PORTO VELHO

Rondônia

Iperon é o primeiro instituto de previdência estadual a atingir o nível máximo do Programa de Certificação Institucional e Modernização da Gestão

Rondônia

O Iperon já havia sido certificado com o nível I em 2019 e agora recebe a certificação com o grau máximo

O Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Estado de Rondônia – Iperon recebeu o certificado de nível IV, que representa o nível máximo do Programa de Certificação Institucional e Modernização da Gestão dos Regimes Próprios de Previdência Social da União, dos Estados, Distrito Federal e municípios – Pró-Gestão. A conquista se refere a um programa da Secretaria de Regimes Próprios de Previdência Social do Ministério do Trabalho e Previdência – MTP.

Iperon é certificado com o nível máximo do Pró-Gestão

A certificação nível IV é um marco na história do Iperon

Segundo a presidente do Iperon, Maria Rejane, a certificação nível IV é um marco na história da previdência dos servidores do Estado de Rondônia “Quando falamos na melhoria da gestão e da implementação de medidas temos como objetivo resguardar a proteção social dos beneficiários do regime previdenciário estadual na aposentadoria ou em caso de morte. Para alcançar esse nível de certificação foi necessária muita dedicação de todos os colaboradores do Iperon” destaca a presidente.

Leia Também:  Tribunal de Justiça de Rondônia apoia formação “15 Anos da Lei Maria da Penha” da PMRO Lançamento do programa contou com participação da ativista Maria da Penha Maia Fernandes

Para obter esse grau de certificação são avaliadas três dimensões que representam os pilares da modernização da gestão. São elas: controle interno, governança corporativa e educação previdenciária, somando um total de 24 ações.

O Iperon já havia sido certificado com o nível I em 2019 e agora recebe a certificação com o grau máximo. O instituto é responsável por 8.795 aposentadorias e 2.755 pensões e, neste ano, a autarquia completou 38 anos.

“Temos que agradecer a todos os que se empenharam no processo de modernização da legislação previdenciária e aos que nos apoiaram técnica e moralmente neste processo, em especial os nossos colaboradores”, finaliza a presidente.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

82,3% das viagens dos rondonienses foram por motivos pessoais

Publicados

em

O suplemento de Turismo da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) mostra que, em 2021, das 68 mil viagens feitas por rondonienses, 82,3% foram por motivos pessoais e 17,7% por motivos profissionais. Os percentuais são semelhantes aos apresentados em 2019: 80,5% por motivos pessoais e 19,5% por motivos profissionais.Por local de hospedagem, a casa de amigo ou parente foi a principal instalação, representando 45,9% das viagens ocorridas em 2021. Em todo o Brasil, a casa de amigo ou parente também foi a principal acomodação, sendo 42,9% de todas as viagens.A pesquisa aponta também que, das viagens realizadas pelos rondonienses por motivo pessoal, 23 mil (42,1%) foram para visita ou eventos de familiares e amigos, 17 mil (30,3%) para tratamento de saúde ou consulta médica, dez mil (18,1%) para lazer e cinco mil (9,4%) tiveram outros motivos.Ao comparar as informações da pesquisa nos anos de 2019 e 2021, percebe-se que as viagens com carro particular ou da empresa passaram a corresponder a mais da metade dos veículos utilizados. Em 2019, as viagens com carro particular ou de empresa representaram 36% do total. Já em 2021, este percentual foi de 56,8%.Em relação ao número de domicílios em que houve viagem, a PNAD Contínua aponta que, no ano de 2019, ocorreram viagens em 17,4% dos domicílios rondonienses enquanto que, em 2021, este índice foi de 9,3%.Nos domicílios em que nenhum morador viajou em 2021, foi questionado sobre o motivo, sendo que os mais recorrentes foram: não ter necessidade (29,1%), não ter dinheiro (19,7%) e não ser prioridade (19,3%). Estes índices foram diferentes dos indicados em 2019: em 43,5% dos domicílios que nenhum morador viajou o motivo foi por não ter dinheiro; 17,5% não ter tempo e 17,5% não ter necessidade. 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA