PORTO VELHO

Rondônia

Eletrodomésticos que mantêm temperatura interna mais baixa precisam de mais atenção nos dias de calor

Rondônia

Observar o histórico de consumo de energia para entender a variação nesse período é importante

Por todo Brasil, portais de previsão do tempo têm alertado ondas de forte calor, onde os estados do Norte e do Centro-Oeste do país são os mais atingidos com o tempo quente e mais seco. Sem previsão de chuvas contínuas e com o aumento da temperatura, a solução para amenizar a temperatura é buscar alento com o uso de ventiladores e condicionadores de ar. Outros aparelhos mais acionados nessa época são freezers e geladeiras, que ajudam no condicionamento de alimentos e bebidas por mais tempo. Acontece que o uso desses equipamentos em dias mais quentes tem um detalhe que muita gente não sabe: por causa do calor eles precisam trabalhar mais para manter o desempenho dos dias mais frescos. Para explicar melhor o que acontece com os eletrodomésticos nesse período, a Energisa conversou com um especialista no assunto.

“O ar-condicionado trabalha com um sistema de trocas térmicas em que, quanto maior a diferença entre a temperatura ambiente e a que se deseja atingir, maior será o tempo de operação deste aparelho. Por exemplo, se dentro de um lugar a temperatura está em 29°C e desejamos um cômodo mais fresco com o uso do ar-condicionado, reduzindo para 23°C, temos um determinado consumo energético para realizar esta atividade. Mas se a temperatura está em 40°C e nós desejamos reduzir para os mesmos 23°C, sabemos que o condicionador de ar levará mais tempo de operação em sua máxima potência até atingir os 23°C. Somado a isso, tem o fato de que para manter essa temperatura, o equipamento terá um consumo de energia significativamente maior”, explica o professor adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso, Danilo Ferreira de Souza, graduado em Engenharia Elétrica, especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho e em Energia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, e mestre em Energia pelo Instituto de Energia e Ambiente/IEE da Universidade de São Paulo/USP

Leia Também:  Projeto "Minuto Seduc" compartilha ações educacionais do Estado por meio de redes sociais

Trocando em miúdos, isso significa que mesmo sem perceber e sem mudar hábitos, o consumo de energia pode subir nos dias mais secos e quentes. Danilo avalia que para evitar o consumo excessivo é importante que os equipamentos e sistemas elétricos estejam devidamente dimensionados para cada local específico, seguidos das melhores recomendações de instalação. O mesmo acontece, por exemplo, com a geladeira. Mesmo que uma pessoa mantenha os hábitos, cada vez que a porta da geladeira é aberta, o ar quente externo entra, fazendo com que o compressor necessite “trabalhar mais” para garantir que o interior da geladeira permaneça refrigerado na temperatura desejada.

Fernando Tupan, gerente de Serviços Comerciais da Energisa Rondônia, pontua que uma boa opção para entender essa variação é observar o histórico do consumo que está na conta de energia. Com essas informações em mãos, é possível observar que o consumo entre os meses de agosto e outubro acaba sendo maior do que nos outros meses. “É importante, no momento de analisar esse histórico, olhar também como foi o consumo no mesmo período do ano anterior, quando as condições climáticas eram parecidas, pois as alterações de temperatura fazem a diferença na conta. Temos que usar a energia de forma econômica durante todo o ano, mas nos dias de muito calor o cuidado precisa ser redobrado”, pondera Tupan.

Danilo lembra, no entanto, que não é só o consumo dos equipamentos que pode impactar no aumento do consumo neste período do ano. “O principal impacto aqui refere-se aos hábitos de consumo nesses períodos de maior calor e de variação do clima. Por exemplo: com a umidade do ar baixa, a recomendação é de utilizar umidificadores de ar. Como o umidificador é um equipamento eletroeletrônico teremos mais um equipamento consumindo energia”, pontua o professor.

Segundo Danilo, alguns pontos são fundamentais para ajudar a usar de forma mais econômica a energia. Conheça alguns:

Leia Também:  Deputado disponibiliza emenda para aquisição de mudas de café

Busque sempre que possível a compra de equipamentos com selo do Programa Brasileiro de Etiquetagem preferencialmente classe A, pois são energeticamente mais eficientes;
O aparelho de ar-condicionado deve ser comprado com o correto dimensionamento para o ambiente a ser utilizado. Quanto maior o ambiente, mais potente precisa ser o aparelho;
Se o equipamento for antigo, dê preferência pela substituição de um equipamento novo, com maior eficiência;
Ao usar o ar-condicionado, garanta que as janelas e portas do ambiente estejam fechadas;
Utilize o ar-condicionado na temperatura entre 21°C e 24°C e ao ficar muito tempo fora do ambiente, desligue o equipamento;
Limpe os filtros do ar condicionado a cada quinze dias. E faça uma higienização completa com uma empresa especializada entre 6 meses e 1 ano a depender da intensidade da utilização. A sujeira dificulta a passagem do ar e reduz a eficiência do equipamento.
Instale sua geladeira longe de locais ou equipamentos de aquecimento como, forno elétrico, fogão, churrasqueira e micro-ondas;
Realize a instalação do equipamento preferencialmente fora do alcance da irradiação solar direta;
Procure reduzir a abertura da geladeira, assim a conservação da temperatura interna será mantida com menor uso do compressor;
Não guarde alimentos quentes;
Não use a parte de trás de geladeiras e freezers para secar roupas ou sapatos. Isso reduz a eficiência do equipamento;
Não desligue o equipamento à noite para ligá-lo na manhã seguinte.
Verifique constantemente se a vedação do equipamento está em boas condições.
Para verificar se a borracha da sua geladeira ou freezer está vedando corretamente, o gerente da Energisa dá uma dica: “Pegue uma folha de papel e coloque-a entre a porta da geladeira e a borracha, fechando a porta da geladeira sobre a folha, de forma que o papel fique preso. Puxe a folha e se ela sair sem resistência, é sinal de a borracha da geladeira não está vedando corretamente e o indicado é que seja feita a manutenção”, concluiu.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Rondônia

Para promoção de novos doadores de sangue, Fhemeron reforça parceria com instituições privadas de Porto Velho

Publicados

em


Ação voluntária acontece desde o ano passado na capital rondoniense

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado de Rondônia (Fhemeron), em parceira com instituições da rede privada de Porto Velho, tem colaborado com a promoção de novos doadores de sangue para abastecer o estoque do departamento de saúde. A ação já ajudou a salvar vidas de inúmeras pessoas na capital rondoniense, além de atender às seis unidades regionais de coleta e transfusão de sangue do Estado.

Como informa a Fundação, com “apenas uma bolsa de sangue é possível garantir a vida de quatro pessoas e, dependendo do destinatário, uma criança por exemplo, pode se salvar até mais”. É com base nesse preceito que há um ano voluntários que fazem parte de uma empresa de aplicativo de transporte na capital decidiram agir humanitariamente com o único objetivo de contribuir com o salvamento de vidas que estão à espera de uma transfusão de sangue.

Doando pela primeira vez, o motorista Gésio Luiz Gomes dos Santos, 27, destaca a importância da ação que atende pacientes que aguardam por uma transfusão. “Há pessoas que necessitam de sangue raro ou até mesmo aqueles que são muito procurados. Por isso, vejo que nossa atitude pode beneficiar imensamente este público”, acrescenta.

Na mesma linha de pensamento, o motorista Nelson Filho, enfatiza que as campanhas do Governo têm estimulado a promoção de novos doadores. “Quando eu trabalhava em outra instituição, por muitas vezes fiz este ato. Pretendo continuar cumprindo esta missão”.

A gerente de captação do Hemocentro, Maria Luiza Pereira, conta que a campanha, que começou ano passado, teve decisão inicial da própria empresa, sendo abraçada pela Fhemeron. “Esta parceria foi muito proveitosa para a nossa instituição, levando em consideração que conseguimos coletar, somente no dia 10 de maio, mais de 70 bolsas de sangue que poderão ajudar a vida de vários cidadãos”, destaca.

Segundo a gerente de captação, na última segunda-feira, 10, houve a participação de 80 pessoas no ato solidário

Durante a doação, obrigatoriamente, todos os participantes do ato seguem rigorosamente os protocolos sanitários para evitar eventuais contaminações do coronavírus, como uso de máscara, utilização de álcool 70%, a preservação do distanciamento social (dois metros) entre outras recomendações. Além deste procedimento, há a inserção de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) nos profissionais de saúde para garantir a segurança dos envolvidos no processo.

Leia Também:  Dia Internacional da Mulher tem programação especial no Sesc

De acordo com a Fhemeron, só em Porto Velho, cerca de 80 bolsas do líquido são solicitados diariamente por hospitais, centros de tratamento oncológico, hematológico, além de atender demandas das unidades regionais instaladas em municípios que compõem a rede de distribuição administrada pela Fundação.

Outras entidades públicas e particulares já passaram pelo órgão a fim de desempenhar o gesto solidário, como o 5º Batalhão de Engenharia e Construção (5º Bec), a 17º Brigada de Infantaria de Selva do Exército Brasileiro, membros de igrejas de Porto Velho e demais grupos voluntários dos municípios da região.

DOE SANGUE

Como medida de agilizar o processo de doação de sangue, a Fhemeron elaborou uma plataforma móvel. Trata-se do aplicativo denominado “Sangue Amigo”, que visa oferecer informações sobre agendamento on-line para doações, campanhas de tipagem sanguínea, lembrete para quem já é doador cadastrado, alerta sobre a necessidade de sangue e a localização de postos de atendimentos disponíveis nos hemocentros estaduais.

O sistema está disponível no link, para smartphones modelo Android e IOS. Para utilizá-lo, é preciso se cadastrar com: nome, Cadastro de Pessoa Física (CPF), data de nascimento, tipo sanguíneo (caso souber) e contato telefônico.

Leia Também:  Deputado disponibiliza emenda para aquisição de mudas de café

Os cidadãos que desejam praticar o ato devem atender a alguns requisitos básicos mencionados a seguir. Vale ressaltar que, também existe a possibilidade da doação ser feita por pessoas recém curadas da covid-19, no entanto, é aconselhável aguardar por um período de 30 dias sem sintomas e observar eventuais sequelas que possam surgir.

REQUISITOS 

  • Estar em boas condições de saúde;
  • ter entre 18 e 69 anos de idade;
  • adolescente de 16 e 17 anos poderá doar acompanhado dos pais ou responsáveis legais;
  • ter peso acima de 50 kg;
  • estar alimentado, evitando alimentação gordurosa (aguardar três horas após o almoço);
  • homem pode doar até quatro vezes ao ano, em intervalos de 60 dias (dois meses);
  • mulher pode doar até três vezes ao ano, em intervalos de 90 dias (três meses)
  • Ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas.

IMPEDIMENTOS TEMPORÁRIOS

  • Estar gripado ou com febre;
  • grávida ou amamentando;
  • em tratamento médico;
  • ter ingerido bebida alcoólica no dia da doação (12 horas);
  • tatuagem feita há menos de um ano;
  • tratamento de acupuntura nos últimos 12 meses;
  • endoscopia digestiva nos últimos seis meses;
  • ter recebido transfusão de sangue e seus derivados há menos de um ano;
  • pessoas que contraíram covid-19, é possível doar após 30 dias da cura;
  • malária nos últimos 12 meses.

IMPEDIMENTOS DEFINITIVOS

  • Ter tido Doença de Chagas;
  • hepatite após os 11 anos de idade;
  • exposição à situação ou comportamento que levem a risco, acrescido para infecções sexualmente transmissíveis.

Durante o procedimento, é obrigatório apresentar documento de identificação com fotografia, emitido por órgão oficial.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA