PORTO VELHO

Rondônia

Dragas continuam abrindo canais no meio do Rio Madeira para a passagem de balsas

Rondônia

Por causa do nível muito baixo do Rio Madeira na região do Distrito do Abunã, em Porto Velho (RO), dragas continuam trabalhando a todo vapor e abrindo canais para a passagem das balsas. No último domingo (13), quem trafegou naquela região testemunhou equipes trabalhando bastante nas embarcações para não deixar acumular veículos e prejudicar o abastecimento de produtos para a ponta do Abunã e no estado do Acre.

Por lá, a movimentação de operadores de dragas e de balsas continua grande. Com o reforço das embarcações, quatro no total, que fazem a travessia no Rio Madeira, foi preciso o deslocamento de um flutuante para a retirada de areia do fundo do rio e abrir canais. Plataformas foram feitas para que as balsas pudessem atracar e fazer o processo de embarque/desembarque dos veículos e pedestres.

Nas últimas semanas, com a seca do Rio Madeira, uma fila composta por carretas e caminhões se formou no Distrito do Abunã rumo ao Acre e acumulou em até 10 km de congestionamento. Um plano emergencial foi criado e posto em prática. O reforço redefiniu a logística da região. Caminhões e automóveis estavam sendo transportados todos juntos. No entanto, a empresa responsável pelas balsas fez a devida separação. Mas, depois do esvaziamento da fila, nossa equipe de reportagem aferiu que carros de passeio e caminhões tornaram a ser transportados na mesma balsa.

Leia Também:  Vacinação contra covid-19 pode ter início em janeiro no Brasil com pedido da Oxford e AstraZeneca

Sobre a logística e os trabalhos das balsas, funcionários da empresa responsável pelos serviços evitam comentar. Mesmo assim, para muitos transeuntes a travessia ficou mais rápida. “Antes mesmo das filas a gente atravessava em 30 minutos, mais ou menos. Agora em menos de dez minutos é possível chegar até o outro lado. Para nós que estamos em viagem, há muitas horas, é uma benção”, disse o funcionário público Edgar Silva.

Acre e Rondônia passam pelo período de verão amazônico (seca), quando durante meses não chove. A previsão de chuvas é para setembro. O Rio Madeira é a segunda via de transporte mais importante da região Amazônica. Navegável em uma extensão de 1.086 quilômetros, ele permite a movimentação de grandes e pequenas embarcações, usadas para o transporte de mercadorias e abastecimento da região.

Situação de Emergência – O Ministério da Integração está aguardando o envio da solicitação de reconhecimento de situação de emergência por parte do governo de Rondônia, passo fundamental para que o estado possa receber apoio federal. Nessa segunda-feira (14) o governador Confúcio Moura (PMDB), assinou o decreto que deve ser publicado nos próximos dias no Diário Oficial.

Leia Também:  Presidente Laerte Gomes indica construção de pontes em Chupinguaia

com informaçoes folha do acre

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

Paciente de Dourados é o segundo a ter alta hospitalar após tratamento contra a covid-19 em Rondônia

Publicados

em


O paciente Cleiton chegou na capital no dia 4 de junho

Cleiton Braga dos Santos, de 33 anos, um dos pacientes de Mato Grosso do Sul que veio transferido para leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em Porto Velho (RO), na Operação “Unidos Pela Vida”, recebeu alta nesta sexta-feira (18). O paciente do município de Dourados chegou na capital no dia 4 de junho, em estado grave permaneceu na UTI por 11 dias, na Assistência Médica Intensiva (AMI), e na enfermaria do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro permaneceu por mais três dias, até receber alta hospitalar.

“Foram dias difíceis esses que passei na UTI, mas recebi tanto amor e atenção dos profissionais da AMI que eu estou aqui, contando a minha vitória. Deus que colocou na minha vida essa vaga aqui em Porto Velho. Entre várias pessoas à espera por um leito, eu fui o escolhido. Talvez se eu estivesse ficado, não estaria aqui contando minha recuperação. Vim para uma cidade que não conhecia, mas que acolheu como um rondoniense. Meu sentimento é de eterna gratidão”, conta o paciente.

Leia Também:  Laerte Gomes destina mais de R$ 50 mil de emenda para atender Associação dos Servidores Públicos

No último domingo (13), Cleiton Braga fez aniversário e para ele foi um renascimento. “Sobreviver a essa doença é renascer, completei 33 anos num leito de UTI, e agora aqui vivo, me sinto como um milagre de Deus”, enfatizou o rapaz.

A mãe de Cleiton, Joanes Florência Braga, de 62 anos veio buscar o filho

A mãe de Cleiton, Joanes Florência Braga, de 62 anos, veio buscar o filho. Ela o viu pela última vez embarcando em busca de uma chance para se curar da covid-19. “Meu filho renasceu, ele veio para Rondônia em estado grave. Deus colocou as mãos em todos esses profissionais que acolheram meu filho e cuidaram com muito carinho. Todos os dias eu tinha notícias dele. Eu agradeço imensamente a cada um. Só eu sei o que eu passei durante esses dias em que meu filho permaneceu internado. Agora, vendo ele curado e podendo abraçá-lo, só tenho a agradecer ao Estado de Rondônia que nos acolheu”, disse emocionada.

Ao todo, o Estado de Rondônia recebeu 12 pacientes graves do Mato Grosso do Sul, dos quais dois já receberam alta hospitalar e retornaram para sua cidade natal. “Ficamos emocionados em ver que esses pacientes estão voltando para suas cidades locais curados desta doença. O governador Marcos Rocha nos solicitou que, enquanto pudermos ajudar estaremos de portas abertas”, destacou o secretário de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo.

Leia Também:  NA MIRA - Lava Jato chega à Rondônia e usina no rio Madeira é investigada
Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA