PORTO VELHO

Saúde

Atenção: Fiocruz alerta para crescimento de síndromes respiratórias em crianças de 0 a 9 anos

Saúde

O novo Boletim InfoGripe da Fiocruz divulgado nesta quinta-feira (28) alerta para o reaparecimento de outros vírus respiratórios que vem causando Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças de 0 a 9 anos, como é o caso do Bocavírus e das Parainfluenza 3 e 4.

Esses se somam aos casos de Vírus Sincicial Respiratório (VSR) e de Rinovírus, que reapareceram e já vem sendo registrados desde o começo de 2021. A análise verificou que nessa faixa etária houve aumento significativo de registros de VSR, com valores semanais superiores aos observados para Sars-CoV-2 (Covid-19). O VSR é uma das principais causas de infecções das vias respiratórias e pulmões em recém-nascidos e crianças pequenas.

De 0 a 9 anos, foi observada uma estabilização de casos semanais de SRAG em valores entre 1.000 e 1.200, próximos ao que se registrou no pico de julho de 2020 (1.282 casos na Semana Epidemiológica 29). Nas demais faixas etárias, o patamar atual representa os menores valores desde o início da pandemia no país. A análise é referente à Semana Epidemiológica (SE) 42, período de 17 de setembro a 23 de outubro. Tem como base os dados inseridos no Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) até o dia 25 de outubro.

“O número de casos de SRAG segue abaixo dos picos de março e maio deste ano, porém mantendo valores superiores aos de 2020. Houve apenas um leve aumento nas últimas semanas em alguns locais, mas se mantendo dentro da média recente. O importante é destacar essa volta de outros vírus respiratórios gerando SRAG”, afirma o pesquisador Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe.

Leia Também:  Pazuello diz que Brasil tem 300 milhões de doses de vacinas garantidas

Entre a população adulta (20 anos ou mais), observa-se um predomínio praticamente absoluto de detecção de Sars-CoV-2 (Covid-19) entre os casos de SRAG. No que se refere à crianças e adolescentes, o predomínio de SRAG se mantém na faixa de 10 a 19 anos, porém com maior presença de casos positivos para o Rinovírus.

Segundo Gomes, a análise dos casos entre crianças de 0 a 9 anos por estado indica que o reaparecimento de outros vírus respiratórios é mais presente na região Centro-Sul do país. Já no estado de São Paulo houve aumento de casos positivos para Bocavírus, Parainfluenza 3 e Parainfluenza 4 nessas faixa etária. No momento, o número de casos semanais positivos para cada um desses vírus se assemelham aos de Sars-CoV-2, porém ainda se encontram abaixo dos casos de VSR.

Em São Paulo chama a atenção o aumento de casos em crianças de 0 a 9 anos positivos para Bocavírus, Parainfluenza 3 e Parainfluenza 4 durante os meses de agosto e setembro. A média de casos positivos por semana para cada um desses vírus – que se encontra entre 15 a 20 casos – já se aproxima do registrado para Sars-CoV-2. No entanto, ainda é inferior à média semanal de registros positivos para VSR: cerca de 35 casos no mesmo período.

No Rio Grande do Sul e Santa Catarina também se observa ligeiro aumento no número de casos positivos para Parainfluenza 3 no mês de setembro entre crianças, aproximando-se ao número de casos semanais positivos para Sars-CoV-2. No Rio Grande do Sul, entretanto, os casos de VSR continuam sendo mais prevalentes nessa faixa etária. “Quanto ao Bocavírus em crianças, além do aumento em São Paulo, verifica-se presença no Amazonas, porém em situação estável em volume similar ao que se observa para Rinovírus, VSR e Sars-CoV-2”, destaca Gomes.

Leia Também:  ECONOMIA - Plano Municipal de Turismo de Porto Velho marca uma nova fase do setor

Nos estados, o sinal de aumento de SRAG na faixa de 0 aos 9 anos nas últimas semanas foi constatado essencialmente no Rio Grande do Norte, Roraima, Rio Grande do Sul, Sergipe e Rio de Janeiro. “No estado fluminense tal aumento não se reflete na tendência dos casos em geral por conta da manutenção de queda nas demais faixas etárias. No Rio Grande do Sul, em particular, observa-se um crescimento muito expressivo de casos em crianças ocorridos e digitados na SE 42, sem atraso de digitação (tempo entre semana de primeiros sintomas e inserção do caso no Sivep-Gripe, que pode levar pelo menos 2 semanas), gerando um aumento de casos desproporcional. Tal situação é particular apenas da macrorregião de saúde Norte do estado e pode estar associada a eventual inconsistência no registro, pois é bastante atípica”, ressaltou Gomes.

O Vírus Sincicial Respiratório (VSR) é mais preocupante em bebês prematuros, cardiopatas ou com problemas crônicos no pulmão. Em crianças de até dois anos, é responsável por 75% das bronquiolites e 40% das pneumonias durante seu período de maior incidência. Crianças com menos de cinco anos têm maior risco de desenvolver formas graves. Cerca de 10 a 15% dos casos em bebês menores de dois anos necessitam de internação hospitalar, às vezes, na UTI.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

PROTEÇÃO – Porto Velho terá Dia V de Vacina contra a covid-19 no próximo sábado (4)

Publicados

em


Unidades básicas de saúde vão atender das 9h às 17h

Dia V de Vacinação acontece no sábado em 20 locaisBuscando acelerar a imunização contra a pandemia do novo coronavírus, o município de Porto Velho realiza, no próximo sábado (4), o “Dia V de Vacina” contra a covid-19. Ao todo, 19 unidades básicas de saúde participarão da ação.

Na prática, 17 unidades funcionarão com estrutura própria para fazer a imunização com 1ª, 2ª e 3ª doses, das 9h às 17h, além de duas unidades de saúde com horário diferenciado, das 8h às 12h.

Além delas, o ponto de atendimento do Porto Velho Shopping também estará aberto no próximo sábado, das 14h às 19h. A ação chega após a capacitação dos servidores realizada na última terça-feira (30).

“Os técnicos que participaram da capacitação serão multiplicadores no ambiente de trabalho, uma vez que a vacina contra a covid-19 tem particularidades que a vacina de rotina não tem”, explica Elizeth Gomes, gerente de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

A diferença em relação às vacinas regulares inicia no descongelamento e vai até os cuidados com o sistema de lançamento de dados, que precisam ser seguidos rigorosamente. “Levamos todas estas informações às equipes, inclusive sobre as eventuais reações”, destaca a gerente de imunização.
O objetivo é que todos os profissionais estejam capacitados para assumir todas as tarefas dentro das unidades em que vão atuar.

JANSSEN

O Ministério da Saúde já emitiu nota técnica sobre a 2ª dose da vacina Janssen. No entanto, o município ainda não dispõe de estoque do imunizante para atender a demanda. “Quem cumpre o esquema vacinal com este imunizante pode aguardar a chegada das doses, mas também pode optar por receber o reforço com a vacina Pfizer. Esta alternativa vale para quem completou 120 dias da 1ª doce da Janssen”, orienta Elizeth Gomes.

Leia Também:  Bebê é diagnosticado com coronavírus 30h após o nascimento

PROGRAMAÇÃO

QUARTA-FEIRA (1) E QUINTA-FEIRA (2)

Porto Velho Shopping
Endereço:
avenida Prefeito Chiquilito Erse com avenida Calama, bairro Flodoaldo Pontes Pinto
Horário: 14h às 19h

16 unidades de saúde: das 9h às 17h

U.S.F Santo Antônio: das 8h às 12h

U.S.F Vila Princesa: das 8h às 12h

SEXTA-FEIRA (3) E SÁBADO (4)

Porto Velho Shopping
Endereço:
avenida Prefeito Chiquilito Erse com avenida Calama, bairro Flodoaldo Pontes Pinto
Horário: 14h às 19h

Unidade de Saúde Mariana
Local:
rua Rosalina Gomes, 9870 Bairro Mariana
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Pedacinho de Chão
Local:
avenida Tiradentes, 3420 Bairro Embratel
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Aponiã
Local:
rua: Andreia, 5383 Bairro Aponiã
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Caladinho
Local:
rua Tancredo Neves, 4752 Bairro Caladinho
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde José Adelino
Local:
rua Orion, 56 Bairro Ulisses Guimarães
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Ronaldo Aragão
Local:
Estrada do Belmonte, 2044 Bairro Nacional
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Osvaldo Piana
Local:
rua Campos Sales, 858 Bairro Areal
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Renato Medeiros
Local:
rua Magno Arsolino, 1456 Bairro Cidade do Lobo
Horário: 9h às 17h

Leia Também:  Porto Velho: Prefeitura inicia agendamento da primeira dose para idosos a partir de 65 anos

Unidade de Saúde Agenor de Carvalho
Local:
rua 10, s/n, Bairro Agenor de Carvalho
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Areal da Floresta
Local:
rua Sepetiba, s/n, Bairro Floresta
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Castanheiras
Local:
Rua Pau Ferro, 878, Bairro Castanheira
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Ernandes Índio
Local:
av. Mamoré, Bairro Esperança da Comunidade
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Hamilton Raulino Gondim
Local:
av.José Amador dos Reis, s/n, Bairro Tancredo Neves
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Nova Floresta
Local:
av. João Paulo I, s/n, Bairro Novo Horizonte
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde São Sebastião
Local:
rua Castro Alves, 5899, Bairro São Sebastião
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Socialista
Local:
rua Mané Garrincha, s/n, Bairro Socialista
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Maurício Bustani
Local:
av. Jorge Teixeira, s/n, Bairro Liberdade
Horário: 9h às 17h

Unidade de Saúde Vila Princesa
Local:
BR 364, Bairro Vila Princesa
Horário: 8h às 12h

Unidade de Saúde Santo Antônio
Local:
Estrada do Santo Antônio, s/n, Bairro Triângulo
Horário: 8h às 12h

Texto: Semusa
Foto:
Saul Ribeiro

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA