PORTO VELHO

Rondônia

Em seis meses, Rondônia criou 2.720 empresas a mais que em 2020, aponta Jucer

Rondônia


Segundo dados da Junta Comercial de Rondônia, foram criadas 2.720 novas empresas nos cinco primeiros meses de 2021

Contrariando as expectativas geradas pela pandemia da covid-19, o Estado de Rondônia não parou e incentivou a atividade econômica, a ponto de bater recordes na abertura de novas empresas e, por consequência, na geração de empregos, segundo apontam dados estatísticos divulgados esta semana pela Junta Comercial do Estado (Jucer).

De acordo o presidente da Junta rondoniense, José Alberto Anísio, apenas nos cinco primeiros meses de 2021, o Estado registrou a criação de nada menos que 2.720 empresas a mais do que foi criado em 2020, o que é um importante indicador do bom desempenho das políticas governamentais para o setor e incentivo que é dado à implantação de novos empreendimentos.

A comparação entre os três últimos exercícios – 2019, 2020 e 2021 – não deixa dúvida do alto desempenho da atividade econômica do Estado. De acordo com os dados da Jucer divulgados esta semana, em 2019 Rondônia registrou a criação de 8.490 empresas, com a confirmação de uma pequena baixa em 2020, quando foi registrada a abertura de 8.152 empresas. E assim, em 2021, apenas nos primeiros cinco meses, Rondônia registrou a nascimento de 10.872 novas empresas, que já estão produzindo e gerando empregos.

Leia Também:  Prefeito Hildon Chaves busca recursos em Brasília para atender a população de Porto Velho

SUFRAMA NA REDESIM

Anísio disse também que o Estado de Rondônia (Jucer) está otimista com a possibilidade da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) aderir ao sistema da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), uma decisão que pode revolucionar o desenvolvimento e o desempenho do empreendedorismo de Rondônia.

Segundo ele, as tratativas nesta direção estão bem adiantadas. Assim que confirmada a adesão, os empreendedores de Rondônia, inscritos na Redesim, podem se cadastrar automaticamente na Suframa – este era um processo bastante demorado -, o que é um fator fundamental para os empresários que buscam a parceria da Superintendência da Zona Franca para impulsionar seus negócios.

Cabe destacar, conforme explicações da Jucer, que a Redesim é a agregação das melhores práticas nacionais, estaduais e municipais para a desburocratização do registro e legalização de empresas, em que o empreendedor, dando entrada na documentação saia da Junta Comercial, no dia seguinte ao protocolo do pedido de registro, completamente legalizado para iniciar sua atividade econômica. Ou seja, em 24 horas a maioria das empresas estarão completamente legalizadas.

Leia Também:  MEC libera R$ 5,3 milhões para auxiliar municípios de Rondônia em questões emergenciais

O presidente credita o sucesso e o desempenho deste setor às políticas de incentivo do Governo. Para ele, o governador Marcos Rocha criou o ambiente adequado para atrair novos empreendedores que passaram a acreditar e ver o Estado como uma possibilidade latente para bons negócios. Segundo ele, neste ambiente de crise sanitária e econômica que afeta o mundo inteiro, Rondônia fez o seu papel com louvor, com iniciativas simultâneas de contenção de despesas e incentivo à produção, medidas que possibilitaram honrar seus compromissos, fazer investimentos e entronar o agronegócio como bandeira da economia rondoniense, como é do Brasil.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

Com expansão do potencial agro, Teixeirópolis completa 27 anos de criação

Publicados

em


Teixeirópolis possui cerca de 4.8 mil habitantes e foi criado a partir de núcleo urbano de apoio rural do Projeto de Colonização

Localizado na região central de Rondônia, Teixeirópolis completa nesta terça-feira (22), 27 anos de criação. O município foi criado pela Lei Estadual n.º 571, de 22-06-1994, desmembrado de Ouro Preto do Oeste. O nome da cidade é uma homenagem ao coronel Jorge Teixeira de Oliveira, último governador do Território Federal de Rondônia e o primeiro do Estado, responsável pela missão de transformar o Território em Estado.

Além de fazer limite com Ouro Preto do Oeste, Teixeirópolis  tem como municípios vizinhos Ji-Paraná, Nova União e Urupá. A cidade antes era um núcleo urbano de apoio rural do Projeto de Colonização Ouro Preto. Vive atualmente uma expansão do potencial agro, especialmente nos eixos de pecuária leiteira e produção de chocolate.

O produtor rural José Eudes chegou à região em 1972

Conforme o censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município possui cerca de 4.8 mil habitantes.

O produtor rural, José Eudes,75 anos. Natural do Rio Grande do Norte chegou à região em 1972. Eudes faz  parte do grupo que chegou a Rondônia na década de 70, o considerado mais intenso ciclo migratório do Estado, incentivado pelo governo Federal em uma ação estratégica de promover a integração nacional.

”Veio muita gente, aí me animei também. Cheguei com toda a minha família e como trabalhei a vida toda na agricultura buscava por terra para produzir. Peguei um pedaço de terra que pertencia a Ouro Preto, e depois passou a Teixeirópolis”.

Ele conta que no começo era tudo difícil. ”Ajudei a desbravar para formar a cidadezinha. Quando cheguei não tinha nem estrada. Da BR para cá era tudo no cascalho, foi um sofrimento, mas valeu a pena”.

Eudes é grato ao município que o acolheu . ”Foi o município onde criei minha família. Lugar bom para se viver,  onde tem pessoas boas, todos se conhecem e são hospitaleiros. Eu amo Teixeirópolis, me dei bem aqui e estou tranquilo”, disse o produtor. Em sua propriedade, ele cria gado e tem plantação de hortas.

O  servidor público Samuel Bonifácio chegou à cidade em 1993

Assim  como Zé Eudes, o servidor público Samuel Bonifácio, 55 anos, tem lembranças dos desafios do passado na região. Ele chegou do Espírito Santo à cidade em 1993. Na época, o que o motivou foi as perspectivas de trabalho, pois com formação em técnico em agropecuária, Rondônia  se mostrava com mais oportunidades que o norte capixaba.

Leia Também:  Porto Velho: Prefeitura atende MP e retira ambulantes de vias públicas

”Era um setor urbano sem estrutura alguma. O número de ruas que até então não eram muitas, naquela época não passava de doze. A energia era de 11h às 13h e das 18h às 23h, e periodicamente o gerador dava problemas. As pessoas da área rural geralmente seguiam para Ouro Preto do Oeste ou Ji-Paraná, e faziam suas compras”, relatou Bonifácio.

Preocupado com o fomento da economia na cidade, Bonifácio conta que apresentou essa demanda ao gestor municipal e ajudou na efetivação disso quando foi cedido por seis anos pelo Estado para trabalhar na prefeitura. ”Isso já me incomodava a tempo e por um período inicial foi providenciado até transporte trazendo os moradores  da área rural do município para a sede, e isso melhorou demais para o comércio local e o município como um todo. Isso com grande contribuição da ótima administração e o carinho do prefeito para com o povo e o município”, conta.

Ele também nutre um grande carinho pela cidade que  fez de lar. ”Teixeirópolis pra mim foi uma escolha feliz para residir. Significa tranquilidade, proximidade com os centros maiores, facilidades de trafegabilidade e é uma cidade bem aconchegante e de população ordeira e descente”, afirma Samuel.

Rebanho da propriedade do produtor rural José Eudes

AÇÕES  DO GOVERNO EM TEIXEIRÓPOLIS

No município, por meio do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER), o Governo de Rondônia realiza a manutenção na rodovia 473, no trecho de Alvorada d’Oeste, Urupá e Teixeirópolis. Ação importante para garantir a trafegabilidade dos moradores e também o escoamento da produção agro.

De acordo com o gerente do escritório da Empresa Estadual de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater) em Teixeirópolis, Clodoaldo de Jesus Abreu, o carro chefe da economia na cidade é a pecuária de leite com uma produção de aproximadamente 25 a 30 mil litros dia. Também soma-se ao perfil agro do município, a pecuária de corte, produção de cacau;  café;  mandioca, piscicultura, suinocultura  e olericultura.

”A produção de cacau está aumentando significativamente com implantação de novas áreas clonais irrigadas. Somando as lavouras seminais mais antigas e lavouras novas clonais temos uma área cultivada de mais de 60 hectares que vem crescendo anualmente”, disse o gerente.

Ele ainda pontuou outras produções relevantes para a cidade. ”Há  aproximadamente 30 ha de café clonal, na olericultura o destaque vai para a produção de tomate que ajuda a economia local. Todos os anos é cultivado de 15 a 20 ha no município. A melancia também se cultiva cerca de 10 ha todos os anos. Já dentro das culturas anuais a mandioca é um destaque com cultivo por ano de mais de 50 ha, gerando um bom percentual da renda na economia local. Além da produção hidropônica de hortaliças folhosas que temos alguns produtores se destacando nessa atividade, piscicultura e suinocultura”.

As atividades produtivas do município são provenientes da agricultura familiar, sendo os produtores assistidos pela Emater que tem uma equipe formada por agrônomo, zootecnista, técnico agrícola e assistência social. ”Somos responsáveis pela prestação de assistência técnica e extensão rural aos produtores rurais. Desta forma orientamos eles nas atividades que desenvolvem. Além disso, ajudamos eles quanto o acesso às políticas públicas do Estado e do Governo Federal, assim como os projetos de crédito rural. Outro trabalho importante é quanto a orientação à regularidade ambiental pelo Cadastro Ambiental Rural (CAR). São quase 400 famílias atendidas pela Emater no município”.
De acordo com o coordenador de Desenvolvimento Agropecuário (Cdap), Janderson Dalazen, a Seagri por meio do Mais Calcário 2021, irá beneficiar Teixeirópolis com o transporte de 420 toneladas de calcário. Desta forma, o frete do calcário da usina a sede do Município é feito pelo Governo, que é o custo maior de viabilizar o produto nas propriedades.  No momento é feito o levantamento pela Emater dos proprietários que se encaixam no programa. Dalazen anunciou ainda a previsão de beneficiar o município com 50 mil mudas de café clonal até o final deste ano.
Segundo o gerente da Seagri na região de  Ji-Paraná, Jeremias Oliveira,  a Seagri destinou ao município equipamentos oriundo do programa Proleite como trator, grade, caçamba hidráulica para ajudar nas silagens. Também é trabalho no município o Plano de Aquisição de Alimentos (PAA).

São quase 400 famílias atendidas pela Emater em Teixeirópolis

Teixeirópolis também dá saltos em relação a verticalização da produção. O gerente local da  Emater, destacou a agroindústria de laticínios em funcionamento e que o município se projeta para criar uma agroindústria de chocolate, pois a cidade possui uma associação de mulheres que produzem chocolate. Existe também o interesse de um produtor em criar uma segunda agroindústria de leite.
Com um futuro econômico promissor, Teixeirópolis também prepara a sua base educacional. No município, o Governo tem investido em melhorias na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Pioneira. De acordo com a coordenadora Regional de Educação de Ouro Preto do Oeste, Marivone Resende de Araújo, a escola atende cerca de 300 alunos.
Esse  ano, o Governo construiu um auditório com capacidade para 130 pessoas, medindo 143 m².  Também destinou 19 computadores e sete nobreaks para o laboratório de informática, um laboratório móvel de ciências; uma mesa de som; duas caixas de som; um projeto multimídia; nove bebedouros de coluna; seis ventiladores  e duas telas de projeção.
Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA