PORTO VELHO

Jirau

USINA HIDRELÉTRICA JIRAU RECEBE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO DA CAPITAL PORTO VELHO PARA VISITA INSTITUCIONAL

Jirau

 

Da teoria para a prática. Estudantes do 2º ano do Ensino Médio do Instituto Laura Vicuña, de Porto Velho (RO), visitaram a Usina Hidrelétrica (UHE) Jirau para conhecer a estrutura e a operação da quarta maior hidrelétrica do Brasil. Com capacidade total instalada de 3.750 MW, a UHE Jirau gera energia limpa e renovável suficiente para atender mais de 40 milhões de pessoas.

Recepcionados pela Equipe do Setor de Relações Institucionais da Energia Sustentável do Brasil (ESBR), concessionária da Usina, os 31 alunos tiveram a oportunidade de conhecer estruturas como a Casa de Força da Margem Direita, a Sala de Controle, a Área de Montagem, a Subestação Isolada a Gás e o Sistema de Transposição de Peixes II. O roteiro foi concluído no Centro Cultural de Nova Mutum Paraná, onde estão expostas as peças arqueológicas resgatadas durante o período de construção do empreendimento.

Toda a vivência foi registrada pelos alunos e o professor Ledson Oliveira explica que a aula de campo é uma forma dinâmica de reforçar o conteúdo. “É a segunda vez que trago uma turma à UHE Jirau. Este é um projeto que faz parte do cronograma anual da escola e os alunos já esperam ansiosos para esta visita”, conta Oliveira.

Leia Também:  A CONTINUAREM TANTOS ERROS, É BOM SE ACOSTUMAR COM A MORTE. ELA ESTÁ CHEGANDO CADA VEZ MAIS PERTO

Para a estudante Isabelle Rodrigues, de 17 anos, a experiência gerou conhecimento. “Eu gostei muito porque aprendemos como acontece a geração de energia elétrica. Além disso, fiquei bastante impressionada de saber que, como algo tão grande como esta hidrelétrica funciona com tanta harmonia, nos mínimos detalhes e cuidados”, relata Isabelle.

Já o estudante Antônio de Souza, de 17 anos, percebeu o cuidado com as pessoas e com o meio ambiente. “É a primeira vez que visito uma usina hidrelétrica e achei incrível. Quando vi a apresentação, gostei muito também de saber sobre os programas socioambientais e o incentivo dado à comunidade da região”, destaca Souza.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Jaci-Paraná

MAIS UM CRIME AMBIENTAL: Santo Antônio Energia afirma ao Governo Federal em seis meses não terá água para gerar energia e anuncia que lago tem ser aumentado

Publicados

em

Por

A concessionária que administra a hidrelétrica de Santo Antônio, umas das duas usinas no Rio Madeira em Porto Velho, alertou o governo federal que o Estados de Rondônia e Acre podem ficar às escuras ainda no primeiro semestre deste ano. As informações são do Estadão.

No documento, a concessionária explica que o apagão poderá ocorrer devido ao baixo volume de água no reservatório comprometendo a geração de energia.

Nesse sentido, ela pede ao governo que eleve o nível do reservatório, entretanto isso implica em um crime ambiental, com a inundação de uma área de mais de 500 hectares, localizada no Parque do Mapinguari, que já sofreu com a redução de sua área para a implantação do lago artificial.

Seis das cinquenta turbinas da Santo Antônio são responsáveis por atender Rondônia e Acre . O colapso pode ser de 57 dias, com paralisação de 100% da capacidade de produção de energia.

“A usina de Santo Antônio é especialmente importante para o atendimento dos Estados de Rondônia e Acre . A redução poderá afetar o suprimento energético da região, além de ocorrer restrição de atendimento de cerca de 20% da região, com “possibilidade de ocorrer eventos similares verificados recentemente no Amapá”, ou seja, um apagão geral”, diz o documento.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  OAB intensifica luta contra novos valores de custas judiciais, em vigor desde 1º de janeiro
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA