PORTO VELHO

Rondônia

Seagri divulga novos valores de referência do litro de leite em Rondônia

Rondônia


O valor de referência padrão do litro de leite entregue em maio de 2021 a ser paga em junho de 2021 é de R$ 1,4525.

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), divulga os novos valores de referência para o leite em Rondônia aprovado pelo Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite (Conseleite) e publicado na segunda-feira (7) por meio da Resolução Junho/2021.

Conforme mostra o boletim informativo “Leite de Rondônia”, publicado pela Seagri, no mês de junho, a indústria de lacticínios do Estado teve uma elevação no preço médio de 13,2% na sua cesta de derivados lácteos quando comparado com o mês anterior. Os aumentos foram observados nos preços do leite UHT (+0,1691).

De acordo com o secretário da Seagri, Evandro Padovani, o aumento se deve a retomada da comercialização do produto da muçarela no Estado. “Estamos muito felizes pela retomada da comercialização dos produtos lácteos em Rondônia, principalmente da muçarela. O consumo está voltando ao normal e esse aumento mostra o trabalho sério do Conseleite junto as indústrias e produtores de leite que vem acompanhando o custo de produção e transferindo ao produtor a margem que as indústrias estão obtendo nos seus produtos, além de ser um sinal da recuperação do poder aquisitivo do consumo dos produtos lácteos, com certeza daqui em diante as coisas vão melhorar muito mais”, disse.

Leia Também:  #FAKENEWS: Semusa desmente notícia de que Plantão Corujão será encerrado no Maurício Bustani e Castanheira

Os valores divulgados compreendem os preços de referência para o leite padrão, bem como o maior e menor valor de referência, de acordo com os parâmetros de ágio e deságio em relação ao leite padrão, calculados segundo metodologia definida pelo Conseleite de Rondônia.

Os valores para a matéria-prima leite entregue em maio de 2021 a ser paga em junho de 2021 são os seguintes: maior valor de referência do litro de leite, R$ 1,6704; valor de referência padrão, R$ 1,4525 e menor valor de referência, R$ 1,3205. Com variação de R$ 0,0248, em relação ao mês anterior do litro de leite padrão.

O boletim “Leite de Rondônia” pode ser acessado e baixado pelo portal da Seagri, no link: http://www.rondonia.ro.gov.br/seagri/, contendo informações atualizadas dos preços de referência do leite e derivados lácteos, atributos de volume e qualidade da matéria-prima, evolução dos preços do leite UHT, incluindo gráficos e dados da cadeia produtiva no Estado.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Rondônia

Lei Seca completa 9 anos de implantação em Rondônia; operação visa combater embriaguez no volante

Publicados

em


Operação Lei Seca completa 13 anos no Brasil e nove em Rondônia

A Lei n.11.705, de 19 de junho de 2008, conhecida popularmente em todo o país como Lei Seca, completa 13 anos de implantação no Brasil neste sábado (19). No Estado de Rondônia, a Lei Seca foi implantada há nove anos. Desde então, o Governo de Rondônia, por meio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), em parceria com a Polícia Militar (PM), vem trabalhando para combater a embriaguez ao volante.

A Lei n. 11.705, alterou o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), passando a proibir a condução de veículo automotor na via pública, estando o condutor com concentração de álcool por litro de sangue igual ou superior a seis decigramas, ou sob a influência de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência.

O número de acidentes de trânsito teve redução significativa de 23,27% em Rondônia, conforme dados do Anuário Estatístico. Em 2019, o Detran registrou redução de 4,06% de mortes por acidentes de trânsito, se comparado a 2018. O número caiu de 394 óbitos em 2018, para 378 em 2019. O índice de mortos no trânsito, por grupo de habitantes no Brasil, conforme prevê a meta do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), criado pela Lei n. 13.614/18, é de 4,52%, e o índice do Estado é de 3,72%, bem abaixo do índice nacional.

Leia Também:  REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA: Situação do Planalto II tratada pelo vice-prefeito com Semur

“A redução do número de acidentes de trânsito significa menos feridos nos hospitais e menos pessoas mortas no trânsito, a Lei Seca veio para salvar vidas”, disse o diretor-geral do Detran, Neil Aldrin Faria Gonzaga.

Antes, não havia previsão em lei do teor alcoólico necessário para a caracterização do crime, bastando que o motorista estivesse sob a influência de álcool. Em dezembro de 2012, foi sancionada a Lei 12.760, aprovada pelo Congresso Nacional, com nova alteração no CTB, que estabeleceu tolerância zero ao álcool e reforçou os instrumentos de fiscalização do cumprimento da Lei Seca: provas testemunhais, vídeos e fotografias passaram a ser aceitos como provas.

A operação será retomada nas principais cidades de Rondônia

O diretor Técnico de Fiscalização e Ações de Trânsito (DTFAT) e coordenador da Operação Lei Seca em Rondônia, Welton Roney Nunes Ribeiro, ressalta que com a aplicabilidade desta lei, que teve início no Rio de Janeiro, em 2009, e passou a ser realizada também em Rondônia, em março de 2012, o Estado vem chamando a atenção do Brasil ante a organização e resultados obtidos no combate à embriaguez na direção, que costuma ser realizada nos finais de semana, de forma simultânea, em vários pontos estratégicos.

Leia Também:  DER já recuperou mais de 850 quilômetros de rodovias pavimentadas de Rondônia em 2021

O diretor-geral do Detran afirma, que com a publicação do novo Decreto n. 26.134 de 17 de junho de 2021 a operação será retomada nas principais cidades de Rondônia e aproveitou para agradecer todos os órgãos parceiros que trabalham em prol da segurança viária e preservação da vida. É indiscutível a relevância social da Lei Seca, que também é uma ação de Segurança Pública, visto que durante as blitzes são recuperados veículos roubados, furtados, além de também serem descobertos veículos clonados, armas são apreendidas e foragidos recapturados.

LEI FEDERAL

O condutor que for flagrado embriagado, conduzindo veículo, será autuado pelo Art. 165 do CTB e multado no valor de R$ 2.934,70, além de ter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) recolhida e responder processo, podendo perder o direito de dirigir por 12 meses.

Sendo ainda configurado crime de trânsito de embriaguez previsto no art. 306 do CTB – nos casos de recusa em fazer o teste com constatação de sintomas relevantes de embriaguez, ou mesmo se o resultado do teste for igual ou superior a 0,34 mg de álcool por ar expelido, o condutor será preso em flagrante e poderá responder processo criminal.

Fonte: Governo RO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA