PORTO VELHO

Saúde

Cientistas apontam hipóteses para novo surto de covid-19 em Manaus

Saúde

“Essa nova linhagem provavelmente tem mais facilidade para escapar do sistema imune do corpo humano”

O aumento do número de internações por covid-19 em Manaus, no Amazonas, de 552 em dezembro para 3.431 em janeiro, tem surpreendido e preocupado os cientistas. Em texto publicado na revista científica The Lancet, em 27 de janeiro, um grupo de pesquisadores, com participação da USP, aponta que o novo surto pode estar ligado à nova variante do vírus, potencialmente mais transmissível, e à perda de anticorpos dos que foram infectados na primeira onda da doença, em abril do ano passado.

Os pesquisadores recomendam um aumento da vigilância sorológica e genômica para entender a dinâmica da nova linhagem do vírus, sua capacidade de reinfecção e o efeito das vacinas.

O texto apresenta quatro hipóteses não excludentes para o surto de covid-19 que começou em dezembro na cidade de Manaus. A primeira é que a taxa de ataque, isto é, o número de pessoas infectadas, foi superestimada durante a primeira onda da doença, em abril do ano passado.

“Esta é sempre uma possibilidade, porém pelo menos 50% das pessoas mostravam anticorpos em junho, e esse valor seria grande o suficiente para evitar uma segunda onda, mesmo que a taxa não tivesse chegado a 76% em outubro”, afirma ao Jornal da USP a professora Ester Sabino, do Instituto de Medicina Tropical (IMT) e da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), primeira autora do texto. “Em geral, a prevalência nos doadores de sangue, em qualquer doença, é subestimada, pois pessoas com sintomas são excluídas da doação, o que pode ter influenciado na estimativa.”

A segunda hipótese é que houve uma possível diminuição da imunidade para o vírus em dezembro de 2020. “Pesquisas apontam que a infecção é rara em pessoas que apresentam anticorpos, mas esses estudos apenas seguiram as pessoas por seis meses”, aponta Ester. “Ou seja, os novos casos em Manaus ocorreram de sete a oito meses depois do pico, quando ainda não existiam dados claros quanto à reinfecção.”

Nova linhagem
O surgimento de uma nova linhagem do coronavírus, identificada em dezembro no Amazonas, é a terceira hipótese apontada pelo texto. “Desde dezembro, a variante do vírus vem sendo detectada em um número significativo de amostras de pacientes”, observa a professora.

“Essa nova linhagem provavelmente tem mais facilidade para escapar do sistema imune do corpo humano”

A última hipótese apontada pelos pesquisadores é que a nova linhagem possui uma taxa de transmissão maior do que a anterior. “Com isso o limiar de imunidade populacional para bloquear um novo surto é maior”, ressalta Ester.

“É necessário intensificar ações de pesquisa que forneçam respostas que orientem ações de combate à doença”

Os pesquisadores indicam maior vigilância sorológica e genômica dos casos de covid-19, com atenção especial para ocorrências de reinfecção, inclusive pela nova linhagem. Também é sugerida uma investigação sobre a eficácia das vacinas contra o vírus e suas variantes, com a genotipagem de pessoas não vacinadas.

O texto foi elaborado por pesquisadores do Centro Brasil-Reino Unido de Descoberta, Diagnóstico, Genômica e Epidemiologia de Arbovírus (CADDE), que têm divulgado mensalmente dados de pesquisas com doadores de sangue em Manaus, incluindo informações genéticas, através de plataformas de acesso aberto. O texto Resurgence of COVID-19 in Manaus, Brazil, despite high seroprevalence, foi publicado no site da revista científica The Lancet em 27 de janeiro.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Anvisa proíbe uso do fungicida carbendazim em produtos agrotóxicos

Propaganda

Saúde

Brasil registra 1.023 novos casos e 66 mortes por covid-19 em 24 horas

Publicados

em

As secretarias estaduais e municipais de Saúde registraram 3.203 novos casos de covid-19 em 24 horas em todo o país. De acordo com os órgãos, foram confirmadas também 66 mortes por complicações associadas à doença no mesmo período. 

Os dados estão no boletim do Ministério da Saúde divulgado neste domingo (2). Das 27 unidades da federação, 12 não atualizaram os dados.

O total de pessoas infectadas pelo novo coronavírus durante a pandemia soma 34.679.533.

O número de casos em acompanhamento de covid-19 está em 129.914. O termo é dado para designar casos notificados nos últimos 14 dias que não tiveram alta e nem resultaram em óbito.

Desde o início da pandemia, o total de óbitos alcançou 686.320. Ainda há 3.203 mortes em investigação. As ocorrências envolvem casos em que o paciente faleceu, mas a investigação se a causa foi covid-19 ainda demanda exames e procedimentos complementares.

Até agora, 33.863.299 pessoas se recuperaram da covid-19. O número corresponde a pouco mais de 97,6% dos infectados desde o início da pandemia.

Aos sábados, domingos e segundas-feiras, o número registrado diário tende a ser menor pela dificuldade de alimentação dos bancos de dados pelas secretarias municipais e estaduais de Saúde. Às terças-feiras, o quantitativo, em geral, é maior pela atualização dos casos acumulados nos fins de semana.

Balanço de dados de covid-19 Balanço de dados de covid-19

Leia Também:  Acre tem confirmado duas variantes da Covid-19; de três casos, duas pessoas já morreram
Balanço de dados de covid-19 – 02/10/2022/Divulgação/ Ministério da Saúde

Estados

Segundo o balanço do Ministério da Saúde, no topo do ranking de estados com mais mortes por covid-19 registradas até o momento estão São Paulo (174.854), Rio de Janeiro (75.695), Minas Gerais (63.780), Paraná (45.348) e Rio Grande do Sul (41.092).

Já os estados com menos óbitos resultantes da pandemia são Acre (2.029), Amapá (2.163), Roraima (2.173), Tocantins (4.204) e Sergipe (6.437).

Edição: Bruna Saniele

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍCIA

RONDÔNIA

PORTO VELHO

POLÍTICA RO

MAIS LIDAS DA SEMANA