PORTO VELHO

Saúde

Saúde recomenda tomar segunda dose da vacina contra Covid-19 mesmo fora do prazo

Saúde

A população deve tomar a segunda dose da vacina Covid-19 mesmo que a aplicação ocorra fora do prazo recomendado pelo laboratório. Essa é a orientação do Ministério da Saúde, que reforça a importância de se completar o esquema vacinal para assegurar a proteção adequada contra a doença.

As recomendações estão em uma nota técnica, divulgada na segunda-feira (26) pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Atualmente, o Brasil conta com duas vacinas disponíveis, ambas com a necessidade de duas doses para garantir a imunização completa. A Sinovac/Butantan deve ter a aplicação da dose 2 no intervalo de quatro semanas. A AstraZeneca/Fiocruz no intervalo de 12 semanas.

Com o aumento no número de casos de coronavírus e a necessidade da aceleração da vacinação, o Ministério da Saúde mudou a estratégia no início de março, com o envio de doses da vacina Sinovac/Butantan começando a ocorrer em duas etapas: primeiro com a entrega da dose 1 e, quatro semanas depois, da dose 2 – o que já estava ocorrendo com o imunizante da AstraZeneca desde o início da campanha.

A quantidade de doses a serem enviadas, tanto para a primeira quanto para a segunda aplicação, é cuidadosamente detalhada através dos informes técnicos, divulgados toda a semana aos estados e municípios.

Leia Também:  Sobe para 22 número de casos suspeitos de doença transmitida por fungos em Manaus

A partir da 11ª pauta de distribuição de vacinas, realizada no fim de março, o Ministério da Saúde começou a enviar as segundas doses da vacina Sinovac/Butantan para completar o esquema vacinal dos brasileiros. Atualmente, há três grupos prioritários pendentes da segunda aplicação dessa vacina: 3% dos trabalhadores da saúde, 6,2% das forças de segurança, salvamento e Forças Armadas e 1,9% dos idosos entre 60 e 64 anos, totalizando 416.507 de pessoas. A previsão de envio da segunda dose para esses grupos é para a primeira semana de maio, cumprindo o ciclo vacinal no tempo adequado.

O Ministério da Saúde diz que presta apoio aos estados para garantir a compensação e o fechamento do esquema vacinal dos grupos prioritários iniciados, com a previsão de recebimento de novas remessas de vacinas na primeira quinzena de maio. A recomendação é de que estados e municípios sigam as orientações do Governo Federal quanto ao avanço da imunização dos grupos prioritários sequencialmente definidos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO).

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Egressa do UniFacimed é a primeira profissional de RO a assumir vaga no Conselho Nacional de Saúde

Publicados

em

 
A enfermeira é da 5ª turma de profissionais formados pelo Centro Universitário UniFacimed
O Conselho Nacional de Saúde (CNS), agora conta com o profissionalismo da enfermeira Edna Mota, formada pelo Centro Universitário Unifacimed, no ano de 2007. Pela primeira vez, uma enfermeira de Rondônia irá representar a categoria na cadeira do CNS, que é a instância maior do controle social do Sistema único de Saúde (SUS) no Brasil.
Edna destaca que, como profissional, possui uma trajetória na defesa do controle social no SUS, citando que os estágios nas Unidades Básicas de Saúde e Hospitais Públicos do município de Cacoal durante a graduação, contribuíram muito para o início da sua profissionalização. “A Faculdade foi fundamental para meu conhecimento e para a minha atuação no SUS, e, a partir dos estágios, pude enxergar e agregar cada vez mais a atuação prática na carreira como enfermeira”, disse.
Ainda segundo ela, a contribuição do centro Universitário no sucesso profissional, vai além de uma formação de qualidade, agregando também na construção de um profissional de saúde humanitário. “Tive uma excelente vida acadêmica, coleciono muitas histórias nesta Instituição, tenho orgulho de ter tido professores renomados, que colaboraram com a profissional que me tornei hoje”, afirmou.
De acordo com a coordenadora do curso de enfermagem do UniFacimed, Teresinha Cícera Teodoro, a instituição oferece para os acadêmicos ainda durante a graduação, uma preparação do que eles vão vivenciar quando se formarem, isso faz com que os acadêmicos já se formem com uma vivência do SUS. “O estágio propicia ao nosso estudante, o enfrentamento da sua futura profissão estabelecendo artifícios para que lide com as inúmeras situações que podem lhe acometer no exercício da enfermagem, foi exatamente esse caminho que a Edna trilhou, e hoje está representando nosso estado em um nível nacional, o que nos enche de orgulho”, pontuou Teresinha.

O Conselho Nacional de Saúde, tem a função de fiscalizar, e deliberar por todos as ações da saúde pública no Brasil. Aprovar as contas do Presidente da República, e os gastos e recursos enviados para os estados e municípios. — * Esta mensagem, incluindo seus anexos, tem caráter Confidencial e seu conteúdo é restrito ao destinatário da mesma. Caso você tenha recebido esta mensagem por engano, queira, por favor, retorná-la ao remetente e apagá-la de seus arquivos. Qualquer uso não autorizado, replicação ou disseminação desta mensagem ou parte dela é expressamente proibido.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Sorteio da Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 72 milhões nesta quarta
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA