PORTO VELHO

Rondônia

Rondônia recebe primeiro lote da vacina Pfizer para somar à imunização contra a covid-19 no Estado

Rondônia


As 3.510 vacinas da Pfizer destinadas ao Estado vão contribuir com a vacinação de pessoas com comorbidades

Rondônia ganha reforço para imunizar a população contra a covid-19: o primeiro lote da vacina Pfizer chega ao Estado na tarde desta segunda-feira (03), com 3.510 imunizantes, inicialmente para atender a população de Porto Velho.

De acordo com Ana Flora Gehardt, diretora geral da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) é uma determinação do próprio Ministério da Saúde que as doses sejam aplicadas em moradores das capitais. “As doses estão destinadas para contribuir com a imunização de pessoas com comorbidades, moradoras das capitais. Os próximos lotes devem chegar, também, aos demais municípios”, adianta.

A vacina Pfizer recomenda um intervalo de 12 semanas entre a primeira e a segunda dose, ou seja, um período de três meses. A estratégia de vacinação seguirá aos critérios desenvolvidos pela secretaria de Saúde do município de Porto Velho. “Os vacinadores anotam na carteira de vacinação, a data certa para o retorno, quando deve ser aplicada a segunda dose”, lembra Ana.

Leia Também:  Toma: Rondoniense terá de trabalhar 151 dias só para pagar impostos em 2020

A Pfizer requer refrigeração diferenciada para o seu armazenamento, principalmente se for reservada por longo período. Para que sua validade aumente para seis meses, por exemplo, os imunizantes precisam ser armazenados em temperaturas que variam entre -80ºC e -60ºC. O Ministério da Saúde enviará para Rondônia, freezers para comportar as vacinas para que assim, elas possam ser distribuídas, também, nas Regionais de Saúde do interior do Estado. Como em Porto Velho as vacinas serão aplicadas no período inferior a 14 dias, os imunizantes podem ser armazenados à temperatura de -25ºC a -15ºC, ou seja, dentro das características atendidas pela Rede de Frio instalada na capital de Rondônia.

Somados à Pfizer em Rondônia estão sendo administradas vacinas CoronaVac (Butantã) e AstraZeneca (Fiocruz), de ambos os laboratórios como primeira e segunda doses.

GRUPOS PRIORITÁRIOS

Os grupos prioritários que irão receber a primeira dose da vacina Pfizer são compostos por: pessoas com síndrome de down (18 a 59 anos); Pessoas com doença renal em terapia de substituição – diálise – (18 a 59 anos); gestantes e puérperas (mães com bebês de até 45 dias) com comorbidades (18 a 59 anos); pessoas com comorbidades (55 a 59 anos) e pessoas com deficiência permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (55 a 59 anos).

Leia Também:  Bancários se unem a milhares em protesto contra reforma da previdência
Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

Última paciente que estava em tratamento da covid-19 fora do Estado de Rondônia recebe alta hospitalar

Publicados

em


Dona Maria foi a última paciente transferida pelo Governo de Rondônia para outro estado

Maria das Graças dos Santos Gonçalves, de 66 anos, foi recebida com festa e muita emoção por seus familiares após passar 81 dias internada e 32 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Francisco de Assis da Providência Divina, no Rio de Janeiro. A paciente saiu intubada da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da zona sul em Porto velho, em 14 de fevereiro, com o estado de saúde agravado.

A filha, Marinete Gonçalves, acompanhou a mãe durante todos esses dias. “Foi muito difícil, fiz promessa, cortei o cabelo. Os médicos achavam que ela não iria conseguir, mas nunca perdi a esperança de ver minha mãe de volta a nossa casa. O momento mais feliz foi quando ela acordou da intubação. O médico fez uma ligação de vídeo e ela ficou surpresa ao me ver. A mamãe é um milagre de Deus”, disse emocionada.

Seu José, a filha Marinete e seus familiares recebem Maria com alegria

No mesmo hospital estavam mais quatro pacientes de Rondônia. “Eu orei não só pela minha mãe, mas por todos que estavam na mesma UTI, inclusive as pessoas do Estado”, explicou Marinete.

Leia Também:  Jean Oliveira e vereador Thiago incentivam o esporte em Santa Luzia do Oeste

Maria é casada com José Ribeiro Gonçalves, de 66 anos, ambos tem nove filhos. O esposo foi acometido com a mesma doença. José foi internado no Hospital de Campanha de Rondônia (HCamp), no mesmo período. “Meus pais adoeceram num momento em que o Estado estava com as UTIs lotadas. Meu pai ficou internado em Porto Velho e foi muito bem cuidado, logo ficou curado. Minha mãe foi para fora do Estado, mas sou grata por isso também. A equipe de Governo não mediu esforços para salvar a vidas deles. Meu sentimento é de gratidão a todos”, enfatizou Marinete.

Após o tratamento no Rio de Janeiro, Maria continuará sendo acompanhada pelo Serviço de Assistência Multidisciplinar Domiciliar (Samd) oferecido pelo Governo de Rondônia. “Essa paciente ficou 32 dias intubada e teve trombose. A mesma terá um acompanhamento médico em sua residência através do Samd, com médicos, enfermeiros, fisioterapias e toda uma equipe multidisciplinar para cuidar da paciente”, disse o secretário de Estado da Saúde (Sesau), Fernando Máximo.

Leia Também:  Toma: Rondoniense terá de trabalhar 151 dias só para pagar impostos em 2020

Máximo detalhou ainda que “Maria foi a 116ª paciente transferida para outro estado que voltou curada da covid-19. O governador Marcos Rocha pediu para que fizéssemos o máximo para salvar o maior número de vidas possíveis. Começamos a pedir ajuda de outros estados, e graças a Deus conseguimos salvar 116 vidas”.

Dos 161 pacientes transferidos, 116 retornaram para casa, com alta hospitalar. Nove cidades receberam os pacientes rondonienses, são elas: Campo Grande (MS), Canoas (RS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Goiânia (GO), Manaus (AM), Porto Alegre (RS), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES).

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA