PORTO VELHO

Polícia

Operação Ordo reforça ações de segurança pública para combater criminalidade em Rondônia

Polícia


Operação Ordo, com o objetivo de prevenir crimes contra a vida nas regiões do Cone Sul, do Café e Zona da Mata.

O Governo do Estado de Rondônia, por intermédio da Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), iniciou na última quinta-feira (20), a Operação Ordo, a fim de prevenir crimes contra a vida nas regiões do Cone Sul, do Café e Zona da Mata do Estado, com reforço das ações desencadeadas pela Polícia Militar. O objetivo é promover ações durante todo o ano.

A missão, cujo nome é proveniente do latim e significa “ordem”, foi motivada pela necessidade da manutenção da preservação da ordem pública diante dos índices de criminalidade registrados, especialmente crimes contra a vida. Em função disso, foi dado um reforço para as equipes, com o emprego de policiais extras, com o objetivo de inibir e reduzir o cometimento de crimes, além de aumentar a sensação de segurança dos cidadãos. A operação também terá o apoio de militares da Força Nacional de Segurança Pública na região do Cone Sul.

Leia Também:  Escola do Legislativo abre inscrições para cursos no mês de maio

Em toda área do Comando Regional de Policiamento III (CRP III), 81 policiais militares reforçaram o policiamento ordinário, com 25 viaturas empenhadas na missão. No 3º Batalhão da Polícia Militar (BPM) foram empregados 39 militares sendo 28 em Vilhena, 6 em Colorado do Oeste e 5 em Cerejeiras. No 4º BPM foram 26, sendo 20 na sede em Cacoal e 6 em Pimenta Bueno. No 10º BPM foram 16 militares, sendo 11 em Rolim de Moura e 5 em Alta Floresta do Oeste.

O secretário de Sesdec, José Hélio Cysneiros Pachá, destacou a importância da operação. “Nós estamos acompanhando toda essa situação e as nossas polícias estão prontas para continuar servindo e protegendo a comunidade. Inclusive, fizemos questão de recomendar ao comandante-geral da PMRO, para realizar o envio de parte do efetivo da Força Nacional disponibilizado para o nosso Estado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Então temos aqui três viaturas com homens da Força Nacional reforçando o policiamento da comunidade”, disse o secretário.

Conhecimento de inteligência, de técnicas e táticas do policiamento ostensivo serão utilizadas para executar todas as missões, entre elas, a realização de barreiras e bloqueios policiais para os comandos de abordagens; ações preventivas e repressivas com barreiras policiais fixas e volantes; comandos de abordagens em bares; abordagens em veículos e a pessoas suspeitas; buscas através dos sistemas policiais para a apreensão de veículos furtados ou roubados e pessoas foragidas da justiça, bem como serão empenhados esforços para a identificação e apreensão de armas de fogo de origem ilícita e entorpecentes.

Leia Também:  Feirão do Emprego e Microcrédito acontece em Porto Velho, de 5 a 7 de maio

Para o coronel PM Paulo André Santos Souza, todo um planejamento foi realizado nessa operação. “Fizemos um planejamento de emprego do efetivo em reforço, a atividade ordinária e desencadeamos a Operação Ordo, que visa justamente conter o recrudescimento dos índices criminais, principalmente os crimes contra a vida. Também designamos oito policiais para reforçar a Operação Paz no Campo para dar um reforço na zona rural e levar, assim, tranquilidade também à comunidade rural do Cone Sul”.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Polícia

PF faz operações contra estudantes suspeitos de fraude no CadÚnico

Publicados

em

A Polícia Federal (PF) cumpre hoje (26) 16 mandados de busca e apreensão contra estudantes de medicina suspeitos de falsificar documentos para receberem bolsas integrais em universidade no norte do Rio de Janeiro. A Operação Falso Positivo cumpre mandados em seis cidades do Rio e Espírito Santo.

De acordo com a PF, os estudantes se inscreviam no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal para se passarem por pessoas de baixa renda, com o uso de documentos falsos. Assim, conseguiam receber suas bolsas de estudo.

Além disso, segundo a PF, os alunos ou seus pais receberam, de forma irregular, o Auxílio Emergencial, criado pelo governo federal para enfrentar os efeitos da pandemia de covid-19.

Doze pessoas, entre alunos e pais, já foram indiciadas no decorrer das investigações. Entre as provas usadas pela PF estão movimentações bancárias, obtidas por meio de quebra de sigilo, que seriam incompatíveis com uma pessoa que teria a renda baixa.

Os investigados poderão responder por crimes de estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa. Os mandados, expedidos pela 2ª Vara Federal de Campos, estão sendo cumpridos nas cidades fluminenses de Campos, Itaperuna e São Francisco de Itabapoana, além dos municípios capixabas de Linhares, Cachoeiro do Itapemirim e Mimoso do Sul.        

Leia Também:  Não chore por mim Lava Jato: Raupp é denunciado por desvios na Transpetro subsidiária na Petrobras

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA