PORTO VELHO

Rondônia

MPF/RO e OAB processam Universidade Federal e União por falta de intérpretes de Libras

Rondônia

Maioria dos universitários surdos da Unir não tem assistência de tradutores e intérpretes durante aulas e provas
Em vários campi da Universidade Federal de Rondônia (Unir) não há intérpretes da Língua Brasileira dos Sinais (Libras) e isto tem prejudicado os universitários com deficiência auditiva. Essa reclamação foi feita pela Associação dos Surdos de Porto Velho e pela Associação dos Surdos de Rondônia ao Ministério Público Federal (MPF/RO) e também à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RO).
A partir disto, MPF/RO e OAB/RO insistiram para que a Unir encontrasse uma solução a fim de prestar assistência aos alunos surdos. Em 2016, a Unir tinha 48 alunos com deficiência nos seus campi, sendo 24 com deficiência auditiva. Só no campus de Porto Velhoexistiam 14 acadêmicos surdos, sendo que só três tinham acompanhamento de intérprete.
Embora tenha demanda suficiente para contratar profissionais tradutores e intérpretes de Libras, a Unirinformou ao MPF/RO que essas contratações têm esbarrado em alguns pontos: é preciso que o Ministério da Educação (MEC) autorize a criação do cargo e das vagas a serem preenchidas por concurso público; e não há em Rondônia profissionais suficientes com formação superior aptos a transcrever e interpretar matérias complexas por meio de Libras.
Como não houve solução extrajudicial, MPF/RO e OAB/RO ingressaram com uma ação civil pública na Justiça Federal contra a Unir e a União, pedindo que as rés sejam condenadas a disponibilizar tradutores e intérpretes de Libras, utilizando contrações emergenciais ou temporárias, convênio com outras instituições públicas ou privadas, termos de cooperação etc. Outro pedido é para que os conteúdos dos cursos sejam reaplicados integralmente com a participação dos intérpretes, bem como os alunos sejam reavaliados.
A ação é assinada pelo procurador da República Raphael Bevilaqua e pelos advogados Moacyr Rodrigues Pontes Netto e Sairena Silva de Oliveira, integrantes da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, da OAB/RO.
Fonte: MPF/RO (www.mpf.mp.br/ro)
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Programa “Cuidando de Quem Cuida” atende servidores afetados pela covid-19 na Policlínica Oswaldo Cruz

Propaganda

Rondônia

Ação de conscientização quanto aos cuidados de prevenção à covid-19 acontece neste sábado, 19, no Espaço Alternativo

Publicados

em


O propósito maior é reforçar a população sobre os cuidados necessários para evitar a contaminação da covid-19

Nos dias 19 e 20 de junho, a partir das 15h30 será realizada no Espaço Alternativo, em Porto Velho, a ação de conscientização quanto aos cuidados de prevenção à covid-19, referentes ao projeto “Educação em Saúde”. Esta é uma iniciativa do Centro de Educação Técnico Profissional na Área da Saúde (Cetas) e da Liga Acadêmica de Anatomia Humana de Rondônia (Lenaro), que conta com a parceria do Governo de Rondônia, por intermédio das equipes de Residências multiprofissionais da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

A iniciativa consiste em levar informação para a população, a respeito de medidas higiênicas importantes para o combate ao coronavírus. As equipes envolvidas serão alocadas em locais estratégicos para reforçar a importância dos cuidados, de forma preventiva.

De acordo com o vice-presidente da Lanaro e acadêmico de Medicina da Universidade Federal de Rondônia (Unir), Mário Celso Cabral de Souza, durante a ação será feita a distribuição de folders educativos, contendo ilustrações sobre a forma correta de higienização das mãos, uso de álcool em gel, a importância do uso da máscara facial e a importância do distanciamento social. Também serão explicadas as consequências do mau uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e a quebra dos protocolos de saúde.

Leia Também:  Policiais militares serão homenageados com comenda na Assembleia Legislativa

Além disso, o projeto trará novidades, como a demonstração do uso correto do álcool gel, através do uso do luminol, substância que descreve uma reação química que libera energia sob a forma de luz e, também, a luz negra. Os dois dias de ação contarão com a participação de profissionais da Saúde e da comunidade acadêmica de diferentes instituições.

De acordo com o Dr. Horácio Tamada, a iniciativa também partiu da necessidade de promover informação social, envolvendo a população e a comunidade acadêmica de Medicina. “Esta é uma grande oportunidade para que o acadêmico participe, de forma ativa, do desenvolvimento de ações deste segmento, proporcionando melhoria no atendimento futuro”, salientou.

 INTERATIVIDADE

Conforme explicado por Mário Celso, que também é vice-presidente da liga Acadêmica de Urologia de Rondônia (Laccro), a ação terá uma estrutura com tenda, mesas e cadeiras, visando uma ação mais interativa com a população. Foram criadas duas estruturas, sendo uma caixa de luz negra e uma cabine de luz negra e, por meio desses instrumentos, as pessoas que observarem terão consciência sobre a importância da lavagem correta das mãos e uso correto do álcool em gel.

Foi criada uma caixa de luz negra, que possibilita a visualização sobre o estado de higienização das mãos

“Além disso, nós vamos distribuir os panfletos didáticos e orientativos, um descrevendo a forma correta de higienização e outro contendo informações sobre as diferenças de sintomas entre covid-19, gripe e resfriado. Nosso intuito é abordar as pessoas para compartilhar informações sobre o assunto”, detalhou Celso.

Leia Também:  Nota de Pesar - Maria do Carmo Kang Tourinho

AÇÃO CONJUNTA

De acordo com a coordenadora do Núcleo Estadual de Educação Permanente em Saúde (NEP), Marcela Milrea Araújo Barros, a promoção da ação conjunta traz consigo a integração de ensino e serviços de Saúde, envolvendo residentes multiprofissionais, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde. “Essa iniciativa é de grande valia, uma vez que promove o fortalecimento das estratégias de educação em saúde”, declarou.

Esta é a primeira edição da ação de conscientização, um projeto piloto que terá a possibilidade de ser ampliada para as comunidades, futuramente.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA