PORTO VELHO

Rondônia

Instituto Laboratorial Criminal da Politec de Rondônia se destaca com 100% de acerto em ensaio de proficiência da ONU

Rondônia

Instituto Laboratorial Criminal da Polícia Técnico-Científica de Rondônia está entre os dez do Brasil a ter a confiabilidade de suas análises reconhecidas mundialmente.

O Instituto Laboratorial Criminal Dr. Antônio Carlos Sampaio Nunes de Melo, da Polícia Técnico-Científica do Estado de Rondônia – Politec, ligado à Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania – Sesdec, obteve 100% de acerto no Ensaio de Proficiência da Organização das Nações Unidas – ONU, na etapa 2021/2. O programa é coordenado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes – UNODC e consiste na análise de substâncias desconhecidas pelos participantes de modo a avaliar a potencialidade dos laboratórios criminais em identificar inequivocamente as substâncias que são frequentemente apreendidas, em operações policiais.

O Ensaio de Proficiência é considerado uma ferramenta extremamente importante para a gestão do desempenho da análise pericial em relação aos seus processos analíticos (equipamentos, reagentes, operadores técnicos, calibradores, controles, dentre outros), o que possibilita maior segurança e confiabilidade para laudos liberados.

RESULTADO

O Instituto Laboratorial Criminal Dr. Antônio Carlos Sampaio Nunes de Melo da Polícia Técnico-Científica de Rondônia, é responsável pela análise de drogas, de abuso, medicamentos, orgânicos voláteis e substâncias químicas diversas, além de análises toxicológicas em materiais biológicos. Por isso, a Politec estabeleceu como um dos pilares, o aperfeiçoamento de melhorias contínuas nas atividades de exames periciais, proporcionando uma gestão comprometida com a qualidade, auxiliando na promoção do conhecimento dos processos de análise e garantindo a confiabilidade dos resultados.

Leia Também:  Volume de exportação de carne bovina de Rondônia pontado para novo recorde para 2022

Hoje, o instituto está entre os 10 Estados participantes da federação, sendo o único da região Norte a ter a confiabilidade de suas análises aprovada, o que garante que a qualidade de seus resultados seja reconhecida mundialmente.

Os peritos criminais, responsáveis pelas análises, Carolina Matias Diniz e Francisco Clayton Ferreira, explicam que nessa rodada foram enviadas quatro amostras desconhecidas, nas quais foram identificadas as substâncias Metanfetamina, Cocaína, Fentanil, Heroína, Ketamina e Cafeína. Após os exames realizados, os resultados foram encaminhados para avaliação, comprovando o acerto de 100% no Ensaio de Proficiência.

Esse resultado comprova a qualidade dos recursos técnicos e a expertise da Equipe Pericial Criminal, que está preparada para identificar, não somente as drogas clássicas comumente apreendidas (cocaína, maconha), como também as novas substâncias psicoativas (NPS) e as drogas facilitadoras de abuso sexual (DFAS).

ECONOMIA

Segundo o diretor do Instituto Laboratorial Criminal Dr. Antônio Carlos Sampaio Nunes de Melo, o perito criminal Danilo Pinheiro de Souza Reis, a participação nesse Ensaio de Proficiência é muito importante, pois demonstra a credibilidade dos resultados entregues pela Polícia Técnico-Científica à sociedade rondoniense. Além disso, permite o recebimento de materiais de referência certificados (MRC), que são utilizados durante as análises, proporcionando economia significativa aos cofres públicos, visto que possuem um custo alto. Até o presente momento foram recebidos 18 MRC´s com valor estimado de R$ 70.000,00 (setenta mil reais).

“A busca de melhoria contínua objetiva oferecer às equipes periciais condições de aprimoramento de desempenho ininterrupta”, diz o diretor-geral da Polícia Técnico-Científica, Domingos Sávio.

O secretário de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania, Coronel José Hélio Cysneiros Pachá salienta que o Governo de Rondônia vem dando a atenção necessária à Polícia Técnico-Científica com investimento em soluções tecnológicas, visando impulsionar as mudanças e as novas descobertas que dinamizam os procedimentos da perícia criminal no Estado de Rondônia, oferecendo maior segurança aos envolvidos nas atividades operacionais, beneficiando a sociedade rondoniense com serviços de alta qualidade.

Leia Também:  Nova turma de agentes de crédito é preparada para atuar nas unidades do Proampe
Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

82,3% das viagens dos rondonienses foram por motivos pessoais

Publicados

em

O suplemento de Turismo da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) mostra que, em 2021, das 68 mil viagens feitas por rondonienses, 82,3% foram por motivos pessoais e 17,7% por motivos profissionais. Os percentuais são semelhantes aos apresentados em 2019: 80,5% por motivos pessoais e 19,5% por motivos profissionais.Por local de hospedagem, a casa de amigo ou parente foi a principal instalação, representando 45,9% das viagens ocorridas em 2021. Em todo o Brasil, a casa de amigo ou parente também foi a principal acomodação, sendo 42,9% de todas as viagens.A pesquisa aponta também que, das viagens realizadas pelos rondonienses por motivo pessoal, 23 mil (42,1%) foram para visita ou eventos de familiares e amigos, 17 mil (30,3%) para tratamento de saúde ou consulta médica, dez mil (18,1%) para lazer e cinco mil (9,4%) tiveram outros motivos.Ao comparar as informações da pesquisa nos anos de 2019 e 2021, percebe-se que as viagens com carro particular ou da empresa passaram a corresponder a mais da metade dos veículos utilizados. Em 2019, as viagens com carro particular ou de empresa representaram 36% do total. Já em 2021, este percentual foi de 56,8%.Em relação ao número de domicílios em que houve viagem, a PNAD Contínua aponta que, no ano de 2019, ocorreram viagens em 17,4% dos domicílios rondonienses enquanto que, em 2021, este índice foi de 9,3%.Nos domicílios em que nenhum morador viajou em 2021, foi questionado sobre o motivo, sendo que os mais recorrentes foram: não ter necessidade (29,1%), não ter dinheiro (19,7%) e não ser prioridade (19,3%). Estes índices foram diferentes dos indicados em 2019: em 43,5% dos domicílios que nenhum morador viajou o motivo foi por não ter dinheiro; 17,5% não ter tempo e 17,5% não ter necessidade. 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA