PORTO VELHO

Presidente Médice

PAVIMENTAÇÃO: Obras no São Francisco e Mariana começarão no próximo semestre

Presidente Médice

Asfalto será polimerizado, que dura duas vezes mais que a massa asfáltica convencional

As obras de asfaltamento e urbanização de 27 quilômetros de ruas nos bairros Mariana e São Francisco, na zona Leste de Porto Velho, terão início no segundo semestre deste ano. A programação foi acertada entre o prefeito dr Hildon Chaves e equipe técnica do 5º Batalhão de Engenharia e Construção (5º BEC), responsável pela elaboração do projeto, durante reunião na tarde de quinta-feira (9).

A prefeitura firmou termo de cooperação técnica com o Exército para a execução da obra. O prefeito fez várias perguntas e recebeu informações do comandante da unidade militar, coronel Marcos Batista e também do chefe da seção técnica, major José Luiz, além do engenheiro civil e tenente Cavalcante.

A principal preocupação do prefeito é com relação à qualidade dos materiais utilizados, por isso, disse depositar total confiança na equipe do Exército Brasileiro. “Não vai ser asfalto casca de ovo”, afirmou. Ele acrescentou que já dispõe de R$ 25 milhões de recursos próprios para investir no projeto. “Temos mais R$ 132 milhões, frutos de emenda da bancada federal para investirmos em outros bairros”, declarou.

O subsecretário municipal de obras, Tiago Beber, explicou que a Semob fará a drenagem profunda, que é a instalação de manilhas e construção de “bocas de lobo”. “Na verdade, parte desse trabalho já está pronto”, adiantou. O Exército, conforme o secretário, fará a drenagem superficial, preparo de base, aplicação do asfalto, meio-fio, sarjetas e calçadas.

QUALIDADE

O major José Luis informou que o projeto já está bastante avançado e que três equipes trabalham diariamente, inclusive aos feriados, fazendo a parte de topografia. Até abril, segundo ele, o projeto executivo estará pronto. Indagado pelo prefeito sobre a qualidade do asfalto a ser aplicado, o militar informou que será do tipo polimerizado, que dura duas vezes mais que a massa asfáltica convencional.

O coronel Batista destacou a importância da obra para o desenvolvimento da cidade, especialmente a região Leste, uma das mais carentes. Ele enalteceu a força de vontade do prefeito e disse que o 5º BEC “quer continuar sua história de realização de grandes obras em Rondônia e em Porto Velho”.

VISITA

Depois de conversarem sobre projeto, dr Hildon e a equipe do 5º Batalhão seguiram para uma visita técnica às ruas do bairro Mariana que serão contempladas com as obras de pavimentação. O prefeito conversou com os topógrafos, fez novas perguntas sobre a execução do trabalho na prática e, como sempre acontece durante as visitas aos bairros, foi saudado por vários moradores. Muitos o parabenizaram pelo trabalho e outros apontavam novas demandas.

CASCALHO

Depois de cumprir a agenda com os militares, dr Hildon e Tiago Beber visitaram as obras de limpeza, retirada de entulhos e encascalhamento da rua União, após a Vila Mariana, no mesmo setor da capital, importante via que possibilita a ligação com os bairros Renascer, Porto Cristo e Ayrton Senna, dentre outros.

Abandonada há anos por gestões anteriores, a rua estava tomada por crateras enormes, água, mato e muita lama. “Nosso objetivo é dar condições de mobilidade aos moradores e fazer com que os ônibus voltem a circular por aqui”, explicou o secretário.

Morador do local há quase dez anos, José Lopes ficou feliz com a obra e a presença do prefeito e do secretário. “A situação aqui era tão crítica que carros ficavam atolados e tínhamos que empurrar. Eu mesmo caí com minha moto. Agora tudo vai melhorar e os ônibus vão passar por aqui novamente”, comemorou.

Texto e fotos Comdecom

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Ônibus SIM Itinerante leva recarga de cartões ao Terminal da Integração

Propaganda

Presidente Médice

MPF solicita que Presidente Médici (RO) corrija dimensão dos terrenos de programa habitacional

Publicados

em

Por

Recomendação prevê prazo de 60 dias para correção dos tamanhos dos terrenos de residências do Programa Minha Casa Minha Vida

#pracegover: arte retangular sobre foto de uma pessoa escrevendo e o desenho de uma casa ao fundo. está escrito fiscalização na parte inferior. a arte é da assessoria de comunicação do ministério público federal.
Arte: Ascom/MPF

O Ministério Público Federal (MPF) enviou uma recomendação ao município de Presidente Médici (RO) para que corrija, no prazo de até 60 dias, a dimensão dos terrenos de residências do Programa Minha Casa, Minha Vida (PMCMV – Sub 50). Os terrenos localizados na avenida Curitiba encontram-se com tamanho insuficiente devido às curvas na cerca da chácara n° 6, no Setor Chacareiro n° 1, que fica atrás das casas. As casas do PMCMV e seus terrenos fazem divisa com a chácara n° 6. Em razão da localização da cerca, que separa as unidades habitacionais da chácara, a passagem e a realização de afazeres domésticos pelos moradores daquelas unidades é dificultada, pois o espaço é mínimo.

Leia Também:  Veja a decisão na íntegra: Juiz federal suspende retorno de aulas em Rondônia e determina que apenas serviços essenciais devem funcionar

Na recomendação, o MPF ressalta que embora o PMCMV tenha como uma de suas diretrizes gerais a “adoção de padrões mínimos de habitabilidade e higiene”, cabe ao município providenciar autorizações, alvarás, licenças e outras medidas necessárias à aprovação e viabilização dos projetos arquitetônicos, urbanísticos, complementares e de implantação de infraestrutura básica.

Outro ponto destacado pelo MPF foi em relação à demarcação. A própria Skala, empresa responsável pelo serviço de georreferenciamento no município, confirmou a situação dos terrenos. “A cerca aparentemente está reta, mas tem pequenas curvas sinuosas. Uma vez corrigida a cerca, de marco a marco, a chácara ficará com seus limites estabelecidos. Com sua área real, os lotes das casas ficarão com as dimensões de acordo com as demarcações”.

PMCMV – O Programa Minha Casa Minha Vida tem por objetivo apoiar estados e municípios no desenvolvimento de ações integradas e articuladas que facilitem o acesso à moradia digna, em áreas urbanas, voltadas ao atendimento de beneficiários com renda bruta familiar de até R$ 1.600 reais, por meio de instituições financeiras e agentes financeiros definidos autorizados pelo Banco Central do Brasil.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA