PORTO VELHO

Rolim de Moura

ROLIM DE MOURA:  SINSEZMAT discute atraso de pagamento em assembleia com os servidores municipais da Saúde

Rolim de Moura

O  Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Zona da Mata (SINSEZMAT) esteve em assembleia, na tarde de quarta-feira (13), com os servidores  Pertencentes a Secretaria Municipal de Saúde e Assistência Social de Rolim de Moura. O evento foi realizado para ser discutidos em conjunto  pontos como atraso de  pagamento e deliberação sobre ações futuras.

De acordo com o presidente do SINSEZMAT, Jose Luiz Alves Felipin , algumas Secretarias estão recebendo dentro do limite da data base, porém a  Secretaria de  Saúde, vem sempre recebendo com atraso. Acompanhando de perto os problemas, a direção sindical procurou junto a administração municipal  informações, sobre a folha de pagamento.

Segundo o Secretario de Fazenda,  seria pago somente os PACS(Agentes Comunitários de Saúde) e os servidores do PSF(Programa Saúde da Família).

Já os servidores do hospital municipal a previsão de pagamento seria a partir do dia 20 de setembro, pois não havia recurso suficiente para pagar toda a folha.

Mas o que deixou a categoria mais surpresa  é que após o edital ser publicado, a administração adiantou o pagamento, pagou todos os servidores lotados no hospital municipal dia 13, ate então, não tinha  recursos para pagar na data base.

Leia Também:  Seagri amplia assistência ao setor produtivo com implantação de unidades regionais em Ji-Paraná e Vilhena

Afinal os servidores não é “PRIORIZAÇÃO” para a administração municipal, em compromissos anteriores prometeu que não haveria pagamentos fragmentados, e que em março deste corrente ano a folha de pagamento seria regularizada, mas já estamos no mês de setembro e ainda permanece da mesma forma, hoje a categoria não acredita mais na atual gestão, destaca Felipin.

Durante a reunião a servidora Nilda Nascimento, destacou que os servidores não sofrem apenas com o atraso de pagamento, mas sim também com a falta de condições de trabalho, pois no hospital faltam recursos humano, alimentação precária, falta remédio desde o básico, faltam materiais para executar alguns procedimentos médicos, ressaltou ainda   as lutas que a categoria já enfrentou para  garantir que seus direitos fossem respeitados , e pediu vamos nos unir ainda mais, porque unidos somos mais fortes.

Felipin ressalta que a folha de pagamento deveria ser feita em dias, além de ser por Lei, assim como manda a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), mais especificamente no art. 459, que estabelece o pagamento mensal do salário do trabalhador para ser realizado no máximo até o 5º dia útil do mês subsequente ao vencido, porém não é exercidas, medidas estão sendo tomadas pelo sindicato todo mês, mas sem sucesso, além da saúde, tem outras secretarias sem receber pagamento ainda.

Leia Também:  Justiça garante reintegração de posse de casas populares à prefeitura

Os servidores  estão decididos entrar em greve caso não seja resolvido a situação, então decidiram marcar uma nova assembleia para o dia 21 de setembro as 18h00minhrs para deliberação sobre ações futuras.

Jose Luiz na oportunidade parabenizou os servidores da Secretaria de Saúde pela presença e disse; “não podemos nos deixar enfraquecer, abrir mão do que já conquistamos, nos não somos culpados pela má gestão, hoje os servidores da SEMUSA precisam se unir, através da união, que se faz a força”.

Fonte: Assessoria/SINSEZMAT

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Rolim de Moura

Rondônia avança em regularização de imóveis urbanos com entrega de títulos em Rolim de Moura

Publicados

em

 

O aposentado José Soares contou que ter o título do imóvel onde reside com a esposa é uma grande alegria

 

O Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual de Patrimônio e Regularização Fundiária (Sepat) anunciou a entrega de mais 190 escrituras urbanas contempladas pelo programa estadual ‘‘Título Já’’, em Rolim de Moura. O ato de entrega dos títulos ocorreu conjuntamente com o lançamento do projeto” Tchau Poeira” para Rolim de Moura e Nova Brasilândia d’Oeste.

Desde quarta-feira (24), o governador de Rondônia, Marcos Rocha, e a equipe de Governo percorrem os municípios da Zona da Mata em uma extensa agenda de fomento ao desenvolvimento por meio do Poder Executivo, que em Rolim de Moura incluiu o eixo de regularização de imóveis urbanos. O que para o governador é uma das prioridades do Executivo Estadual para dar segurança jurídica aos moradores.

De acordo com o superintendente da Sepat, Constantino Erwen,  em Rolim de Moura já foram entregues 433 mil títulos urbanos que somados aos novos 190 anunciados nesta sexta-feira fazem o Estado avançar na política pública de regularização de imóveis. Erwen pontuou que a meta no Estado é entregar 33 mil títulos urbanos até 2022 e que para isso a Sepat mantém convênios com aproximadamente 30 municípios. ‘‘Com o título em mãos, o imóvel do morador passa a ser valorizado, ele tem segurança jurídica e pode conseguir crédito para investir na melhoria da propriedade’’.

Marcos Rocha garante que regularização urbana e rural de imóveis é prioridade de Governo

Vantagens essas que alegram o aposentado José Soares. ‘‘Esperava por esse título há muito tempo, é uma propriedade que já tenho há 30 anos, eu queria muito esse documento, é só o imóvel que tenho para morar com a minha esposa. Até procurei fazer por conta própria, mas sairia a R$ 3 mil, não tinha condições, mas agora tive a oportunidade de receber ele de forma gratuita pelo Governo. Com esse documento vou ficar sossegadinho’’.

Leia Também:  Maratona de visitas tem motivado Sid Orleans na pré-candidatura a deputado estadual

REGULARIZAÇÃO RURAL

O governador pontuou que está atento a criar condições para avançar na regularização tanto urbana quanto rural. Destacou ainda que o Governo por meio de Termo de Cooperação Técnica com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), contratou 35 técnicos que estão à disposição para acelerar a titulação de terras rurais em Rondônia.

Marcos Rocha recordou que sancionou a Lei n° 4.892, em 27 de novembro de 2020, que institui a Política de Regularização Fundiária no Estado, e assim autoriza que a própria Sepat faça regularizações em propriedade de até 2.500 hectares. E mais, por meio do Projeto “Meu Imóvel Legal”, busca a legalização de oito mil imóveis rurais em setores chacareiros de perímetros urbanos, propriedades rurais de domínio público estadual e federal de 28 municípios.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA