PORTO VELHO

Rondônia

Nova portaria reclassifica municípios na Fase 1 do Plano Todos por Rondônia

Rondônia

A Portaria Conjunta estabelece o novo enquadramento dos municípios do Estado de Rondônia, conforme critérios apresentados pelo Decreto n° 25.831, de 12 de fevereiro de 2021

Portaria publicada neste sábado (13), pelo Governo, traz nova reclassificação dos municípios no Plano Todos por Rondônia

O aumento de casos ativos da Covid-19, além da sobrecarga na ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), inclusive com fila de espera, foram critérios que pesaram no enquadramento de todos os municípios do Estado na Fase 1 do Plano Todos por Rondônia. A reclassificação foi publicada pelo Governo de Rondônia neste sábado (13), por meio da Portaria Conjunta nº 30, de 12 de fevereiro de 2021.

A Portaria estabelece o novo enquadramento dos municípios do Estado de Rondônia, conforme critérios apresentados pelo Decreto n° 25.831, de 12 de fevereiro de 2021, que institui o Sistema de Distanciamento Social Controlado para fins de prevenção e de enfrentamento à epidemia causada pelo novo coronavírus.

Conforme apresentado na nova Portaria, os municípios da Macrorregião de Saúde que apresentarem ocupação dos leitos de UTI Adulto, na rede pública estadual e municipal, igual ou superior a 95% (noventa e cinco por cento) e/ou quantitativo de pessoas na fila para internação em leitos de UTI superior à disponibilidade de vagas, serão classificados na Fase 1.

Dados de atualização da taxa de crescimento de casos ativos da Covid-19 dos municípios e da taxa de ocupação de UTI Adulto das Macrorregiões de Saúde estão identificados no Relatório de Ações SCI Covid-19, edição 315/2021, publicada em 12 de janeiro de 2021.

O governo estadual tem feito um intenso esforço conjunto para o enfrentamento à Covid-19, o que tem permitido preservar vidas. Quanto ao prazo de permanência dos municípios nas fases, será, obrigatoriamente, no mínimo 14 dias, ressalvada a hipótese prevista no artigo 10º e ainda o disposto no § 2° do artigo 9º do Decreto n° 25.470, de 2020, que discorre sobre a possibilidade de manutenção, evolução e retroação dos municípios, nas respectivas fases, conforme estudos realizados pelas secretarias responsáveis, das quais emitirão por ato próprio, os ajustes necessários, dada a realidade de cada cidade e sua devida regulamentação.

Nas últimas 24 horas, por exemplo, Porto Velho registrou 158 novos casos da Covid-19 e seis óbitos. Em todo o Estado foram registrados 838 novos casos da doença, conforme relatório publicado na sexta-feira (12), com dados atualizados diariamente pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), referentes ao coronavírus em Rondônia.

O enquadramento dos municípios está destacado no artigo 8 do Decreto n° 25.782. Conforme o artigo, para resguardar a saúde coletiva e a economia da população do Estado de Rondônia, ficam estabelecidas 4 (quatro) fases para retomada das atividades, segundo critérios de proteção à saúde, econômicos e sociais; indispensáveis ao atendimento das necessidades básicas da comunidade.

Vale destacar que as determinações seguem as regras estabelecidas no Decreto n° 25.831, como por exemplo o artigo 21 que proíbe a abertura de balneários, bares, boates, casas de shows e congêneres, inclusive o aluguel de clubes, propriedades ou edificações com a mesma finalidade, bem como a realização de festas privadas, nas fases 1, 2 e 3.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  MUNICÍPIOS EM CRISE – Maurão mobiliza poderes do estado por auxílio de R$ 100 milhões
Propaganda

Rondônia

Para promoção de novos doadores de sangue, Fhemeron reforça parceria com instituições privadas de Porto Velho

Publicados

em


Ação voluntária acontece desde o ano passado na capital rondoniense

A Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Estado de Rondônia (Fhemeron), em parceira com instituições da rede privada de Porto Velho, tem colaborado com a promoção de novos doadores de sangue para abastecer o estoque do departamento de saúde. A ação já ajudou a salvar vidas de inúmeras pessoas na capital rondoniense, além de atender às seis unidades regionais de coleta e transfusão de sangue do Estado.

Como informa a Fundação, com “apenas uma bolsa de sangue é possível garantir a vida de quatro pessoas e, dependendo do destinatário, uma criança por exemplo, pode se salvar até mais”. É com base nesse preceito que há um ano voluntários que fazem parte de uma empresa de aplicativo de transporte na capital decidiram agir humanitariamente com o único objetivo de contribuir com o salvamento de vidas que estão à espera de uma transfusão de sangue.

Doando pela primeira vez, o motorista Gésio Luiz Gomes dos Santos, 27, destaca a importância da ação que atende pacientes que aguardam por uma transfusão. “Há pessoas que necessitam de sangue raro ou até mesmo aqueles que são muito procurados. Por isso, vejo que nossa atitude pode beneficiar imensamente este público”, acrescenta.

Na mesma linha de pensamento, o motorista Nelson Filho, enfatiza que as campanhas do Governo têm estimulado a promoção de novos doadores. “Quando eu trabalhava em outra instituição, por muitas vezes fiz este ato. Pretendo continuar cumprindo esta missão”.

A gerente de captação do Hemocentro, Maria Luiza Pereira, conta que a campanha, que começou ano passado, teve decisão inicial da própria empresa, sendo abraçada pela Fhemeron. “Esta parceria foi muito proveitosa para a nossa instituição, levando em consideração que conseguimos coletar, somente no dia 10 de maio, mais de 70 bolsas de sangue que poderão ajudar a vida de vários cidadãos”, destaca.

Segundo a gerente de captação, na última segunda-feira, 10, houve a participação de 80 pessoas no ato solidário

Durante a doação, obrigatoriamente, todos os participantes do ato seguem rigorosamente os protocolos sanitários para evitar eventuais contaminações do coronavírus, como uso de máscara, utilização de álcool 70%, a preservação do distanciamento social (dois metros) entre outras recomendações. Além deste procedimento, há a inserção de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) nos profissionais de saúde para garantir a segurança dos envolvidos no processo.

Leia Também:  Prefeitura disponibilizará ônibus especiais para Parque dos Tanques

De acordo com a Fhemeron, só em Porto Velho, cerca de 80 bolsas do líquido são solicitados diariamente por hospitais, centros de tratamento oncológico, hematológico, além de atender demandas das unidades regionais instaladas em municípios que compõem a rede de distribuição administrada pela Fundação.

Outras entidades públicas e particulares já passaram pelo órgão a fim de desempenhar o gesto solidário, como o 5º Batalhão de Engenharia e Construção (5º Bec), a 17º Brigada de Infantaria de Selva do Exército Brasileiro, membros de igrejas de Porto Velho e demais grupos voluntários dos municípios da região.

DOE SANGUE

Como medida de agilizar o processo de doação de sangue, a Fhemeron elaborou uma plataforma móvel. Trata-se do aplicativo denominado “Sangue Amigo”, que visa oferecer informações sobre agendamento on-line para doações, campanhas de tipagem sanguínea, lembrete para quem já é doador cadastrado, alerta sobre a necessidade de sangue e a localização de postos de atendimentos disponíveis nos hemocentros estaduais.

O sistema está disponível no link, para smartphones modelo Android e IOS. Para utilizá-lo, é preciso se cadastrar com: nome, Cadastro de Pessoa Física (CPF), data de nascimento, tipo sanguíneo (caso souber) e contato telefônico.

Leia Também:  Muitos não ligam pela sua vida, imagina com uma "multinha", números mortos em alta

Os cidadãos que desejam praticar o ato devem atender a alguns requisitos básicos mencionados a seguir. Vale ressaltar que, também existe a possibilidade da doação ser feita por pessoas recém curadas da covid-19, no entanto, é aconselhável aguardar por um período de 30 dias sem sintomas e observar eventuais sequelas que possam surgir.

REQUISITOS 

  • Estar em boas condições de saúde;
  • ter entre 18 e 69 anos de idade;
  • adolescente de 16 e 17 anos poderá doar acompanhado dos pais ou responsáveis legais;
  • ter peso acima de 50 kg;
  • estar alimentado, evitando alimentação gordurosa (aguardar três horas após o almoço);
  • homem pode doar até quatro vezes ao ano, em intervalos de 60 dias (dois meses);
  • mulher pode doar até três vezes ao ano, em intervalos de 90 dias (três meses)
  • Ter dormido pelo menos seis horas nas últimas 24 horas.

IMPEDIMENTOS TEMPORÁRIOS

  • Estar gripado ou com febre;
  • grávida ou amamentando;
  • em tratamento médico;
  • ter ingerido bebida alcoólica no dia da doação (12 horas);
  • tatuagem feita há menos de um ano;
  • tratamento de acupuntura nos últimos 12 meses;
  • endoscopia digestiva nos últimos seis meses;
  • ter recebido transfusão de sangue e seus derivados há menos de um ano;
  • pessoas que contraíram covid-19, é possível doar após 30 dias da cura;
  • malária nos últimos 12 meses.

IMPEDIMENTOS DEFINITIVOS

  • Ter tido Doença de Chagas;
  • hepatite após os 11 anos de idade;
  • exposição à situação ou comportamento que levem a risco, acrescido para infecções sexualmente transmissíveis.

Durante o procedimento, é obrigatório apresentar documento de identificação com fotografia, emitido por órgão oficial.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA