterada: o Tudorondonia publicou, erroneamente, que a fonte e a autoria da matéria seria o Tribunal de Justiça de Rondônia. A alteração do crédito da reportagem já foi feita.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA